Alimentando o corpo e o coração…

 

Você alimenta seu corpo e seu coração na mesma proporção?

Ou dá mais atenção a um do que ao outro?

Alimentar o corpo é dar a ele energia, possibilidade de se manter de pé. Para isso, ouvimos falar e falamos tanto em alimentação saudável, rica em proteínas, vitaminas, fibras, dentre tantas outras coisas, que vão possibilitá-lo não somente hoje, mas no futuro estar bem.

E se alimentando de modo saudável você irá possibilitar que o órgão coração também fique bem, quanto isso não há sombra de dúvidas.

Então o que é alimentar o coração?

O coração é também aquele que é afetado pelas emoções, através de nossas experiências. Quando os sentimentos de raiva, medo, ansiedade, tristeza, angústia, felicidade, confiança, paixão, compaixão, amor, todo e qualquer sentimento existente, que o ser humano experimenta, esses promovem mudanças orgânicas, que podem contribuir para o vigor ou esgotamento do órgão.

As nossas emoções nascem no cérebro. O processo de se emocionar com algo tem algumas etapas e tem a ver com os órgãos dos sentidos, as reações são desencadeadas no nosso sistema nervoso central, as informações são enviadas ao cérebro e ele dá um significado a essas informações e aí são gerados os processos emocionais, sendo assim o nosso coração sente.

Alimentar o coração é dar especial atenção às emoções que nos fazem bem e buscar formas de lidar com as que nos causam mal-estar.

Quando nos deparamos com sentimentos ruins, uma das melhores coisas a fazer é tentar resolver o que nos incomoda, seja conversando, mudando de atitude, dando tempo ao tempo, enfim, “eliminar” o que não é bem-vindo.

Quanto aos bons sentimentos, esses fortalecem o nosso coração, por isso a importância de nos aproximarmos e fazer bem uso deles em nossas vidas.

Vamos alimentar nosso corpo e nosso coração com o que nos faz bem!

 

Fernanda Dias Borges

Psicóloga Clinlife

CRP 04/27335

NA MEDIDA CERTA! Saiba a importância de dosar corretamente cada alimento

É muito comum as pessoas que desejam emagrecer cortarem um monte de alimentos, comprarem as versões diet/light, usarem alimentos integrais e mesmo assim o resultado não vem. Onde pode estar o problema?

 

Quando você esteve pela primeira vez na sua nutricionista deve se lembrar que ela lhe perguntou o que você costuma comer no dia-a-dia. Essas informações são de grande ajuda. Nesse momento o profissional analisa tanto a qualidade do que se come  quanto a quantidade.

 

E muitas vezes o problema está aí, na quantidade!!!

É muito comum escutarmos a seguinte frase: “eu não como muito, não sei por que engordo.”

 

Será que realmente não come muito? Será que a quantidade que você come está de acordo com seu objetivo que é emagrecer?

 

Será que fruta, aveia, pão integral por mais que sejam saudáveis podem ser consumidos livremente?

 

Cada vez tem ficado mais claro que as pessoas estão aumentando as quantidades de tudo que comem.

 

Bons exemplos são a pipoca e o refrigerante. Há uns anos atrás a pipoca era servida em saquinhos e agora em balde!!!! E o refrigerante que era de 1 litro agora passou a ser vendido em pet de 2 litros. E isso acompanhado de um incentivo a levar o maior tamanho, pois sai mais em conta.

 

Portanto, esteja atento a rodízios, delivery, promoções e qualquer situação que te leve a exceder. Em questão de emagrecimento com saúde deve-se estar atento não só a qualidade, mas também a quantidade.

 

Juliana Castilho

Nutricionista Clinlife

CRN4524

 

A Reserva Cognitiva e a Qualidade de Vida

A tecnologia vem avançando a passos largos na área médica e com isso  elevado a expectativa de  vida das pessoas.  Entretanto, com o envelhecimento da população, doenças neurodegenerativas e as demências, como a Doença de Alzheimer, Parkinson, entre outros tem se apresentado cada vez mais freqüentes.

Nos últimos anos, as neurociências apontam que é possível desenvolver e  manter uma reserva cognitiva que adiaria os sintomas dos quadros degenerativos e do envelhecimento.

Esta reserva é formada por elementos tais como: capacidade de raciocínio, velocidade na tomada de decisões, disponibilidade da memória, entre outras funções.

 Mas estão o que é mesmo esta tal reserva cognitiva?

A Reserva Cognitiva é a capacidade do cérebro de armazenar por períodos prolongados as habilidades que foram adquiridas ao longo da vida, retardando e por vezes evitando o surgimento de sinais do envelhecimento e até mesmo os sintomas clínicos mais significativos no início dos quadros de adoecimento.  Sabe-se que as doenças neurodegenerativas são progressivas; no entanto a Reserva Cognitiva permite que o progresso da doença seja bem mais lento do que o em casos que este recurso foi pouco desenvolvido ou até mesmo explorado.

Frente a esta descoberta ter ciência de como desenvolver a sua reserva cognitiva se torna de relevância significativa. O grau de escolaridade, além da capacidade intelectual, o tipo de trabalho que a pessoa realizou durante a vida contribui para o desenvolvimento da Reserva Cognitiva.  Quando um indivíduo se envolve em uma tarefa desafiadora, cria-se uma série de conexões entre os neurônios, e essa estimulação neuronal, desenvolve e aprimora, a médio e longo, a Reserva Cognitiva.

Aspectos do estilo de vida podem estimular a Reserva Cognitiva, tornando o cérebro mais resistente, como o nível educacional, os exercícios físicos, as atividades de lazer e os relacionamentos sociais.

Mas não é preciso esperar detectar os sinais de dificuldades para começar a estimular a Reserva Cognitiva.  
A estimulação deve começar o mais cedo possível sendo a infância o ponto de partida, quando se incentiva as crianças aos desafios próprios para sua idade, através de jogos, brincadeiras, prática de esportes, motivá-las para a leitura e a cultura no geral. Ensinar às crianças hábitos mais saudáveis, fará com que na fase adulta elas tenham escolhas saudáveis, criando uma Reserva Cognitiva capaz de oferecer Qualidade de Vida na maturidade.

Apesar disso nunca é tarde para se começar e quando a  maturidade chega,  é importante que as atividades cognitivas sejam mantidas o máximo possível, pois o cérebro continua a ser estimulado continuamente e a Reserva Cognitiva  é preservada.

Essas novas descobertas lançam mais luz na importância da Reserva Cognitiva para manter nossos cérebros saudáveis em qualquer idade. À medida que envelhecemos, aumenta nosso risco de declínio cognitivo, ou seja, a velocidade de raciocínio e memória devem naturalmente diminuir na maioria de nós. Então, é importante e até imprescindível mantermos um estilo de vida saudável e o cérebro constantemente estimulado, como por exemplo, através de um treinamento sistematizado. Esse é o melhor remédio, e que não tem contra-indicação, para garantir a qualidade de vida ao longo dos anos.

 

Thais Martins Santos

Psicóloga da Clinlife

CRP 04 24 638

Síndrome do Pensamento Acelerado – SPA -

Sabe aquelas noites em que você se deita para dormir e um milhão de pensamentos transita pela sua mente? Quando você fica parecendo uma minhoca na areia quente se virando de um lado para o outro na cama preocupado com as atribuições do cotidiano? Pois este é um sinal de alerta. Você pode ter a Síndrome do Pensamento Acelerado.

A Síndrome do Pensamento Acelerado atinge principalmente, pessoas adultas que trabalham em locais que exigem atenção e concentração constantes, nos quais é preciso lidar com metas e prazos e que estão aliados a uma série de responsabilidades e compromissos. Apesar da prevalência nos adultos, já percebe-se vários sinais desta síndrome em crianças e a cada vez mais novas.   A Síndrome do Pensamento Acelerado é caracterizada por pensamentos recorrentes principalmente durante a noite que perturbam a qualidade do sono. Na SPA uma gama de pensamentos estão rondando a mente e o individuo não consegue deixar de se preocupar com eles naquele momento, nem manter sua atenção fixa neles. A SPA não está relacionada apenas com a quantidade de conteúdo, mas principalmente com o ritmo que eles assumem. Um pensamento é substituído pelo próximo, sem que eles sejam devidamente processados, o que inviabiliza o descanso emocional e psíquico.

Podemos atribuir a crescente ocorrência da síndrome à quantidade de informações que recebemos diariamente das mais diversas formas. Esse excesso propicia o desenvolvimento de novas doenças e condições mentais que estão diretamente relacionados com o nosso atual estilo de vida.

A imensa quantidade de informação às quais somos submetidos a todo o momento é responsável pela sobrecarrega do cérebro e saturar o córtex, causando hiperatividade e impaciência. Na atualidade é freqüente as pessoas estarem, diante da tela do computador, realizando alguma tarefa e concomitantemente, o navegador ter várias outras abas abertas: Facebook, Twitter, YouTube, ou mesmos um portal de notícias… e junto a tudo isso  o  celular vibrando com algumas mensagens e grupos de  Whatsapp que não deixam você em paz.Sem contar as outras preocupações em sua mente  que oportunizam a criação de um série de pensamentos que se relacionam e que exigem grande dedicação das funções cerebrais. Desta maneira esta projetado o cenário propício para a Síndrome do Pensamento Acelerado.

Dentre os sinais que caracterizam esta síndrome devemos mencionar sensação persistente de apreensão, dificuldade de memória, déficit de concentração, fadiga, irritabilidade e sono alterado. O indivíduo tem dificuldade de se concentrar e de realizar uma tarefa sem interrompê-la inúmeras vezes. Outro ponto importante é a sensação constante de que 24 horas não são suficientes para realizar todas as atividades que necessita.

Este quadro tem como conseqüência um esgotamento mental que também é convertido em cansaço físico, pois a alta atividade cerebral acaba exigindo energia de outras áreas, como músculos e na manutenção de outros órgãos.

As pessoas que apresentam essa síndrome possuem a consciência de que é necessário reduzir a velocidade de seus pensamentos, mas não consegue reduzir a intensa atividade à qual está submetido.

De acordo com a psiquiatra Elisa Brietzke, coordenadora do PRISMA (Programa de Reconhecimento e Intervenção em Estados Mentais de Risco) da Unifesp, a Síndrome do Pensamento Acelerado não é uma doença, mas um sintoma: “Geralmente está vinculada a um quadro de transtorno de ansiedade.”

Neste sintoma, geralmente esta associado a um quadro de transtorno de ansiedade que provoca a liberação de neurotransmissores como a adrenalina, ocasionando a ativação de uma série de circuitos cerebrais. Além de que  a ansiedade reduz temporariamente o fluxo sanguíneo no cérebro, o que dificulta a inibição da hiperatividade cerebral que desaceleraria os pensamentos.

Os efeitos da Síndrome do Pensamento Acelerado são potencializados em situações específicas, como durante o sono e situações de ócio, quando não há distrações e ficamos a mercê de nossos próprios pensamentos.

Thais Martins Santos

Psicóloga da Clinlife

CRP 04 24 638

Um dia de cada vez

Diante das inúmeras adversidades do cotidiano, a cada dia que passo, vejo as pessoas mais ansiosas e com mais dificuldade para viver o momento presente.

É fato que esse tipo de ansiedade não tem sido muito produtivo e pelo contrário, vemos cada vez mais as pessoas se adoecendo diante de seus dilemas, dificuldades, surpresas e maravilhas.

A cada dia somos convidados a rever ou até mesmo re-significar os desejos mais íntimos  surgem, justamente, a partir de nossas lutas e forças internas. Mas nem todas as pessoas estão atentas a esse convite e na ansiedade do que esta por vir se esquecem que o dia de hoje, era o amanhã de ontem, e que como tal foi muito investido com expectativas e sonhos.

Esta re leitura do contexto oportuniza viver a realidade diária, tendo como bússola a compreensão da experiência com significado, do empenho individual e de acordo com as potências e possibilidades mais íntimas e verdadeiras do ser.

Porque viver um dia de cada vez, requer dar VOZ e ESPAÇO a  ‘esperança’, apesar de tantas dificuldades e situações cotidianas reais, que  impõem o silêncio aos desejos. E não são desejos apenas, mas sim a força que motiva a viver pois,  são contextualizados em experiências de vida.

A consciência do que se deseja, apesar dos caminhos às vezes difíceis de serem seguidos,  traz a alegria de desejar, de esperar e de poder alcançar. E essa sensação tem a força  para enfrentar  o medo e o desespero.

Viver um dia de cada vez, seria então parte do próprio processo de descobertas de que mobiliza, e que  impulsiona a sentir se  vivo.

Este processo permitir que o desejo não seja amordaçado,  diante das feridas e cicatrizes da vida. Afinal  a resiliência, é uma habilidade que depende do tempo individual de elaboração interna e sem julgamentos, é criar para si mesmo novas formas de vida e de estar no mundo.

Ao dar vida as novas formas de caminhar e quem sabe até criar novos caminhos é, expressar a potência da vida, ampliando as possibilidades de nossa essência. Possibilidades essas que colocam em cheque  normas e regras, frequentemente, são tão opressoras.

Portanto viver um dia de cada vez pode ser, re-significar os sofrimentos e também dar chances, apesar das lágrimas, de contaminar-se pela alegria diante de simples ações cotidianas, como, por exemplo, receber um abraço amigo.

O que a vida vem ensinando a partir deste ponto de vista, é que  viver um dia de cada vez, diz  sobre aquilo que EU QUERO, mas também  sobre aquilo que EU POSSO, ou seja, daquilo que sou CAPAZ diante da minha singularidade.

Thais Martins Santos

Psicóloga da Clinlife

CRP 04 24 638

ADOÇANTES: A DOSE CERTA!

Os adoçantes são seguros se utilizados na dose correta, de forma não exagerada. Como eles possuem um poder de doçura maior que do açúcar, pequena quantidade é o suficiente para dar sabor a alimentos e bebidas. Deve ficar claro também que as crianças não devem usá-los: a lactose presente no leite e a frutose das frutas e sucos garantem um bom suprimento de carboidratos às crianças.

 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) sugere uma quantidade limite de ingestão dos adoçantes artificiais, sendo que o cálculo deve ter o parâmetro do peso corporal da pessoa. Abaixo, as recomendações máximas diárias de acordo com a OMS:

 

RECOMENDAÇÃO MÁXIMA DE ADOÇANTE (OMS):

Para obter o valor máximo diário recomendado, basta multiplicar o valor abaixo pelo seu peso.

 

EDULCORANTE

LIMITE (mg/Kg)

Acessulfame-k

15

Aspartame

40

Ciclamato

11

Sucralose

15

Sacarina

5

Stévia

5,5

Xylitol, Manitol, Sorbitol

15

 

Dessa forma, uma pessoa que pesa 70 kg pode consumir 2800 mg de aspartame. Isso mostra que o adoçante para ser tóxico ao organismo não se deve consumir muitos litros de refrigerante ou iogurte light.

 

Exemplo:

01 copo (200 ml) de coca cola zero tem 48 mg de ciclamato de sódio, 30 mg de acessulfame de potássio e 12 mg de aspartame. Ou seja, para chegar a ser tóxico;  uma pessoa de 70 kg tem que tomar mais de 233 copos de coca cola!

 

Não tenha receio de usar adoçante! O importante é consumir com moderação!

SAIBA UM POUCO MAIS SOBRE OS ADOÇANTES:

 

CICLAMATO

 

É um adoçante sintético, não calórico. Apresenta um sabor próximo ao do açúcar, mas com residual amargo. É um dos adoçantes mais baratos do mercado e é muito utilizado pela indústria, principalmente de refrigerantes dietéticos. Deve ser evitado por hipertensos, já que costuma aparecer na forma sódica, ou seja, combinado com sódio.

 

SACARINA

 

Adoçante artificial não calórico. Sozinha, em altas concentrações, tem gosto residual amargo e metálico e, por isso, é normalmente associada ao ciclamato. Pode ser utilizada em preparações quentes, pois é estável a altas temperaturas.

 

ASPARTAME

 

Adoçante artificial não calórico mais apreciado devido ao seu sabor bastante parecido com o do açúcar, sem apresentar residual amargo. Perde sua doçura quando submetido a altas temperaturas. É contra indicado para portadores de fenilcetonúria (incapacidade do organismo de metabolizar a fenilalanina) e também para grávidas.

 

ACESSULFAME – K

 

É um sal de potássio sintético, esse adoçante tem o sabor residual parecido com a glicose. É um adoçante considerado totalmente seguro e por ser estável a altas temperaturas facilita a sua utilização em preparações forno e fogão.

 

SUCRALOSE

 

Único adoçante derivado do açúcar. Resiste a altas temperaturas, não possui sabor residual amargo.

 

STEVIOSIDEO

 

Adoçante natural. É totalmente atóxico e seguro ao organismo, mas seu uso é pequeno devido ao sabor residual amargo que possui.

 

XYLITOL, SORBITOL E MANITOL

 

Esses adoçantes obtidos pela redução da glicose (sorbitol), frutose (manitol) e também pela hidrogenação da xilose (xylitol) têm sido amplamente empregados pela indústria na produção de goma de mascar e balas, já que não causam cáries. São adoçantes calóricos sendo que cada grama contém 04 kcal.

 

Juliana Castilho

Nutricionista Clinlife

CRN4524

Fadiga Mitocondrial

 

Você sabia que dentro das nossas células existe uma organela pequeníssima chamada MITOCÔNDRIA considerada o “motor” celular, responsável por gera r a energia do nosso corpo? É essa organela que transforma a glicose em energia (ATP) e também libera calor! Quando falamos em “queimar calorias” é na atividade dessa organela que estamos nos referindo.

A falha dessa organela pode levar a fadiga e outros sintomas comuns em doença crônicas, tais como: resistência diminuída, cansaço mental e físico, falta de energia e dificuldade em se recuperar após os exercícios físicos.

Atualmente vem-se estudando formas de melhorar a função dessa organela e melhorar os efeitos do envelhecimento.

Dentre as possibilidades de melhorar as funções e aumentar a produção de mitocôndrias estão: realizar uma dieta hipocalórica e/ou reeducação alimentar que inclua alimentos que contenham as propriedades antioxidantes, suplementação (caso necessário, com L-carnitina, co-enzima Q10, Vitaminas do complexo B) e se EXERCITAR !!!

Um dos benefícios do exercícios sobre sua saúde é a possibilidade de aumentar o número de mitôndrias dentro das células e aumentar a atividade mitocondrial tanto em treinos de força quanto em treinos aeróbicos!!! Dessa forma melhoráramos a produção de energia e os benefícios acontecem em nível físico e mental. Portanto, se você se sente muito cansado ao realizar um treino, não desmotive, tenha em mente que num primeiro momento isso pode acontecer devido à baixa atividade mitocondrial, mas ao longo das sessões você ganhará resistência e sua performance melhorará!!! 

 

Isabel Cristina 

Profissional de Educação Física

Personal Treinner

CREF.: 19-464 G/MG

Cuidar do seu físico não é superficial, é sinal de saúde mental

Saúde é o estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença.

Tantas vezes citado, o conceito adotado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em 1948, longe de ser uma realidade, simboliza um compromisso, um horizonte a ser perseguido. Remete à idéia de uma “saúde ótima”. Saúde não é um “estado estável”, que uma vez atingido não passe por mudanças.  A própria compreensão de saúde demanda um alto grau de subjetividade e determinação histórica, na medida em que indivíduos e sociedades consideram ter mais ou menos saúde dependendo do momento, do referencial e dos valores que atribuam a uma situação.

Os cuidados com físico e a estética pessoal infelizmente ainda são associados a algo superficial, sendo considerado como de menor importância.

Este tipo de preconceito revela um pensamento retrogrado, já que cuidar do próprio físico – sem transformá-lo em uma obsessão – é tratar do próprio bem de forma global. Para se sentir bem por dentro, é necessário também se sentir bem por fora.

Afinal  a relação com o próprio corpo pode relevar marcas de nossa história pessoal: sentir-se bonito é um sinal de boa saúde mental. Preocupar-se com a própria higiene, com seu cheiro ou com a harmonia e a beleza do próprio corpo não é superficial: é sinal de amor próprio.

Quem nunca ouviu que as grandes mudanças geralmente vem  acompanhadas de uma mudança de imagem?. Às vezes as pessoas sentem que querem uma mudança radical, mas não sabem como encará-la. Falta a inspiração ou os meios, mas não a vontade.

É por isso que uma mudança física pode ser o inicio  da motivação para tomar outro tipo de decisão ou para assumir outro tipo de rotina. 

 

Thais Martins Santos

Psicóloga da Clinlife

CRP 04 24 638

O Projeto Verão o ano inteiro

Você é uma daquelas pessoas que quando vem chegando o verão começa a se preocupar com seu corpo? Quer eliminar o excesso de peso ou aquelas gorduras localizadas a tempo de entrar no bíquini de lacinho no verão?

Então comece a repensar se você deve cuidar do seu corpo apenas na chegada do verão. Para alcançar um corpo saudável e belo para o verão, essa é a hora de investir em um estilo de vida que possa viabilizar o seu objetivo.  Por isso você deve começar a se movimentar hoje mesmo, pois é preciso dedicação e esforço.

É perceptível como essa preocupação faz as  academias e até pistas de caminhadas terem seu  movimento aumentado a mudança da estação. Todos entram na corrida contra o tempo e muitas vezes é impossível chegar ao objetivo devido ao mal planejamento.

O corpo saudável é a combinação de vários hábitos que praticamos e o equilíbrio nas escolhas de tudo que fazemos na vida. Você não pode pensar que ter um corpo saudável é se cuidar por 3 meses durante um ano inteiro. Comer exageradamente no inverno e ao chegar o verão fazer dietas malucas para perder o que ganhou alguns meses atrás. Isto não é ser saudável!

Para você não passar outra vez, comece a repensar na sua qualidade de vida agora!

O ideal é seguirmos um estilo de vida saudável o ano inteiro, cuidando da alimentação, fazendo exercícios físicos, cuidando da mente.

É claro que se exercitar apenas pouco tempo antes do verão chegar, pode trazer alguns resultados e  com certeza é melhor do que não fazer nada. O que é necessário dizer  é que não existem milagres para um corpo saudável. Então se você se sente bem assim como está e tem uma vida saudável melhor continuar fazendo desta maneira. Agora, se você deseja alcançar um nível diferenciado em termos de corpo, isto deve fazer parte do seu estilo de vida o ano inteiro.

Seja saudável o ano inteiro

 

Thais Martins Santos

Psicóloga da Clinlife

CRP 04 24 638

Metas reais viabilizam o objetivo

Um número considerável de pessoas estão neste exato momento tentando outra vez emagrecer, como sempre faz. São pessoas que estão em constante batalha com a balança querendo perder 20kg, 10kg, 5kg… mas parece que nunca vão alcançar. Neste ciclo repetitivo muitas pessoas não param para refletir sobre estratégias diferentes das até aqui usadas para alcançar resultados diferentes.

Uma das hipóteses que se pode levantar é a de que talvez as metas não estejam adequada, a proposta que essa mudança exige.

A conquista do “peso ideal” tem se revelado um grande desafio e por vezes motivo de frustração.

O que acontece é que  geralmente as pessoas começam a inserir as mudanças propostas  por algum tempo e logo param e normalmente fazem isso várias  vezes.

A ansiedade que se gera em torno de resultados muito rápidos acaba por inviabilizar que as metas sejam estabelecidas de maneira real.

Sendo assim a pessoa se frustra e não consegue se manter motivada para persistir  em seu objetivo.  Na atualidade a maioria das pessoas tem como meta perder peso, afinal a obesidade está se tornando o mal do século, mas só quem está acima do peso sabe como é difícil emagrecer.

Normalmente as coisas costumam acontecer da seguinte forma: Programa-se o início da dieta (muitas vezes radical), para a segunda feira, afinal de contas o final de semana é para se despedir das coisas boas que a dieta não permite. Em função de uma dieta muito restrita, a mesma se torna inviável e a probabilidade de um episódio compulsivo ocorrer é quase que de 100%.

Quando o episódio compulsivo ocorrer a pessoa se sente culpada e desmotivada.

A frustração e ansiedade aceleram a velocidade deste ciclo de auto-sabotagem  que se repete quase que sem  fim até agora.

Para mudar essa situação é necessário repensar comportamentos e estabelecer metas mais eficientes.

Metas eficientes para emagrecer devem ter um objetivo alcançável, um plano de ação e um prazo compatível com o que se deseja.

Geralmente as pessoas buscam soluções quase que mágicas, com menos esforço e de preferência rápidas para problemas que não tem essa dimensão, por isso a incidência de cirurgias bariátricas tem aumentado tanto.

Ser fiel e disciplinado ao seu objetivo favorece o estabelecimento de metas realizáveis. As pessoas que consegue desenvolver este tipo de comportamento geralmente alcançam os melhores resultados. .

Tenha um estilo de vida que seja condizente com as suas metas e objetivo.

O ser humano é feito de hábitos e criar um hábito é realizar este novo comportamento muitas vezes, mas muitas vezes mesmo, mas com o tempo você se adaptará, acredite.

Thais Martins Santos

Psicóloga da Clinlife

CRP 04 24 638