A IMPORTÂNCIA DE UMA AVALIAÇÃO FÍSICA MINUCIOSA

Ei! Você sabia que realizar avaliações físicas, fisioterápicas e/ou ter um atestado médico, onde normalmente mede-se somente pressão arterial e faz-se uma breve anamnese não é fator determinante para iniciar a prática de exercícios físicos?! Sabe por quê?!

Porque o corpo em repouso funciona de forma totalmente diferente da sob a tensão do exercício físico.

Para atender às necessidades de um corpo em movimento diversos hormônios são liberados para orquestrar várias respostas que envolvem o coração, os vasos sanguíneos, o sistema nervoso, os pulmões, o fígado e a pele.

Portanto a circulação sanguínea, a respiração, a pressão arterial, a temperatura corporal, entre outras são afetadas.

Em virtude de todas essas situações é indispensável à realização do teste ergométrico. Pois ele irá avaliar a sua real capacidade física para iniciar os treinamentos para que não ocorram diversos eventos cardiovasculares graves, como desmaios, infarto, AVC, arritmias e morte súbita, que podem ocorrer quando é ultrapassada a intensidade de esforço máxima que poderia ser tolerada.

Lembrando que o teste não tem por finalidade o incapacitar para a prática de exercícios físicos, mas preservar seu estado funcional e instrumentalizar o profissional para uma melhor adaptação do seu treino.

Tenhamos em mente que a saúde vem antes de qualquer projeto!

 

Natália Francisca Louredo

Profissional de Educação Física

CREF 026778-G/MG

 

Quer Tanquinho ou Barriga Negativa?

Quando perguntamos a um cliente qual a região do seu corpo que mais o incomoda, é praticamente unânime que a resposta envolva o abdômen, principalmente quando o objetivo é o emagrecimento.  Sendo também , na maioria dos casos, a região que os clientes têm maior dificuldade para alcançar e perceber os resultados.

Objetivando “acabar com a barriga”, na maior parte das vezes, o cliente supõe que é necessário realizar muitos exercícios abdominais para essa região. Ele dedica horas realizando uma variedade incrível de abdominais, certo de que está caminhando no sentido do seu objetivo, e fracassa…  É muito importante que o cliente compreenda que os exercícios abdominais não contribuem para a queima calórica localizada. O que os exercícios abdominais fazem é estabilizar suas articulações para prevenir ou melhorar lesões, melhorar a qualidade muscular, a força, hipertrofia, dentre vários outros benefícios, mas eles NÃO fazem com que aquela gordurinha localizada e indesejada seja dissolvida imediatamente durante a realização dos abdominais…

Então, como fazer para obter aquele abdômen tão sonhado?

Para conquistar aquele abdômen de tanquinho, ou a famosa barriga negativa, há que se trilhar um caminho que inclui fazer abdominais sim, mas, inclui principalmente a seleção adequada de exercícios que favoreçam um metabolismo mais acelerado, e que a queima calórica seja efetiva não somente durante a realização dos exercícios, mas que essa queima continue acelerada após, garantindo maior utilização das gorduras como fonte energética em repouso. Além, é claro, da adesão a um programa alimentar adequado que também venha garantir que o déficit calórico seja negativo, ou seja, que a ingestão de alimentos seja inferior ao gasto calórico diário. Com isso você garantirá que as gordurinhas indesejadas do seu abdômem sejam queimadas e toda a musculatura que você desenvolveu nos seus programas de treinamento seja exposta e finalmente seu abdômem ficará de cara nova!!!!

 

Isabel Cristina

Profissional de Educação Física Clinlife

CREF.: G/MG 19.464

 

Você tem tensão no pescoço?

Você sente peso sobre os ombros? Balança a cabeça em várias direções tentando aliviar algo, porém não alivia? Sente alguma dor no pescoço ou nas costas chegando até irradiar para os braços? Sente fortes dores de cabeça devido a peso nas costas? Se alguma resposta for sim esse texto é pra você.

Uma das queixas mais relatadas pelas pessoas atualmente são as famosas tensões no pescoço, que muitas das vezes irradiam sobre os ombros e costas, podendo até ser acompanhado de uma cefaleia tensional (dor de cabeça devido a tensão excessiva no pescoço com ou sem irradiações), mas por que sofremos com essas dores constantemente? Quais as consequências dessas dores? O que fazer para melhorar?

Nossa cabeça é naturalmente pesada, exigindo uma tensão constante dos músculos que a sustenta, as dores surgem a partir da sobrecarga excessiva aplicada sobre essa região, demandando mais tensão sobre os músculos e articulações, diminuindo assim o fluxo de sangue local. Existem alguns fatores comuns que levam o surgimento dessa sobrecarga:

- Má postura causada por diversos fatores, basicamente pela adaptação do seu corpo a sua rotina diária.

- Atividades diárias que exigem muita concentração por longos períodos, onde até se tensiona fortemente os olhos para uma maior concentração;

- Permanecia na mesma posição por longos períodos do dia;

- Má posição ao dormir, utilização de colchão e travesseiros inapropriados (colchão muito mole, ou muito duro, travesseiro muito alto ou muito baixo);

- Movimentos repetitivos;

- Fatores emocionais, principalmente o estresse, dentre outros fatores.

Contudo, a sobrecarga pode também já estar associada a alguma patologia crônica, ou simplesmente acarretar o surgimento de diversas disfunções como:

- Osteoartrose: desgaste da articulação

- Desvio postural, seja da cervical, ombros, e/ou escapulares;

- Desequilíbrio muscular, sejam eles por fraqueza, encurtamento ou rigidez, por lesão muscular, articular ou ligamentar, ou por compressão de raízes nervosas do pescoço.

- Trigger points (Pontos-Gatilho): nódulos sensíveis e palpáveis que podem produzir dores locais e irradiadas, causando perda de força e flexibilidade muscular, compensações musculares.

- Hérnias discais

- Dores ciáticas

- Dores carpais

- Cefaleia tensional, dentre outros.

Entretanto é de suma importância buscar a causa da sobrecarga juntamente com o profissional de Educação Física, Médico Ortopedista e Fisioterapeuta, realizando avaliações posturais, testes de força, de flexibilidade, e exames de imagem para se ter um diagnóstico preciso e assim dar sequência ao tratamento correto dessa tensão.

Talita Ribeiro
Profissional de Educação Física Clinlife
CREF: 022819G/MG

Te amo porque preciso de você ou preciso de você porque te amo?

Está é uma pergunta que poucas pessoas se fazem, até mesmo por achar que a troca de lugar das palavras não altera muita coisa. Mas para as pessoas mais atentas a diferença é gritante, pois de um lado temos a escolha e do outro a dependência. Nestes casos a dependência é denominada como emocional. A dependência emocional acontece quando uma pessoa acredita necessitar do outro para ser feliz, para se sentir bem, para se sentir amada, para tomar suas próprias decisões. Estas características têm gradações afinal não vivemos isolados no mundo.  Pode ser um sofrimento leve e quase imperceptível ou até um transtorno mental que exige tratamento. O começo da mudança acontece quando a pessoa consegue perceber e valorizar. Como diz Osho: “Se você é capaz de ser feliz quando está sozinho, você aprendeu o segredo de ser feliz”.

Alguns sinais de uma pessoa dependente emocionalmente:

  Não consigo / Não mereço

 A crença que gera a  sensação de não conseguir ou não merecer, podem se fazer presentes nas seguintes situações:  tomar decisão sem ter alguém para lhe dar dicas, achar que não merece uma oportunidade, não ir ao médico sem acompanhante, não vestir uma roupa sem questionar se sua amiga usaria a mesma coisa, considerar que qualquer objeto de luxo jamais lhe ficaria bem, etc.

   Influencia do sentimento de culpa

 É possível que o dependente emocional não tenha recebido em sua formação oportunidades de treinar a independência. Pais que super protegem podem passar, inconscientemente, a informação de que o filho é incapaz  de escolhas ou decisões, e que nunca conseguirá fazer nada sozinho. Há várias formas de proteção que podem atrapalhar o desenvolvimento da independência, uma delas pode ser o costume de fazer tudo pelo filho, arrumar seu quarto, guardar seus brinquedos, não dar nenhuma responsabilidade a ele, etc.

Pais que consideraram o filho frágil também poderão passar, mesmo que não tenham a intenção, a mensagem de que  jamais conseguirão, e nem merecem, realizar coisas bacanas em suas vidas podem colaborar para a formação um futuro adulto “muito humilde” ou neste caso um dependente emocional, que precisará constantemente de pessoas que lhe digam que fazer como por exemplo: Iniciar amizades, paquerar, compras, cursos interessantes, uma carreira de alto nível, etc.

  Personalidade dependente

 Haverá casos onde os pais não tiveram participação nesta dependência emocional, mas por características de personalidade da própria pessoa ela terá comportamentos dependentes. Ainda assim pode haver formas de mudar estes pensamentos limitantes.

 Amigos mantêm a dependência?

 Acredito que não haja nada mais reconfortante do que ter um amigo com quem podemos contar e que conta também conosco. Mas, às vezes, ser sempre o “ponta firme” do amigo pode contribuir para a manutenção da dependência emocional. Se o dependente emocional não usar as oportunidades oferecidas pela vida, mesmo que aos poucos, para colocar suas opiniões e desejos pode manter esta dependência, pois a cada ajuda recebida pode vir a informação de que ele não consegue realizar as coisas por si mesmo.

Thais Martins Santos

Psicologa da Clinlife

CRP 04 24 638

Alimentos que ajudam a driblar a TPM

Depressão, cansaço, irritação. Tudo fica mais difícil. Em maior ou menor intensidade a tensão pré-menstrual afeta a maioria das mulheres. Saiba como a alimentação pode ajudar você a enfrentar melhor esse período.

CAUSAS: Ainda não são totalmente compreendidas, mas acredita-se que tenham a ver com as oscilações nos níveis de estrogênio e progesterona.

A IMPORTANCIA DA ALIMENTACAO:

Hoje em dia sabe-se que os sintomas relacionados à TPM podem ser minimizados com uma alimentação saudável e equilibrada. Durante este período:

  •  Prefira alimentos integrais como grãos (soja, lentilha, feijão), cereais (aveia, cevada), arroz e pães integrais. A semente de linhaça também  pode ser útil para ajudar o intestino e pode ser ingerida (uma colher de sopa) com 150 ml de água ou suco diariamente. Triture a semente de linhaça no liquidificador e guarde num recipiente com tampa.
  • Alimentos a base se soja também são benéficos devido à presença de fitoestrógenos que podem aliviar os sintomas como dor nas mamas.
  •  Leite e derivados, vegetais verde escuros também são importantes por serem ricos em cálcio.
  • Evite sal para não piorar a retenção hídrica (inchaço), cafeína e álcool. Abuse de alimentos diuréticos como salsinha, salsão, alcachofra e vegetais amargos como mostarda e almeirão.
  • Procure ingerir bastante líquidos.
  • Alimentos ricos em vitamina B6 também são úteis, pois aliviam os sintomas emocionais. Alguns exemplos são: gérmen de trigo, banana, nozes, pimentão, aveia, couve-flor, brócolis, leite e ovos.
  • A vitamina E e os ácidos graxos Omega 3 encontrados nos peixes de água profunda (salmão, sardinha) e nas frutas oleaginosas (nozes, avelã) são indicados para aliviar dores nas mamas e estresse.

Nesse período as mulheres freqüentemente sentem mais vontade de comer doce. Opte pelas frutas secas (passas, uva passa, damasco) ou barras de cereais com chocolate. Não deixe de praticar atividades físicas que levam à produção de endorfinas as quais diminuem a ansiedade e ajudam a melhorar o humor.

Juliana Castilho

Nutricionista Clinlife

CRN 4524

Melhore seus resultados treinando menos!!!!

Quando pensamos em iniciar um programa de treinamento muitas vezes achamos que o mais importante é treinar com um volume alto, ou seja, treinar todos os dias ou realizar sessões que duram horas e horas… Muitas vezes ficamos tão cansados devido à sobrecarga que começamos a faltar nas sessões, a essa resposta do nosso organismo chamamos de over training. Quando estamos nesse estado, não temos disposição para nada, inclusive para as atividades cotidianas, então começamos a nos punir porque não estamos conseguindo treinar com a mesma frequência que iniciamos. Isso ocorre porque o grau de sobrecarga foi tão intenso que nosso organismo tem dificuldade para se recuperar e começa a tomar várias medidas para “economizar energia” como por exemplo, diminuir o metabolismo. Nesse momento o cliente não consegue entender porque está treinando tanto e não consegue obter os resultados desejados. Tão importante quanto treinar, é descansar. Quando não descansamos adequadamente, nosso organismo entra em alerta e libera hormônios que não favorecem o EMAGRECIMENTO e nem o ganho de MASSA MUSCULAR.

A frequência é o mais importante quando falamos de exercícios físicos, pois quando estamos frequentes o risco de lesões diminui e o nosso organismo se torna condicionado a aqueles estímulos propostos, possibilitando evoluções. Mas não adianta treinar três dias exaustivamente e ficar vários dias na inatividade, pois além da possibilidade de lesionarmos, da ocorrência de over training, prejudicamos o processo de adaptação e as progressões dos exercícios.

O ideal é que nos organizemos para manter a frequência EQUILIBRADA. Uma boa estratégia é ESCOLHER os dias e o horário criteriosamente para evitar SABOTAGENS e a infrequência.  Lembre-se: o mais importante quando falamos em resultados é a FREQUÊNCIA, pois seu personal pode criar o melhor programa de treinamento para você, porém se não for EXECUTADO da maneira adequada, de nada adiantará. Se você quer RESULTADOS, seja um cliente frequente nas sessões de treinamento, você verá a diferença!!!! Garanto!!!

Isabel Cristina

Profissional de Educação Física Clinlife

CREF.: 19.464 G/MG

Você conhece o Treinamento Funcional?

O treinamento funcional são tipos de exercícios que se englobam várias musculaturas e podem ser direcionado para variados tipos de metas. Emagrecimento, flexibilidade, força, equilíbrio, aperfeiçoamento de um determinado movimento, reforço articular, ganho de massa magra, definição muscular, melhorar a performance em um esporte, etc. São muitos os benefícios que o treinamento funcional oferece.

Esse tipo de treinamento se baseia em movimentos naturais que uma pessoa pode fazer como; pular, deitar, levantar, correr, girar, puxar, empurrar e pode ser praticado por todo tipo de pessoa. Essa prática deve ser respeitada a individualidade de cada pessoa, se o indivíduo possui alguma dor articular ou possui alguma patologia. Sendo assim, é uma ótima opção para quem quer fugir do ambiente de musculação e conseguir ótimos resultados.

Os exercícios podem ser feitos com diversos equipamentos. Colchonetes, cordas, cones, bancos, halteres, bolas, caneleiras, bozú, elásticos, discos de equilíbrio, pranchas de propriocepção, etc. Os exercícios funcionais podem ser feitos também com o próprio corpo como intensidade para o exercício. Ou seja, você usa a resistência do próprio corpo para influencia a intensidade do exercício. Algumas pessoas, podem até adaptar vários equipamentos em casa ou no local onde preferir fazer exercício. Basta ter criatividade.

Vale à pena experimentar esse tipo de treinamento. Procure um profissional de Educação física habilitado para prescrever o treinamento para você ou veja se tem alguma aula coletiva de treinamento funcional perto da sua casa. E lembre-se, sempre procure um médico antes de começar qualquer exercício físico. Ele vai verificar se você esta apto a fazer a atividade desejada.

Richardson Siqueira

CREF 01838-7

Profissional de Educação Física Clinlife

O intestino e as emoções

Alguma vez você teve uma experiência “angustiante”? Sente “náuseas” em determinadas situações? Já sentiu “borboletas” no estômago? Você já teve prisão de ventre ou diarreia quando estava estressado ou nervoso?

A explicação para isso está em que  a região gastrointestinal é sensível às nossas emoções: raiva, ansiedade, tristeza, alegria – todas estas emoções e outras podem manifestar-se a partir do intestino.Isso acontece porque o intestino tem seu próprio sistema nervoso, que está ligado ao cérebro através de ramificações.

Por isso, quando a pessoa sente alguma emoção forte, ela pode ter problemas no funcionamento intestinal, como diarréia, constipação, gases, síndrome do intestino irritável, dor abdominal ou até mesmo úlcera.

O cérebro tem um efeito direto sobre o estômago, como o fato de pensarmos em comer pode libertar sucos no estômago antes das refeições chegarem lá, por exemplo. E esta ligação pode acontecer nos dois sentidos. Em outras palavras, um intestino perturbado pode enviar sinais para o cérebro, tal como o cérebro perturbado pode enviar sinais para o intestino. Portanto, estômago ou intestinos perturbados podem ser a causa ou o resultado da ansiedade, de stresse, ou de depressão. Isto porque o cérebro e o sistema gastrointestinal estão intimamente ligados – tão intimamente que deve ser visto como um sistema.

Com certeza, poderemos lembrar-nos de determinadas situações de desconforto gastrointestinal sem uma causa física óbvia. Por isso, por vezes, é difícil tentar curar um intestino angustiado, sem considerar o papel do stresse e da emoção.

Dada a proximidade da interação entre o intestino e o cérebro, é mais fácil perceber porque é que poderemos sentir náuseas antes de fazer uma apresentação ou sentir uma “dor de barriga” durante períodos de stresse. No entanto, isto não significa que as doenças gastrointestinais são imaginadas ou “tudo na sua cabeça”! Os fatores psicossociais influenciam a fisiologia real do intestino, bem como os sintomas.

 Assim sendo, o stresse (ou depressão ou outros fatores psicológicos) pode afetar o movimento e as contrações do trato gastrointestinal, causando inflamação ou torná-lo mais susceptível à infecção.

Além disso, estudos sugerem que algumas pessoas com distúrbios gastrointestinais têm a percepção de uma dor mais aguda do que as outras pessoas. Isto porque os seus cérebros não regulam adequadamente os sinais da dor a partir do trato gastrointestinal. E, assim, o stresse pode fazer a dor existente parecer ainda pior.

Com base nestas observações, podemos esperar que, pelo menos, alguns indivíduos com condições gastrointestinais específicas podem melhorar com a terapia para reduzir o stresse ou lidar com a ansiedade ou a depressão.

Thais Martins Santos

Psicologa da Clinlife

CRP 04 24 638

AJUDE A SUA LIBIDO!

A falta de libido ou desejo sexual afeta significativamente os casais. Quando um dos parceiros não sente desejo por sexo, desencadeiam-se problemas no relacionamento amoroso, pois o outro sente-se frustrado e pode pensar que ele é o causador.

Um estilo de vida sedentário, ingestão excessiva de bebidas alcoólicas, drogas e uso do cigarro também acarretam problemas na vida sexual, incluindo a diminuição do desejo, pois alteram o metabolismo hormonal.

Tanto homens como mulheres têm relatado aumento significativo na libido e desejo sexual, aumento de energia, vigor e sensação de bem-estar geral.

Além de estimular a produção de hormônios pelo organismo, a raiz também é muito nutritiva, repleta de vitaminas, esteróis de plantas, muitos minerais essenciais, aminoácidos e gorduras saudáveis.

Recentemente a planta ganhou publicidade mundial após alguns estudos apontarem que a erva pode aumentar a resistência do sexo masculino durante o ato sexual. A erva está ficando cada vez mais popular em todo o mundo, particularmente nos os EUA, Europa e Japão como um suplemento dietético para reforçar a vitalidade.

Pesquisadores concluíram que a planta não tem potencial de toxicidade, podendo considerar o seu uso em longo prazo como suplemento alimentar.

Grávidas também podem suplementar esta erva! Porém a indicação de uso é apenas durante o terceiro trimestre da gravidez. A Maca-Peruana mantém os níveis de progesterona alta e os hormônios em equilíbrio. A grande quantidade de sais minerais, aminoácidos e vitaminas na raiz também a tornam um suplemento pré-natal nutricional.

Pessoas com qualquer condição de doenças crônicas, doenças hepáticas (como insuficiência hepática, cirrose ou hepatite), doenças renais (como insuficiência renal) e alergias (alergias a alimentos, corantes e conservantes) devem utilizar a maca se não houver tais contra-indicações. A planta é encontrada para compra em forma de cápsulas (Maca cápsulas) ou em pó (Maca em Pó).

Logo, é importante avaliar as diversas possibilidades e então solucioná-las. Existem pesquisas que comprovam a eficácia de alguns alimentos que podem ajudar no tratamento de deficiências hormonais, sendo talvez a melhor alternativa natural para injetar hormônios externos no corpo.

Uma boa e nova opção é a maca peruana, uma planta medicinal que se assemelha a um nabo e cresce nas montanhas andinas do Peru. A raiz da planta é seca e utilizada em pó há mais de dois mil anos para combater a fadiga e agir como um estimulante sexual, apesar de que diretamente não age no sistema nervoso central. Não contém cafeína, como guaraná e café, por isso não afeta o sistema nervoso central.

Tanto homens como mulheres têm relatado aumento significativo na libido e desejo sexual, aumento de energia, vigor e sensação de bem-estar geral.

Além de estimular a produção de hormônios pelo organismo, a raiz também é muito nutritiva, repleta de vitaminas, esteróis de plantas, muitos minerais essenciais, aminoácidos e gorduras saudáveis.

Recentemente a planta ganhou publicidade mundial após alguns estudos apontarem que a erva pode aumentar a resistência do sexo masculino durante o ato sexual. A erva está ficando cada vez mais popular em todo o mundo, particularmente nos os EUA, Europa e Japão como um suplemento dietético para reforçar a vitalidade.

Pesquisadores concluíram que a planta não tem potencial de toxicidade, podendo considerar o seu uso em longo prazo como suplemento alimentar.

Grávidas também podem suplementar esta erva! Porém a indicação de uso é apenas durante o terceiro trimestre da gravidez. A Maca-Peruana mantém os níveis de progesterona alta e os hormônios em equilíbrio. A grande quantidade de sais minerais, aminoácidos e vitaminas na raiz também a tornam um suplemento pré-natal nutricional.

Pessoas com qualquer condição de doenças crônicas, doenças hepáticas (como insuficiência hepática, cirrose ou hepatite), doenças renais (como insuficiência renal) e alergias (alergias a alimentos, corantes e conservantes) devem utilizar a maca se não houver tais contra-indicações. A planta é encontrada para compra em forma de cápsulas (Maca cápsulas) ou em pó (Maca em Pó).

Juliana Castilho

Nutricionista Clinlife

CRN 4524

 

Saiba como derreter sua gorduras parado!

 

Você sabia que pode perder gorduras parado? Sim! É verdade! Isso é possível através de algo que se chama EPOC. Mas o que é isso? EPOC significa Excesso de Consumo de Oxigênio Após o Exercício. Quando realizamos os exercícios, nosso corpo precisa restabelecer o estado de equilíbrio (Homeostase) pois sofreu um “estresse” (danos teciduais, microlesões) e, durante essa recuperação, nosso organismo passará por vários efeitos no intuito de se restabelecer, e precisará de uma quantidade superior de oxigênio.

Sabe-se que o EPOC após a musculação pode variar de 36 a 48 horas, e que quanto maior a quantidade de músculos no corpo, maior será o gasto energético em repouso (repouso é qualquer atividade exceto o exercício). O EPOC dos exercícios aeróbicos contínuos de intensidade baixa duram em torno de 1 hora, enquanto os aeróbicos intervalados de alta intensidade duram em torno de 15 horas (sendo que a intensidade varia entre as pessoas, a isso se dá o nome de individualidade biológica).

Porém, os melhores resultados alcançados com relação à diminuição do percentual de gordura se dá através do treinamento concorrente, ou seja, a associação do exercício de força e os aeróbicos. Onde o exercício de força garantirá que seu metabolismo permaneça alto, que as articulações sejam preservadas, que a postura melhore, que os níveis de força e qualidade muscular aumentem ou melhorem, que lesões sejam tratadas e/ou prevenidas. Já os exercícios aeróbicos, melhorarão os marcadores bioquímicos (HDL e glicose por exemplo) e o desempenho do sistema cardiovascular (VO2 de Pico), ou seja, você terá mais resistência para tolerar os exercícios aeróbicos, seja em tempo, distância percorrida e intensidade além de melhorar sua saúde!

Portanto musculação e exercícios aeróbicos de alta intensidade favorecem o EPOC e a elevação do seu metabolismo. Com o metabolismo elevado, você mobilizará mais gorduras pois você necessitará de mais energia para realizar as mesmas atividades cotidianas e, vc começará a derreter suas gorduras parado. Isso não é fantástico? Gastar calorias durante os exercícios é maravilhoso e, muitas vezes sentimos que estamos emagrecendo enquanto realizamos os exercícios, mas, o principal benefício acontece durante sua recuperação. Se vc estiver inserido num programa alimentar adequado é nesse momento que vc realmente derreterá suas gorduras!!! 

Isabel Cristina

CREF 19.464 G/MG

Profissional de Educação Física Clinlife