Porque Metas e Objetivos?

Objetivos e metas são realmente importantes. Eles ajudam a te dar clareza, a traçar um plano para realizar um sonho, a ter direção e saber para onde ir – o que pode ser bem confortante. Mas então por que é que você nem sempre consegue cumprir o que se propôs no dia 1º de janeiro? Por que o planejamento que você gastou tanto tempo fazendo se esvaiu feito fumaça no bimestre seguinte?

Uma das razões pelas quais não cumprimos com o que nos comprometemos em termos de objetivos é por que as coisas acontecem à nossa revelia. São os tais “fatores externos” que, por serem alheios a nós, nos escapam do controle ou da possibilidade de manipulação.

Agora, o problema acontece quando não conseguimos ir atrás do que se propôs para nós. Por que isso acontece? Em geral, por que colocamos o carro na frente dos bois, ou seja: Traçamos metas aspiracionais, na esperança de que, se as cumprirmos, elas farão nos SENTIR de determinada maneira.

Exemplos:

Objetivo aspiracional: Ter uma casa nova —> Pode significar: eu quero me SENTIR segura;

Ou seja, o foco está no lugar errado! Nós temos que entender o que clama nossa Alma, nossa essência – e o caminho para ela está em como queremos nos SENTIR.

Objetivos e metas são o meio para concretizar o como queremos nos sentir. Não são o ponto final. Repito: Objetivos e metas são o meio e não o ponto final.

Solução: Mapeie como você quer se sentir. Não daqui a 5 anos. Hoje. Daquiem diante. E daí faça um planejamento de intenções para dar conta disso!

1 – Faça um levantamento de como quer se sentir. A lista pode ser infinita, e nesse momento quanto mais, melhor. Ela vai se parecer com algo desse tipo:

2 – Agora, dê zoom em cada uma das palavras que você escolheu, com a idéia de entender o que elas querem MESMO dizer para VOCÊ. Quanto mais específicas, maiores as chances de você realmente entrar em contato com o que clama sua alma. Então, pergunte a cada uma das palavras que você escolheu: o que você quer dizer? Um exemplo. Todo mundo diz que quer se sentir uma pessoa de Sucesso. Mas o que é sucesso pra você? Defina, vá atrás e seja o mais honesto possível. O seu conceito de Sucesso é só seu.

3 - Hora de escolher 4 ou 5 palavras. São aquelas que mais te fazem sentir conectado com sua essência – aquelas que refletem sua verdade. Como eu quero MESMO me sentir? Faça o exercício da renúncia, usando seu coração como guia para deixar de lado aquilo que não lhe pertence.

4 – Finalmente, trace um Plano de intenções baseado no que você quer sentir. Sim, intenções: são objetivos que vêm de dentro. Tenho a impressão de que será mais fácil de cumprir…

Expresse sua essência, a sua alma!

Paula Oliveira

CRP 04/34982

Psicóloga Clinlife

Sódio um grande vilão

Hoje, no Brasil existem mais de 30 milhões de hipertensos. A pressão não controlada é a principal causa das duas doenças que mais matam no Brasil o acidente vascular cerebral e o infarto do miocárdio. A cada ano, 300 mil brasileiros são vitimados pelas doenças cardiovasculares, principalmente causadas pela hipertensão.

A redução do consumo de sal, assim como o controle de peso e a prática de atividades físicas regulares, são algumas medidas recomendadas por especialistas para reduzirem essa estatística de Hipertensão.

Um acordo do Ministério da Saúde com a indústria alimentícia prevê a redução gradual de sódio em diversas categorias de alimentos no Brasil. A lista inicial contém 16 variedades, que incluem massas instantâneas, pães e bisnaguinhas.

A principal fonte de sódio é o sal de cozinha, mas ele está presente em muitos outros alimentos, sejam eles naturais ou industrializados, pois é um conservante natural. E o principal: não é por que o alimento é salgado que tem muito sódio. Uma pesquisa do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia ouviu mais de 1.200 hipertensos e descobriu que 93% deles não sabem fazer a relação entre o sal e o sódio descrito nas embalagens dos alimentos. E 75% deles nem sequer lêem os rótulos. Isso porque o mineral fica camuflado.

Isoladamente o sódio não tem sabor, mas poucos sabiam disso. Geralmente os médicos costumam recomendar a redução do sal para as pessoas com hipertensão porque ele é a principal fonte de sódio. Para se ter uma ideia do quanto de sal tem em um alimento, é só multiplicar o valor do sódio no rótulo por 2,5. Um alimento com 500 mg de sódio representa 1,25 g de sal, por exemplo.

DICA
Atenção à rotulagem dos alimentos:
Em 100g de alimento:
Menos 120mg de sódio - Bom
120 à 600mg de sódio - Moderado (evitar)
Mais de 600mg de sódio - Muito alto- proibido

 

Junia Rodrigues

Nutricionista Clinlife

CRN 3683

 

Falsas ilusões no emagrecimento

A pessoa comprometida com um programa de reeducação alimentar precisa evitar algumas falsas idéias que costumam surgir no do dia-a-dia. Falsas idéias são ilusões que devem ser desmistificadas para que o objetivo de emagrecer se concretize.

Um bom desempenho nas atividades diárias exige um corpo em boa forma física, uma percepção mais aguçada da realidade e ações mais conscientes e menos mecânicas. Se essas condições estiverem presentes, o desempenho no trabalho, com os amigos e com familiares melhorará naturalmente.

Emagrecimento duradouro não combina com alimentação sem prazer e nem com guerras diárias contra o desejo e a gula. Por isso, a reeducação é acima de tudo um processo contínuo, através do qual a pessoa incorpora hábitos saudáveis progressivamente, os quais deverão ser mantidos de forma consciente e prazerosa.

Muitas pessoas acreditam que os seus problemas desaparecerão quando perderem alguns quilos extras. Essa ilusão pode causar uma grande confusão. É verdade que a perda de peso melhora a saúde, a auto-estima e a qualidade de vida. Os benefícios para o corpo são visíveis, com aumento da disposição e do bem estar. Entretanto, quando os problemas estão relacionados a fatores emocionais, apenas emagrecer não resolve.

É ilusão pensar que o emagrecimento poderá ser a solução para um casamento já desgastado por conflitos, ou que abrirá portas para fazer amizades facilmente, se existirem fatores emocionais impedindo que isso aconteça.

O emagrecimento é muito importante e traz grandes benefícios, mas não é a solução para todos os problemas. É ilusão achar que basta apenas determinação para a balança mostrar os números desejados, apesar de ser indiscutível o papel da força de vontade para conseguir o peso desejado e um corpo mais saudável.

A determinação permite resistir a um bolo trufado de chocolate (milhões de calorias). Entretanto, só força de vontade não é suficiente para adotar a reeducação alimentar como um hábito constante. É preciso também estar sinceramente convencido da importância de emagrecer e conhecer a composição dos nutrientes para poder utilizar uma alimentação balanceada.

Apenas “fechar a boca” poderá ser desgastante e gerar frustrações no futuro. Promessas difíceis de cumprir também produzem frustrações e podem fazer a pessoa desistir dos seus objetivos. Metas realistas e de curto prazo são mais estimulantes e incentivadoras quando inseridas num contexto mais amplo.

Pessoas que praticam atividades físicas às vezes acreditam que podem colocar mais calorias no prato. Malhar e depois se “presentear” com um brigadeiro pode pôr a perder todo seu esforço para emagrecer. O gasto calórico resultante da atividade física é normalmente superestimado, enquanto as calorias obtidas pela alimentação são subestimadas. Seguir um programa alimentar correto não exclui a necessidade de praticar exercícios, assim como as atividades físicas não dispensam o cuidado com a alimentação. Alimentação e exercícios físicos devem caminhar juntos e estar de acordo com as necessidades de cada pessoa.

Outra ilusão muito comum, e que constitui uma verdadeira armadilha, é abandonar a reeducação alimentar em situações que fogem da rotina. Aniversários, feriados, festas familiares, encontros com amigos ou finais de semana podem se transformar em pretexto para exagerar em tentações que irão comprometer o objetivo de emagrecer. É necessário dizer não para ofertas muito calóricas e também para os amigos que dizem que um dia só não faz mal.

Para alcançar o objetivo de ter o peso desejado e conquistar um corpo saudável, é preciso abandonar as falsas ilusões e os pensamentos errados de algumas pessoas que imaginam estar fazendo reeducação alimentar, quando na realidade estão apenas se iludindo.

 

Adrielle Ferreira

Psicóloga Clinlife

CRP: 04/38423.

Manteiga ou margarina: Qual a opção mais saudável?

Por muito tempo a manteiga foi considerada grande vilã nas dietas e a margarina foi ganhando espaço na rotina alimentar dos brasileiros.

Porém, pesquisas recentes têm mostrado que esses valores estão se invertendo.

 Embora tenham muita semelhança em sua aparência, suas composições são muito diferentes.

 

A manteiga contém a maioria das vitaminas solúveis em gordura (A, E, K e D). É uma fonte rica em vitamina A de alta absorção; necessária para uma série de funções no organismo, como:

- metabolismo adequado da proteína;

-melhora no funcionamento do sistema endócrino;

- promoção de um sistema imunológico forte;

- melhor função da tireoide, da visão, e do metabolismo ósseo;

- saúde da pele.

 É rica em ácidos graxos de cadeia curta e média; utilizados mais rapidamente como fonte de energia, ao invés de serem estocados como gordura corporal.

A manteiga tem quantidades significativas de ácido butírico que possui propriedades anticancerígenas, ajuda no controle do peso, promove a saúde da flora intestinal e age como anti-inflamatório.

E mais; a manteiga é rica em gordura saturada

Alguns estudos de metanálise foram feitos provando que a gordura saturada não gera doenças cardíacas.

Já o consumo de altas quantidades de gorduras poliinsaturadas da margarina e de óleos vegetais industrializados, foram associados a um maior nível de desenvolvimento de doenças cardíacas.

A margarina era feita a partir da hidrogenação de óleos vegetais, rica em gorduras trans.

Como foram descobertos os males associados a esse tipo de gordura, a indústria modificou a composição da margarina adicionando gorduras interestificadas, que também não são ideais, já que podem aumentar os níveis de glicose no sangue e contribuir para o aumento do colesterol ruim (LDL).

Além disso, esse tipo de gordura é estranha ao organismo, que não consegue metabolizá-la apropriadamente.

Por isso, mesmo as versões de margarina light ou enriquecidas com cálcio e ômega 3 devem ser evitadas.

Nunca houve nenhuma evidência boa de que a margarina é benéfica para a saúde. Portanto, prefira a manteiga, lembrando de que o ideal é consumir até duas colheres de chá por dia.

Karoline Martins

Nutricionista – Clinlife

CRN: 5616

A Hora Certa de Mudar

Como saber quando é o momento mais propício para a mudança? O tempo ótimo para tomarmos aquela decisão que irá dar um giro de 180° em nossa vida? A hora exata de dar o primeiro passo para o novo?

Difícil dizer. Como o próprio nome diz; tudo que é novo é desconhecido, e traz inseguranças, talvez por isso seja tão conflituoso para algumas pessoas saírem da sua zona de conforto.

O medo de arriscar é maior e nos impossibilita de agir. Costumo dizer que é muito mais saudável fazer e errar, do que simplesmente não fazer. Você aprende tanto no caminho…

O certo é que só mudamos quando a nossa “zona de conforto” já não nos “conforta” tanto mais.

Porque enquanto há “conforto”, há ganhos em permanecer dentro da nossa bolha de proteção, mas a partir do momento que esses ganhos passam a ser questionados por nós ou a serem menores que os ganhos de sair da bolha, nossa percepção se altera e o desejo de mudança se instala.

Você pode estar neste exato momento vivenciando algum tipo de conflito; troco de emprego ou não? Termino esse relacionamento? Começo uma dieta?

E não consegue tomar uma decisão de trocar de emprego e ganhar um salário melhor, talvez porque ainda tem muitos ganhos com o atual emprego, amigos que fez por lá, é perto da sua casa, o seu chefe é legal com você etc.

Não consegue terminar um relacionamento que não lhe faz bem por ter medo de ficar solteiro (a). E tenta começar a fazer dieta por estar acima do peso, mas come chocolate e toma refrigerante todo dia.

Em suma, toda verdadeira mudança surge de um conflito, de uma insatisfação com o estado atual, seja ele qual for. Como diz a célebre propaganda a mudança começa com os “desapegos”.

Se ainda estamos “apegados” à nossa “bolha” dificilmente conseguiremos mudar. Então, um VIVA aos “desapegos”!!!

Iana Pechir

Psicóloga Clinlife

CRP: 04/35355

 

Suplementos alimentares para esportistas

Quando devem ser indicados?

A suplementação para esportistas está sendo cada vez mais utilizada sem indicação e acompanhamento profissional adequado.

A grande variedade de suplementos e o consumo liberado trazem a falsa idéia de que o uso é inofensivo; mas a verdade é outra.

Os suplementos à base de proteínas devem ser consumidos com moderação e controle de quantidades diárias, pois podem sobrecarregar os rins e comprometer a saúde.

Já o consumo de carboidrato deve ser balanceado, dentro de um plano alimentar compatível com o treino, para que haja perda de tecido adiposo e não de massa muscular.

O termo esportista é usado para o individuo que pratica atividade física sem intenção de participar de competições, busca saúde, conseqüentemente maior qualidade de vida.

Nesses casos é muitas vezes desnecessário o uso de suplementos nutricionais, sendo mais indicado uma dieta equilibrada e caso necessário consumo mínimo de algum tipo de suplemento específico indicado por um profissional para complementar e não substituir refeições saudáveis; que são importantes para manter a nutrição e o bom funcionamento orgânico.

A realização de exames bioquímicos para pontuar as reais necessidades de suplementação é o primeiro passo para um bom resultado, seguida de acompanhamento profissional adequado para elaboração de plano alimentar e rotina de treino.

Dessa forma, se tem tempo e gastos reduzidos para o alcance dos resultados desejados sem abrir mão da saúde; uma vez que não adianta agir com imediatismo principalmente no que diz respeito a mudanças de hábitos, pois tudo demanda disciplina e foco.

Se render a promessas de resultados milagrosos pode trazer sérios problemas à saúde a curto, médio e longo prazo.

Produzido por Jaqueline dos Anjos de Abreu CRN 4632 – Nutricionista Clinlife

DANÇA: uma grande aliada para obter e manter a boa forma e o bem estar

 Você é daquelas pessoas que sabe que tem que emagrecer, que quer ganhar massa muscular, que quer ter uma qualidade de vida em todos os aspectos (físico, mental e espiritual), mais coloca milhões de obstáculos na frente? E acha que só puxando ferro e fazendo uma grande restrição alimentar que isso pode ser alcançado, mas que tudo isso é muito chato.

Pois bem, lógico que uma alimentação balanceada e um bom treino diário aceleram muito esse processo, mas para nem todos é tão prazeroso assim. Por isso muitas academias, studios dentre outros serviços voltados para saúde vem incentivando a pratica da dança. A dança para ser praticada não tem limitações, pode ser em qualquer lugar, com qualquer um ou ate sozinho, pode ser com qualquer ritmo, qualquer batida, com qualquer idade; para dançar basta ter disposição, criatividade e se soltar.

Os benefícios da dança como uma atividade física são bem conhecidos: flexibilidade, melhora do condicionamento aeróbico, aprimoramento da coordenação motora e perda de peso, fortalece a musculatura, protege as articulações, atenua dores e é uma terapia para a alma. Basta observar com um pouco mais de atenção para perceber que os resultados vão muito além do bem-estar físico. Socialização, combate à depressão e à timidez, alegria, auto-estima elevada e disposição para encarar as dificuldades do dia-a-dia são apenas algumas das transformações que se nota em quem se arrisca a adentrar o mágico mundo da dança. Mais do que técnica, é preciso sentimento – e isso o ser humano tem de sobra. Ao ensaiar os primeiros passos, a pessoa se desprende dos medos e preconceitos e vê seu estilo de vida ser transformado pouco a pouco.

Agora sabendo de todos esses benefícios e visando que um simples balançar já é dançar, o que nos impede de correr atrás daquilo que todos procuram, mas sem tanto sofrimento e com muita alegria. Lógico que se o objetivo é se tornar um Sylvester Stallone nos tempos de “Rambo” ou uma Gracyanne Barbosa da vida vai precisar de um esforço maior, mas a dança pode continuar sendo uma grande aliada nessa busca.

O importante é viver bem, com qualidade e equilíbrio, por isso faça da dança seu trampolim e se liberte, sem medo do ridículo, do que pareça, do que seja e de quem esteja vendo, viva pra você e por você.

Érica Cristina P. Gonçalves

Profissional de Educação Física Clinlife

CREF:026480-G/MG

 

Renove-se!

Após o inverno, período propício ao recolhimento e introspecção, chega a  primavera e com ela tudo se renova.

As flores desabrocham, árvores ganham novas folhas, flores ficam mais coloridas…O sol volta a brilhar e esperanças se renovam!

E você? Também está se renovando? Para renovar precisamos  deixar ir embora o que já não nos serve mais.

A cada manhã agradeça o fato de simplesmente ter acordado, de ter um dia inteirinho te esperando para você escrever ( e reescrever) sua estória. Permita-se novas experiências.

Preste mais atenção em você e seus sentimentos. O que anda sentindo?

Pare e preste atenção no seu modo de respirar. Sua respiração é calma e tranquila, ou está ofegante? E seu corpo? Anda sentindo muitas dores? O que essas dores realmente querem lhe dizer?

Conhecer-se é fundamental. Saiba avaliar o que lhe dá prazer (e desprazer). Respeite seus sentimentos e seja mais amável consigo! A partir de agora, seja mais  gentil, compreensivo e amoroso com você mesmo.

Pare de se criticar tanto! Muitos de nossos  problemas se deve ao fato de sermos excessivamente críticos conosco e pensarmos que  “não somos bons o bastante.” Precisamos sim ser bons conosco! Modifique seu padrão mental. Não se diminua nem por um minuto e nem permita que ninguém diminua você. Descubra seu próprio valor e valorize a si mesmo.

E se no meio dessas descobertas descobrir que precisa mudar, mude! Mas lembre-se que o  primeiro passo para mudarmos aquilo que não está legal em nós é aceitarmos primeiramente.

Tenha mais coragem! Rompa com antigos hábitos, mas renove-se! Renove diariamente seu modo de ver e de viver.

Assim como a primavera, recomece! Dê a si a chance de mudar as coisas, de tomar as rédeas da sua vida e reescrever sua estória.

Cristiane Froes

Psicóloga Clinlife

CRP: 35.330

 

Pensamento MAGRO pode inspirar a perder peso com sucesso!

 

Se o seu objetivo é emagrecer, não tem como escapar; o jeito é consumir menos e gastar mais calorias.

Agora, colocar isso em prática sem transformar sua vida num pesadelo pode depender de um só aliado: a força da mente.

Controlar o poder da mente é o segredo. Sentimentos como tristeza, ansiedade, medo e baixa autoestima estão entre os vilões do excesso de peso.

 

A ideia não é nova, mas as técnicas para mudar atitudes mentais negativas sim. Aqueles que emperram no emagrecimento não se desesperem, pois o ser humano nasceu para ser magro, mas as conexões cerebrais incorretas nos levam a engordar.

Portanto, o cérebro precisa que sejam registrados novos padrões; os exercícios de reprogramação devem ser repetidos várias vezes ao dia, durante semanas ou meses.

Algumas sugestões para colocar em prática: Pratique, pratique e pratique! Elas podem abrir sua cabeça para um corpo magro que sabe identificar a verdadeira fome.

1. Ficar magro só depende de mim. Chega de culpar a genética! Você pode ter sido gordinho na infância ou adolescência e até apresentar uma facilidade para acumular peso. Porém, ser magro ou gordo é uma questão de escolha e não um presente ou um castigo. Quando você assume a responsabilidade no processo de emagrecimento, ganha o controle da situação e se sente mais capaz de modificar seus hábitos e seu corpo.

2. Admire-se! Se você tem as pernas grossas e é baixinho, pare de sonhar em ter um corpo esguio e enxuto. Valorize suas qualidades. “Livre da pressão por um padrão que não pode alcançar, a ansiedade e a pressão diminuem e fica mais fácil emagrecer”.

3. Acredite na força das palavras: Atente-se ao que você pensa ou fala para não passar uma mensagem errada à sua mente. “A palavra dieta, por exemplo, nos faz pensar em privação. Para driblar o problema, diga que você adotou uma maneira mais saudável de se alimentar”.

4. Se escorregar, retomo de onde parei!  Quem nunca exagerou na sobremesa, comeu mais na festa ou foi além do que queria no jantar? A diferença está em como você encara essa situação. Se comeu demais, retome o seu planejamento no dia seguinte.

5. Preciso comer para continuar.  Se ao ganhar uns quilinhos você começar a pular refeições para emagrecer, o corpo vai reclamar e protestar, acumulando ainda mais gordura. Pois quando você agride seu corpo, ele reage acumulando gordura. Ao comer menos do que deveria, seu metabolismo desacelera e aí fica bem difícil perder o excesso. Portanto, se alimente a cada três horas.

6. Tudo o que gosto de comer me faz bem.  Dividir os alimentos em proibidos e permitidos deixa a vida chata e você acaba acreditando que as coisas gostosas devem ficar longe. Isso não é verdade! O importante é ajustar a quantidade e a frequência com que você come.

7. Irresistíveis são as minhas curvas, não as frituras de um momento! Ninguém fica e permanece em forma por acaso. As escolhas do cardápio são feitas diariamente. Se você “pensa magro”, em vez de sofrer pelas coisas que não pode comer, se sente vitorioso por se manter firme no seu plano.

8. Venço metas, não bato recordes mundiais. Ao traçar os objetivos para o seu emagrecimento, pense em prazos possíveis. Assim, pode comemorar os resultados. Se estabelecer metas inatingíveis, vai jogar contra si mesmo. E aí, quando nota que não consegue cumprir, desiste.

9. Não vivo de dieta, faço escolhas inteligentes. Quando você se liberta da sensação de estar preso em uma dieta, percebe a importância das suas atitudes e da forma como monta o cardápio. Assim, sai do papel de vítima e se torna a personagem principal do emagrecimento.

10. Vou conseguir parar de pensar em comida. A melhor alternativa é mudar o foco da atenção. Para isso dar certo, tenha algumas alternativas na manga. Descubra o que funciona melhor para você. Pode ser uma caminhada, uma partida de baralho ou uma ligação para uma amiga. O importante é investir em outra atividade para esquecer a comida.

 

Experimente! Mude de Vida!

 

Alcimara Macieira

Nutricionista – Clinlife

CRN: 4284

 

Quem dança seus males espanta!

 

Atualmente sabemos da importância do exercício físico em nossas vidas, mesmo às vezes querendo fugir dele!  Muitos o relacionam com dor, esforço excessivo e logo vem a preguiça! Portanto, o individuo precisa buscar o prazer no exercício, porque ele nos proporciona diversos benefícios e infelizmente às vezes “enxergamos” apenas o desânimo, fechando os olhos para tanta coisa boa que ele nos trás.

A dança é arte, cultura, atividade, exercício…é movimento!  Ela se torna então, uma opção para aumentar a auto-estima, qualidade de vida, bem estar, coordenação motora, equilíbrio, saúde. Ajuda a espantar tudo aquilo que não faz bem pra ninguém, como por exemplo: o estresse, depressão, aqueles quilinhos que não estão te fazendo bem, a preguiça e a tristeza! Porque dançar é se alegrar, é também conhecer melhor o seu corpo e suas possibilidades; estimula a liberação de serotonina e endorfina, os “neurotransmissores do prazer”:

Males espantados pela serotonina:

- regula o sono;

- controla temperatura corporal e apetite;

- elimina depressão e mal humor.

Males espantados pela endorfina:

- é um analgésico natural;

- regula emoções;

- reduz o estresse e a ansiedade;

- alivia tensões.

E você, ainda vai ficar parado depois dessa? Vamos sorrir, se expressar, movimentar, levar uma vida saudável e feliz…dançando…

 

Profissional de Educação Física – Clinlife

CREF: 018447-G/MG