FÉRIAS… ALIMENTAÇÃO… ATIVIDADE FÍSICA… COMO FICARÁ?

Com o tempo extra das férias e dos finais de semana neste verão, é possível aproveitar para entrar em forma ou, principalmente, não sair dela. Isso porque, entre uma viagem e outra, comidas tentadoras aparecem na praia e dá vontade de tomar uma cerveja ou caipirinha para se “refrescar”. Resultado: fica fácil ganhar uns quilinhos neste calor.

As bebidas alcoólicas são muito calóricas e, quando uma pessoa toma umas doses a mais, acaba perdendo o controle sobre os impulsos alimentares. No caso da caipirinha, uma dica é trocar o açúcar pelo adoçante e tentar se contentar com uma só.

Já para os fãs de cerveja, vale limitar-se a duas latinhas para os homens e a uma para as mulheres – e lembrar que cada porção equivale a um pão francês, ou seja, 150 kcal.

Caso queira curtir a viagem e provar de tudo um pouco, prepare-se antes, fique mais rígido com a dieta e também use o passeio para caminhar bastante. Vale lembrar ainda, do cuidado com o café da manhã de hotel, que pode ser um perigo.

É preciso ter bom senso na hora da escolha para não comer tudo o que está à disposição. Escolha um carboidrato e um laticínio. Também mastigue bem e se sirva em pratos menores, porque é possível se saciar apenas pelo visual.

Nas férias, você tem mais tempo para se controlar. Preste atenção no tamanho das porções, não fique beliscando, tente não repetir o prato e tenha consciência do que você consome. Se abusar muito, dê uma reduzida depois.

Para quem for à praia, a sugestão é uma boa hidratação, com água, água de coco, sucos e picolés de fruta. Para comer, são indicados palitinhos de cenoura, erva-doce, cereja, milho (sem muito sal e manteiga) e frutas em geral.

O ideal é levar algumas opções de casa, em uma sacolinha térmica. Alimentos quentes podem ficar até 3 horas, com segurança, em temperatura ambiente. O segredo é limitar a duas vezes por semana refeições muito diferentes do que você está acostumado. Além disso, não fique horas sem se alimentar e mantenha o fracionamento da dieta.

Estar mais de 4 horas em jejum aumenta o hormônio do estresse (cortisol) e faz a pessoa descontar na comida por ansiedade. Para quem costuma ir a restaurantes, a dica é preferir opções self-service e tomar cuidado com os couverts dos locais que servem à la carte, como pãezinhos, patês e pães de queijo irresistíveis. Uma alternativa é trocar o couvert de entrada por uma salada.

Se você for à casa de amigos, tente saber o que será oferecido e coma um lanchinho antes de sair, para não chegar ao evento com muita fome, e o risco de cair em tentação e pegar um doce será bem menor.

Agora se ficar de jejum superior a 3horas o risco de elevação do cortisol (hormônio) aumenta ainda mais no fim da tarde, quando caem os níveis de serotonina – hormônio ligado à sensação de bem-estar – do organismo, principalmente nas mulheres.

Portanto, para quem quer perder peso, a sugestão que metade do prato seja sempre preenchida com verduras e legumes – ou coma a salada antes do prato principal – e a outra com um quarto de carboidratos (arroz, massa, batata ou purê, de preferência integral) e um quarto de proteínas animais ou vegetais (carne, frango, peixe, ovo, soja, feijão, grão-de-bico, ervilha e lentilha).

Verão intenso, intensificar a atividade física durante as férias, pois os períodos de lazer também podem ajudar a emagrecer. Na praia, vale caminhar, correr, nadar, pular corda, jogar frescobol, vôlei, peteca, futebol. Os resultados aparecem se o exercício for feito pelo menos cinco vezes por semana, de 30 minutos a 1 hora. Para quem só quer se manter, de 20 a 30 minutos por dia são suficientes.

 

O horário ideal para se movimentar durante o verão são no início ou no fim do dia, períodos sem tanto sol. Em todo caso, é importante se hidratar bem antes, durante e depois, para repor sais minerais como sódio e potássio.

 

Alcimara Macieira

Nutricionista – Clinlife

CRN: 4284

MOVIMENTO CONSCIENTE – Um hábito de vida!

A prática regular de exercícios físicos nas horas de lazer traz muitos benefícios para a saúde, refletem diretamente na melhoria da qualidade de vida do indivíduo. São inúmeros os benefícios, tais como: mudança na composição corporal; melhora da função cognitiva; redução dos riscos de doenças; manutenção do condicionamento físico; adequação dos níveis de hormônios; importante nos fatores de proteção para o desenvolvimento da síndrome metabólica; aumento da eficiência da resposta imunológica e na dimensão psicológica, a atividade física atua na melhoria da auto-estima, da imagem corporal, das funções cognitivas e de socialização, na diminuição do estresse e da ansiedade e na diminuição do consumo de medicamentos, entre outros.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a prática de atividades físicas de intensidade leve ou moderada diariamente ou na maior parte dos dias da semana, sendo que, para a prevenção de doenças cardiovasculares, diabetes mellitus e determinados tipos de neoplasias, a recomendação é de pelo menos 30 minutos. Para o controle do peso, é preconizada a realização de pelo menos 60 minutos diários de atividade física.

Essas atividades podem ser praticadas de forma contínua (30 ou 60 minutos seguidos) ou acumuladas ao longo do dia. Sendo que, para a promoção e manutenção da saúde, a recomendação é de no mínimo 30 minutos de atividade física de intensidade moderada 5 dias por semana, ou 20 minutos de atividade física de intensidade vigorosa 3 dias por semana, ou uma combinação de atividade física de intensidade moderada/vigorosa e 8–10 exercícios de fortalecimento muscular pelo menos 2 dias por semana.

É importante destacar a diferença entre a atividade física e o exercício físico. A atividade física é definida como qualquer movimento que resulte num gasto energético, enquanto que o exercício físico exige planejamento e estruturação da atividade com o intuito de promover aptidão física.

A prevalência de exercício físico nas horas de lazer ou de atividade física de lazer tem se mostrado associada ao gênero, à renda familiar, à escolaridade e à faixa etária, observando-se uma menor prevalência entre os indivíduos do sexo feminino, de baixa renda e com baixos níveis de escolaridade.

O sexo feminino apresenta maior prevalência de inatividade física no lazer que o sexo masculino. Esta diferença pode ser vista como reflexo de uma sociedade moderna em que as mulheres passaram a ocupar o mercado de trabalho e não deixaram as atividades culturalmente ligadas ao sexo feminino, como cuidar dos filhos e do lar, ocupando maior parte do seu tempo. Assim, as mulheres que apresentaram alguma prática de exercícios no lazer se encontravam na faixa etária de maior idade e com maiores níveis socioeconômicos.

O sexo masculino é o que mais se preocupa em praticar exercícios, e a faixa etária de maior pratica esta entre 18 a 24 anos, sendo as atividades coletivas e de intensidade vigorosa (como futebol, musculação, corrida e bicicleta) as mais escolhidas.

Independentemente do tipo de atividade é necessário adequar o grau de esforço do exercício à condição física atual da pessoa. Após escolhido o tipo de exercício, uma adequada orientação técnica é fundamental. Qualquer dúvida deverá ser esclarecida com profissionais de educação física, que são os mais capacitados para dar as orientações fundamentais, onde, muitos já estão se dedicando também à função de treinadores pessoais.

Não fique parado, se exercite!


Laís Martins de Souza
 CREF018564-G/MG 

O alimento como vício

 

Sabe quando temos aqueles dias cheios e estressantes? Estamos pra baixo, chegamos em casa e resolvemos comer o que é que for para confortar este sentimento. O problema é que isso geralmente acaba causando outros sentimentos ruins depois de arrependimento, desânimo com o peso, saúde, etc.

O interessante é que nós sabemos, racionalmente, que comer com as emoções não é bom pra nós,  etc. Mas quem disse que nossa razão tem mais poder que nossas emoções? Não!

Mesmo entendendo conscientemente que estamos com “fome emocional”, isso não ajudaem nada. Nãoadianta força de vontade apenas para curar este tipo de coisa. Nós, seres humanos, somos comandados por emoções! São elas que decidem o que e quando fazemos as coisas.

Comer emocionalmente é, sim, um vício e digo mais, é um dos vícios mais difíceis de serem curados e por motivos bastante interessantes.

Bom, para começar, quando você come com as emoções, seja sincero(a), você vai na geladeira querendo encher a cara de brócolis? Não né!

Procura-se por comidas que nos confortem, que nos dêem um prazer imediato.

E quais são elas? Carboidratos, obviamente. Mais especificamente, DOCES!

 Nosso DNA é codificado para sermos magnetizados em direção à coisas doces! Imagine, pela perspectiva da sobrevivência, qualquer alimento doce encontrado na natureza, é denso em calorias e fornece energia preciosa para o nosso corpo, porém, na natureza, são raros os alimentos que são realmente doces. Em função disso acabamos por comer em exagero quando encontramos este tipo de alimento.

O problema é que hoje nós encontramos esses alimentos a qualquer hora e em qualquer lugar.

Sendo assim atualmente a maioria das pessoas procuram esse tipo de comida que nos dê prazer como umas das primeiras opções para aliviar sua tensão.

Veja um dado no mínio interessante. No século 18, as pessoas consumiam uma média de 2kg de açúcar por ano! Agora, nos tempos atuais, uma pessoa consume em média 65kg de açúcar por ano! O açúcar está em todo lugar e está mais acessível do que nunca!

Açúcar vicia! Sim, carboidratos refinados e densos como massas, pães, doces, bolos, etc, causam dependência fisiológica no seu cérebro! A maioria de nós já está viciada e nem ao menos sabemos disso.

Uma forma fácil de você fazer um teste é tirar qualquer tipo de alimento doce e derivado de farinha de trigo da sua dieta alimentar por 1 semana. A maioria das pessoas vai sentir uma vontade LOUCA de comer um pão, massa, etc e outros ainda podem ter sintomas de abstinência como dores de cabeça, etc. Isso é fato, e é  documentado cientificamente.

Agora veja, estas coisas não existiam no mundo durante a maior parte da história humana, logo, é fato concreto que estes alimentos NÃO são essenciais e necessários para nosso corpo, porém, nós ainda sentimos esta vontade LOUCA de comê-los. Sim, estamos viciados. Apesar disso vale mencionar que essa vontade passa quase que magicamente se você persiste na abstinência e começa a incluir alimentos realmente nutritivos na sua dieta alimentar.

Thais Martins Santos

Psicologa da Clinlife  

CRP 04 24 638

O que me Espera em 2015?

Você já esta preparando sua lista de desejos, metas e sonhos para 2015? Se ainda não, está na hora de começar a programar o que vai conquistar em2015 a partir de agora.

Pensando nisto,preparei um exercício simples para você fazer.

Uma lista de metas, sonhos, planos e desejos da sua vida pessoal e profissional que você vai elaborar e visualizar todos os dias de agora até o fim de 2015.

É uma Técnica de Prosperidade chamada Roda dos Sonhos. Esta técnica é muito eficaz. Funciona assim:

1) Coloquem numa folha de papel suas metas, sonhos e objetivos pessoais e profissionais para o próximo ano ou 12 meses;2) Escreva tudo o que deseja: trocar de carro, viajar, mudar de emprego, arrumar namorado, casar, mudar ou comprar um casa, fazer um curso ou faculdade, emagrecer, ficar linda, prosperar, ser feliz, ter paz, etc.;3) Você acabou de pensar nos sonhos objetivos que deseja concretizar;4) Para cada sonho e objetivo, você deverá associar uma imagem ou figura. Você arruma as imagens em revistas ou na internet e imprime. Exemplos: Se deseja viajar, arrume a imagem de um avião ou o local que deseja. Quer mais dinheiro, arrume imagens de moedas ou cédulas de R$ 50,00. Um novo amor? Imagem de coração ou casal apaixonado etc.;5) Arrume uma cartolina grande. A maior que conseguir, de qualquer cor;6) Desenhe um círculo bem grande, que caiba na cartolina;7) Coloque suas metas e objetivos dentro do círculo, colocando as figuras que você já selecionou para cada sonho. Escreva no centro da Roda seu nome ou coloque uma foto sua, pois é sua energia que está nesta Roda;8) Coloque uma intenção ou energia em cada figura e meta associada;9) Coloque a Roda dos Sonhos, cartolina com as figuras, no seu quarto ou escritório, pendurado na parede, para que você olhe todos os dias e visualize o que deseja.

E agora? Mexa-se. Vá viver a vida e atrair o que deseja.

A segunda parte da Roda agora. Ou seja, planejar para executar e conquistar:

  • a)  Para cada meta ou sonho que você escolheu, estipule uma data para concretizar. Prazos são importantes;
  • b)  Planejar como vai conquistar;
  • c)  Executar;
  • d)  Conquistar;
  • e)  Usufruir;
  • f)   Agradecer por cada conquista.

Simples? Difícil?

Vai de cada um. Boa Sorte!

 

Paula Oliveira

CRP 04/34982

Psicóloga Clinlife

 

 

Encontre a motivação certa

Janeiro é, em geral, a melhor altura do ano para perder peso. As pessoas tomam grandes resoluções nas suas vidas e uma delas é cuidar da saúde, por isso, estão muito motivadas. Mas, apesar da motivação de cada um, é necessário trabalhar as razões pelas quais quer emagrecer (vontade própria, conquistar alguém e/ou arranjar emprego, entre outros) e o que vai ganhar com essa perda (saúde, autoestima e/ou amor, entre outros).

Perante tudo isto, a motivação aumenta e os resultados aparecem. No final, quando subir à balança, a satisfação será tão grande que esquecerá de imediato as privações por que passou. Afinal era só uma rabanada ou um pedaço de bolo que duravam apenas uns segundos na boca.

Uma dica interessante para não exceder no peso no Natal é partilhar as sobras da Ceia de Natal. A melhor forma de utilizar estas sobras da comida é oferecê-las a quem mais necessita. Existem instituições que necessitam do seu apoio e essa será uma ótima forma de ensinar os seus filhos a serem solidários, Quanto às caixas de bombons que se multiplicam nesta altura, ofereça  algumas e guarde uma (de chocolate preto) para comer um bombom por dia.

Para combater os excessos do Natal basta regressar ao treino o mais rápido possível e começar desde já a perder peso, os melhores exercícios são aqueles que nos fazem gastar mais calorias. A passadeira, a caminhada ou corrida na rua, a bicicleta, a elíptica ou aulas de step ou de aeróbica são bons exemplos. O ideal será treinar diariamente, pelo menos, 30 minutos. Se não tiver vontade de ir a academia a natação já pode ajudar bastante. . As caminhadas na praia também são bem válidas. Os passeios de bicicleta e a corrida na rua são boas alternativas aos espaços fechados.

É muito importante também moderar no consumo de álcool. Apesar de ter refeições livres na passagem de ano as calorias fornecidas pelo álcool são muitas e quase impercetíveis. Quanto mais beber menos noção terá de quanto está a engordar. Algumas pessoas tendem a comer mais quando bebem álcool, multiplicando assim as calorias ingeridas. Apesar de tudo, o vinho tinto será sempre a melhor opção. As bebidas que devemos mesmo evitar são as que contêm álcool e açúcar, como a caipirinha. Para reduzir a ingestão de bebidas alcoólicas na passagem de ano, opte por as beber apenas durante a refeição e/ou intercale sempre com um copo de água.

 

Junia Rodrigues

Nutricionista Clinlife

CRN 3683

 

É preciso equilíbrio!

Quando não conseguimos manter o equilíbrio das nossas emoções, nosso corpo poderá sofrer consequências e a nossa mente pode abrir portas para vários tipos de doenças.

Ansiedade, estresse, e estados depressivos são quadros que podem aparecer em pessoas que estão com depressão, sobrepeso ou em emagrecimento, mas existem muitas formas de controlar estes fatores que nos prejudicam. A prática regular de técnicas de relaxamento, meditação, yoga, entre outras, poderá nos ajudar a evitar os processos mentais que podem causar vários males.

No relaxamento há uma estreita ligação entre respiração e musculatura do corpo. Quando inspiramos e expiramos profundamente, e de forma consciente, temos o poder de relaxar os músculos do nosso corpo.

A mente acompanha esse processo, acalmando nossos pensamentos.

A visão das coisas se torna mais clara, nossos impulsos poderão ser melhores controlados, e os avisos do nosso corpo poderão ser mais facilmente percebidos. A mente estará em sintonia com nosso corpo e, assim, poderemos pensar em mudanças que restabeleçam o equilíbrio físico e mental.

“Se utilizarmos as técnicas de relaxamento como aliadas no controle da obesidade e depressão sairemos fortalecidos”.

Dessa forma, teremos mais condições de decidir adequadamente na hora de selecionar a qualidade e a quantidade do que comemos. Sem radicalismos ou cobranças excessivas, poderemos nos beneficiar do autocontrole e do relaxamento, que são uma alternativa para diminuir a ansiedade que é uma dos vilões da perda de peso.

O emagrecimento será uma consequência direta do nosso esforço consciente e equilibrado de promover mudanças que nos trarão benefícios. Se aprendermos a respirar, relaxar, dormir e comer melhor, teremos uma chance maior de dar continuidade a hábitos saudáveis, pois só fazemos por muito tempo aquilo que nos dá prazer. Devemos dosar tudo o que a vida nos oferece, selecionando e praticando o que nos faz bem, para conquistarmos plenas condições de uma vida equilibrada.

Na vida moderna é quase impossível eliminar o estresse e a ansiedade. Mas podemos mudar a nossa capacidade de reagir a ambos. Se utilizarmos as técnicas de relaxamento como aliadas no controle da obesidade sairemos fortalecidos.

O equilíbrio físico e mental nos traz bem-estar e aumenta nossa auto-estima. Poderemos ter um novo estilo de vida que se adapte melhor aos projetos que traçamos. Com visão de longo prazo obteremos benefícios duradouros para nossa saúde. Isso não é mágica. É determinação e equilíbrio de quem controla a mente em benefício do próprio corpo.

Adrielle Ferreira

Psicóloga Clinlife

CRP: 04/38423.

Ano que vem Promete !!

O ano já está no fim e aí você já cumpriu todas as promessas que fez para 2014? Para muitos, esta pergunta é sinal de decepção; para outros, de estímulo para colocar em prática no próximo ano tudo que neste não pôde ser cumprido; e para poucos, sinal de afirmação e sucesso por terem feito tudo que se propuseram.

É tradição estabelecermos a virada do ano como um marco em nossas vidas. Com o fim de um ano e início de outro, é comum pensarmos que ali se inicia uma nova etapa, como se algo mágico fosse acontecer e, de repente, todos os nossos sonhos fossem se realizar. E aí, fazemos uma lista de promessas, muitas delas impraticáveis por não serem possíveis de se cumprir em apenas 12 meses, como ficar rico; ou mesmo que não dependem exclusivamente de nossa vontade, como encontrar o amor de nossa vida; ou até aquelas que não possuímos a motivação necessária para levarmos até o fim, como fazer atividade física e emagrecer. Quantas vezes já não nos pegamos fazendo as mesmas coisas ano após ano, renovando nossas esperanças de que dessa vez será diferente?

A verdade é que levados pela emoção do momento, pela festa que se faz em torno da virada de ano, acabamos sendo pouco realistas no que nos propomos. Inicia-se bem o ano, com o “pé direito” como dizem, mas com metas tão difíceis de alcançar, a motivação dura pouco tempo, e antes do meio do caminho desistimos.

Se você pretende mudar algo em sua vida, primeiramente, não espera até o ano que vem, comece agora. Ok, agora não é possível, pois precisa se planejar, ano que vem é o ideal, pois consigo rearranjar minha rotina de forma a me favorecer. Então, planeje com carinho, como o fará.

- Comece por estabelecer objetivos a curto prazo; 12 meses é muito tempo, e com freqüência nos perdemos, é tempo demais para esperarmos algo acontecer. Então, se for fazer dieta, estabeleça metas por semana, ou por mês, o que nos leva ao passo seguinte;

- Já que são metas por semana, vamos adequá-las de acordo, estabeleça metas pequenas e possíveis de serem alcançadas nesse período, metas reais.

- Não prometa algo que não depende exclusivamente do seu esforço e dedicação;

- Conte com a ajuda de um amigo ou profissional para orientá-lo;

- Faça uma lista de benefícios que atingir aquela meta trará para a sua vida e anda sempre com essa lista com você, ela será seu ponto de apoio em momentos que pensar em desistir;

Enfim, é possível alcançar um objetivo, mas tudo é um processo, e exige persistência, paciência, autoestima e, principalmente, autoconhecimento. À medida que sabemos nossos sonhos e limites, conseguimos chegar onde quisermos.

Iana Pechir

Psicóloga Clinlife

CRP: 04/35355

 

 

 

Obesidade infantil

Causas da obesidade infantil

A obesidade infantil já é considerada o distúrbio nutricional mais comum na infância, tomando proporções muito maiores que a desnutrição.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) a Obesidade Infantil é uma “epidemia global” atingindo 39% das crianças brasileiras e este número vem crescendo assustadoramente a cada ano, diminuindo a perspectiva e a qualidade de vida desses jovens quando adultos.

A causa mais comum repousa no desequilíbrio entre o que a criança come e a energia que ela gasta.

A alimentação brasileira mais tradicional (arroz, feijão, carne, saladas, legumes e frutas) vem sendo substituída por porções ricas em calorias, quase sempre com baixo valor nutricional. E para piorar a situação, as porções dos lanches vêm aumentando assustadoramente bem como os aditivos: conservantes, sal e gorduras em geral.

Até pouco tempo as refeições hipercalóricas fartas em guloseimas eram acessíveis apenas às classes mais favorecidas o que remetia aumento de peso maior dessas crianças, hoje a realidade é outra, as classes sociais mais baixas também têm acesso a esses alimentos. Afinal, é mais simples, barato e fácil comprar e consumir biscoitos, salgadinhos industrializados, doces, lanches e refeições prontas que adquirir e preparar alimentos mais saudáveis como frutas, verduras, legumes, etc.

Outras mudanças no estilo de vida trazidas pela modernidade também estão no centro do problema. O sedentarismo aumentou.

As crianças passam mais tempo na frente do computador, televisão e do vídeo game do que se exercitando com brincadeiras na rua ou praticando uma atividade física regular, seja pela violência crescente e a insegurança, seja pelo comodismo.

O resultado do maior consumo de calorias e do aumento do sedentarismo não poderia ser outro: obesidade.

Os pais e responsáveis precisam ensinar às crianças e jovens sobre as boas escolhas alimentares, pois esse é o primeiro passo para a perda de peso. É preciso uma mudança dos hábitos alimentares e mais prática de atividade física.

Manter um bom diálogo sobre essa nova postura é urgente e necessário para preservar a saúde e a qualidade de vida desta nova geração.

Jaqueline dos Anjos de Abreu

Nutricionista Clinlife

CRN 4632

 

Nomeando sentimentos!

O autoconhecimento é o conhecimento que o indivíduo tem de si; vai muito além do simples fato de se olhar no espelho todos os dias e saber exatamente como você é externamente. É um olhar para dentro de si mesmo!

Será que realmente nos conhecemos? Sabemos quais são nossos sonhos, nossos medos, nossos desejos?

Ou será que nossos desejos se misturaram com desejos dos outros e nem mais sabemos o que realmente queremos?

Muitas vezes, sabemos reconhecer roupas, sapatos, bolsas que gostamos, mas não sabemos reconhecer dores que sentimos.

É essencial e necessário reconhecer e aceitar nossos medos, dificuldades, inseguranças.

À medida que sabemos mais a nosso respeito, mais fácil fica superar as dificuldades.

Quanto maior for nosso conhecimento acerca de nós, maior será o controle que teremos sobre nossas emoções e ações. E mais fácil será nomear nossos sentimentos.

Prestar atenção no sentimento, nas emoções e fazer o exercício de nomeá-los é importantíssimo para vida de qualquer pessoa, bem como, saber expressá-los.

 As pessoas não nascem com os sentimentos, nascem com uma predisposição, um potencial para desenvolvê-los e tomar consciência deles.

Ao longo da vida, podemos perder essa capacidade de tomada de consciência dos sentimentos à medida que cada vez menos entramos em contato com nosso mundo interno.

Vivemos em uma eterna busca externa, mas precisamos na verdade é de refazer nossa busca por nós mesmos. Descobrir onde nos perdemos, em qual momento nos deixamos de lado e fazer o caminho do recomeço.

Recomeçar exatamente do lugar onde nos esquecemos.

Como diz Carl Jung: “Sua visão se tornará clara somente quando você olhar para dentro do seu coração. Quem olha para fora sonha, quem olha para dentro desperta!”

Cristiane Froes

Psicóloga Clinlife

CRP: 35.330

A melhora postural começa na consciência!

Na correria do dia a dia e na busca de facilitar ou se manter numa posição mais confortável,  nos esquecemos da importância de mantermos em posições adequadas sejam elas em casa assistindo TV, no trabalho diante do computador, na sala de aula, dirigindo, dormindo, carregando bolsas ou mochilas pesadas ( normalmente só de um dos lados)  e até mesmo ao pararmos em pé!

Grande parte dos indivíduos, que buscam a prática de exercícios físicos, chega às academias com os famosos “desvios posturais”, dentre eles os mais freqüentes são:

 HIPER CIFOSE: Aumento anormal da curvatura das costas, o que pode deixar o individuo com aparência “corcunda”.

HIPER LORDOSE: Aumento da curvatura da coluna Lombar. Normalmente é mais freqüente nas mulheres, deixando os quadris mais aparentes.

ESCOLIOSE: curvaturas na coluna em sentido lateral.

Os desvios da coluna são extremamente sérios, pois facilitam lesões articulares e fraqueza muscular proporcionando o desenvolvimento de outras mudanças posturais anormais, como por exemplo a depressão de ombros, protrusão de ombros e alterações na posição do quadril. Portanto, para tratar ou evitar esses desvios, comece pela sua consciência corporal! Segundo Melo 1997, a consciência corporal “emerge como nível mais complexo e mais refinado na organização da noção do corpo” e nada melhor do que exercitá-la na prática de exercícios físicos que trabalham o equilíbrio, coordenação motora e força.  Os exercícios de frente para espelho podem ajudar muito, pois,  facilitará a correção postural durante a execução dos movimentos. Além disso, é necessário que o indivíduo se policie cotidianamente e procure:

- Evitar carregar bolsas ou mochilas apenas de um dos lados, tentando sempre revezar;

- Sentar com a coluna totalmente apoiada na cadeira e ombros “abertos”, evitando deixá-los jogados para frente;

- Dormir, preferencialmente de lado, com um dos travesseiros  entre as coxas;

-Em qualquer atividade diária lembrar sempre da autocorreção, seja no trabalho, caminhando, andando de bicicleta, assistindo TV e etc…

É fundamental a prática de exercícios supervisionados para fortalecer a musculatura necessária para auxilio à correção… e quanto mais cedo o tratamento, melhor!  Cuide da sua saúde… a conscientização é fundamental !!!

Camila Cardilo

Profissional de Educação Física – Clinlife

CREF: 018447-G/MG