TEMPO DE SE RENOVAR NUTRICIONALMENTE!

Passado o inverno, as plantas voltam a brotar e florescer, como que representando o início de um novo ciclo de renovação. Nosso organismo está sempre ligado aos aspectos da natureza e busca também uma renovação e um recomeço.

A primavera é o melhor período para iniciar um programa de eliminação de toxinas e gorduras corporais! Os pratos quentes do inverno dão agora, lugar para pratos mais frios e leves, e isso deve perdurar até o verão.

Para aproveitar essa época, mantenha uma alimentação rica em vegetais. Prefira vegetais de cor verde que são os que fornecem substancias que ajudam a limpar o fígado e também ajudam na renovação celular. O suco verde e os sucos funcionais são importantes aliados para equilibrar a alimentação.

Para aproveitar mais o valor nutricional dos alimentos, prefira consumi-los crus. Aposte também em uma alimentação rica em frutas. E não se esqueça de utilizar sempre as cascas, talos e sementes que são riquíssimos em vitaminas e nutrientes, além de trazer mais fibras para as refeições.

Nesta época do ano as pessoas se preocupam muito com a aparência para o verão e costumam adotar métodos radicais, como dietas da moda. Mas lembre-se que é necessário manter uma alimentação saudável durante todo o ano, para não sofrer com efeitos colaterais, como o efeito “sanfona”. Por isso aposte na reeducação alimentar, consulte sempre um nutricionista!

 

Shellen Pollyanna

CRN – 14676

Nutricionista Clinlife

Os possíveis efeitos da moda na saúde

Algumas novidades viram sonho de consumo porque todo mundo tem. Mas será que está é a forma efetiva de alcançar os resultados que almejamos? Será que estes recursos podem ser incoporados de qualquer forma ou a qualquer custo?  Será que são seguros? Será que foram testados cientificamente antes de entrar em uso? Até que ponto a saúde pode ser prejudicada pela moda?

No cotidiano pode-se observar a grande quantidade de dicas sobre alimentação, boa forma, entre outros modismos difundidos na mídia pelos formadores e/ou influenciadores de opinião. Essa atitude acaba por expor as pessoas ao perigo disfarçado de informação. São comuns notícias com celebridades e depoimentos de emagrecimento milagroso em pouquíssimo tempo devido à exclusão de determinados nutrientes das refeições.

No Ganepão 2017, um dos maiores eventos de saudabilidade da América Latina, durante a palestra do nutrólogo Mauro Fisberg foi claro ao alertar: “é importante reforçar o perigo da falta de explicação científica para embasar estes modismos e os riscos das alterações radicais na alimentação sem o devido acompanhamento nutricional. Esses comportamentos podem acarretar em problemas de saúde, como excesso de peso e o desenvolvimento de doenças crônicas”.

De acordo com Vanderli Marchiori, consultora em nutrição, independente do objetivo da dieta, é essencial procurar um profissional especializado no assunto antes de mudar ou restringir qualquer alimento do cardápio. “Praticar atividade física regularmente e manter um cardápio equilibrado, ou seja, com todos os grupos alimentares presentes (proteína, carboidrato e gordura) além de trazer a boa forma trará também o bem estar mental”, explica.

Por isso é importante retomar o prazer de comer sem terrorismo nutricional. “As ditaduras que impõe padrões de beleza irreais desenvolvem nas pessoas uma relação de amor e ódio com a comida, ocasionando estresse e acentuando as chances de ganho  ainda mais peso e desenvolver algum tipo de transtorno psiquiátrico, como anorexia, bulimia e até mesmo depressão”.

As dietas da moda que alardeiam resultados milagrosos a partir da redução radical de algum ingrediente podem levar a graves problemas de saúde.  Assim  uma alimentação composta por todos os grupos alimentares (proteína, carboidrato e gordura), mas em porções adequadas às suas necessidades, ou seja, equilibrada é o dos passos para se atingir um peso saudável. Porções essas que  devem ser calculadas de forma individualizada e por um profissional capacitado levando em consideração as peculiaridades de cada pessoa.

“Não existem milagres. É preciso pensar no longo prazo. O que dá resultado é a reeducação alimentar aliada à prática de atividades físicas e um equilíbrio emocional”!

Thais Martins Santos
Psicóloga
CRP04/24638

Corrida para vida

Muitos começam a praticá-la ainda jovens, para manter o corpo mais bonito. Porém, abrem mão do exercício com o passar do tempo. A verdade é que ela não pode ser interrompida em nossa vida adulta, principalmente porque é justamente nesse momento que este esporte tão saudável vai fazer toda a diferença, evitando o assédio das potenciais doenças que carregamos em nossos genes.
Ela nos contempla com toda a sua beleza e nos coloca em sintonia com os processos biológicos mais fundamentais da vida, que carregamos bem lá dentro de todo o nosso organismo. Ela redime o homem e dá a ele aquele brilho tão essencial para que a existência seja formada por uma constante alegria e prazer, cultivando conquistas, sucesso e vitórias. Para que tudo isso ocorra é necessário, e até mesmo imprescindível, que a pessoa a exerça como meio e nunca como fim. Que realize a prática com muito bom senso e sabedoria. Se não entendermos que a corrida é nossa amiga e que devemos protegê-la para que ela nos acompanhe por toda a nossa existência , podemos colocar tudo a perder.
A corrida cria uma energia que nos contagia e nos eleva a um plano diferenciado de entendimento na contemplação da vida. Energia que comunga com o universo e absorve dele toda a sua força e poder. Quando corremos dentro de nossos limites de oxigenação plena, recebemos tudo o que há de bom. Nos tornamos ativos com a vida, fazendo dela um momento contínuo de beleza. Correr pode nos encaminhar também para a plenitude de entendimento, percebendo em nossa alma uma inconfundível sensação de bem-estar e equilíbrio.

Luiz Cláudio
Profissional de Educação Física
CREF 026677- G/MG

Por que emagrecer?

 

Você trabalha muito, passa o dia correndo… Essa é a dinâmica dos tempos atuais. O peso vai aumentando e chega um momento em que você pensa: “Acho que preciso emagrecer. Estou me alimentando muito mal. Preciso iniciar uma atividade física”. No entanto, somos tendenciosos a “fugir” de tudo que sabemos que irá mudar nossa rotina, nosso estilo de vida, mesmo sendo um objetivo antigo. Um sonho, uma promessa não cumprida que fazemos em todas as viradas de ano novo.

Mas por que emagrecer? E a pergunta é realmente esta: Por que emagrecer? E a resposta apesar de muito simples é transformadora. Perder peso faz bem para o corpo e para a mente. Perder peso oferece muitos benefícios à saúde, melhora expressivamente a qualidade de vida e a autoestima, independentemente da idade ou do sexo.

Entretanto, muitas pessoas não sabem onde se apoiar para manter a vontade de emagrecer ou até mesmo para iniciar o emagrecimento. Sim, a VONTADE está dentro de cada um, mas ela tem que ter uma razão para ser desencadeada e sustentada.

Decidir perder peso  é também um passo importante e que irá engatilhar todo o resto. Porém, existe uma diferença entre decidir e DECIDIR, entre querer e QUERER realizar este sonho. Mas quando você toma uma verdadeira decisão, todo o resto, todos os métodos, meios e formas irão se revelar diante de você, tornando o caminho mais leve e prazeroso.

A sua vontade e o seu foco são determinantes para que tudo aconteça. Há pessoas que comem quando estão tristes, ansiosas, estressadas e felizes. É primordial criar o hábito de comer porque sente fome e de parar quando está satisfeito. E entender isso é fundamental para termos equilíbrio emocional em relação ao alimento. É necessário estabelecer  o equilíbrio nutricional, metabólico e funcional do nosso organismo. E Na hora do exercício físico, descubra o que lhe faz bemEncontre em você mesmo sua motivação.

Relembre-se das suas razões para perder peso, tornando a sua força de vontade mais viva todos os dias. Você pode conquistar TUDO o que você quer quando você se conhece melhor e entende os infinitos poderes que estão dentro de você.

Segundas pedem novos começos. Tenha força de vontade para atingir o seu objetivo. Todo o seu esforço e dedicação vão valer a pena. Acredite em você e dê o passo inicial!!!

 

Jeniffer S.Cornélio

Enfermeira Coren-MG 212.311

Disbiose intestinal

 

Transtorno no qual as bactérias da flora normal ficam em minoria e o organismo torna-se debilitado já que a capacidade de defesa orgânica diminui.

Quando estamos diante de um quadro de flora intestinal anormal, teremos a reabsorção de toxinas do lúmen intestinal. Estas toxinas caem na circulação portal e podem produzir efeitos farmacológicos. E a presença no cólon de fezes putrefativas, gera placas duras e aderentes na mucosa intestinal, liberando toxinas para todo o organismo.

 

Tratamento:

Evitar:

  • Evitar corantes, conservantes, glutamato monossódico, carnes vermelhas e alimentos gordurosos.
  • Alguns alimentos como leite, ovos, soja, açúcar branco e embutidos também devem ser evitados.
  • Frutos do mar e alimentos ricos em glúten podem não ser desejáveis dependendo da gravidade do problema.

 

Consumir:

  • A dieta deve consistir em grande quantidade de vegetais, particularmente cenoura , couve-flor, repolho, chicória, cebola, alho e alho-poró, além de frutas, farinha de banana, arroz integral e leguminosas.
  • Zinco: envolvido com o crescimento e regeneração do epitélio intestinal (abacaxi, ameixa, maça, manga, uvas, pêra, abóbora, acelga, alface, agrião, cenoura, couve, tomate, arroz integral, aveia, soja, lentilha, ameixa seca, castanhas).
  • Vitamina E: importante para a manutenção da integridade da membrana celular (óleos vegetais – amendoim, soja, palma, milho, cártamo, girassol – e o gérmen de trigo).
  • Vitamina A: melhora a função da barreira intestinal (fígado, leite, gema de ovo, sardinha, abacate, acelga, tomate, couve, cenoura, mamão).
  • Vitamina B5: associado à cicatrização da mucosa (carnes, ovos, frutas, cereais e verduras, sendo encontrada, praticamente, em todos os alimentos).
  • Ácido fólico: essencial para a formação de microvilosidades (brócolis, tomate, rúcula, couve, caju, cogumelos, pitanga).
  • Vitamina C: antioxidante intestinal (acerola, laranja, kiwi, goiaba, mamão, limão, morango).
  • Complexo gama-orizanol: envolvido na restauração da permeabilidade intestinal (farelo de arroz integral, milho e cevada)
  • Glutamina: utilizada como fonte energética para os enterócitos.
  • Fibras produzem ácidos graxos de cadeia curta que são fonte de energia para as células do cólon.
  • Prebióticos (Inulina e FOS): estimulam seletivamente o crescimento de bactérias benéficas reduzindo as bactérias patogênicas do trato gastrintestinal. Fontes: alho, cebola, aspargos, chicória, alcachofra, banana, cevada, tomate.
  • Probióticos (Lactobacillus):  estimulam a multiplicação de bactérias benéficas reforçando os mecanismos naturais de defesa do organismo. Benefícios: controle da microbiota intestinal, estimulação do sistema imune, alívio da constipação, aumento da absorção de minerais e produção de vitaminas.

Juliana Castilho

Nutricionista Clinlife

CRN 4524

Verão saudável e de bem com a Vida!

Em poucos meses estaremos no Verão. A estação mais quente do ano! Do Sol, da roupas soltinhas, praias… Os clubes ficam cheios e a grande maioria das pessoas querem estar em dia com o corpo, satisfeito com ele.

Mas muitas pessoas começam a se preocupar poucos dias antes. As academias ficam lotadas, as pessoas fazem dietas extremamente restritivas visando a “melhora” do corpo para estar em dia e curtir a estação.

E você? Está preparado para ele?

Como está cuidando do seu corpo, da alimentação para curtir um Verão satisfeito?

Lembre-se que estar com a saúde em dia, com um corpo em que se sinta bem, deve ser o foco durante todo ano.

Mas se ainda não se preparou, temos tempo! Vamos rever essa situação!

Algumas dicas para se preparar:

- Ter um objetivo

Quer eliminar peso? Definir o corpo? Uma vez que você sabe o seu desejo fica mais fácil traçar metas específicas em busca do seu objetivo.

- Hidratação

Mesmo em dias mais frios é necessário beber líquidos. Se ainda não é uma prática, é um ótimo momento para repensar e inserir esse hábito, pois hidratação é fundamental.

- Alimentação

Priorizar determinados alimentos como verduras, frutas e legumes, alimentos com baixo índice glicêmico.

Ter a atenção de comer de três em três horas. Café da manhã, almoço, jantar e pelo menos dois lanches no dia nos intervalos, mantenha uma rotina de alimentar-se nos mesmos horários. Dê importância ao momento das refeições, sinta o gosto dos alimentos. Perceba que é um tempo dedicado à você!

Mudar a alimentação exige esforço. Fazer essa mudança de modo gradativo pode ser um caminho. Não perceba como um sofrimento e sim uma correção da sua atitude diante dos alimentos.

 - Atividade Física

Se não iniciou ainda, o momento é agora! Além de favorecer a queima calórica, alivia a ansiedade e o estresse. Se nunca se exercitou, comece fazendo uma caminhada, num parque, por exemplo. O importante é não ficar parado!

- Aceite-se

Se com a chegada do Verão você tiver atingido seu objetivo, ótimo! Caso não, não desanime! Não deixe de curtir a estação, as férias! Mas tenha em mente que é preciso cuidar-se e esse cuidado deve ser feito durante todo o ano.

Pequenas mudanças podem fazer muita diferença!

Vamos lá prepare-se! Vamos receber o Verão de braços abertos!

 

Fernanda Dias
Psicóloga Clinlife
CRP 04/27335

 

Encontre uma atividade física prazerosa

 

 

Várias pessoas utilizam muitas desculpas para começar a praticar uma atividade física. Entre elas estão a  falta de tempo e a falta de empatia por algumas modalidades. Mas, o que muitos não levam em conta é que pode existir prazer na prática de exercícios físicos.

Muitas das pessoas sedentárias, que decidem começar a praticar exercícios físicos, vão para as academias e colocam suas expectativas de retorno rápido em modalidades que, muitas vezes, não se encaixam aos seus perfis ou estilos de vida.

Isso aumenta a probabilidade de descontinuidade e desistência em poucas semanas. O mais recomendado é buscar, em primeiro lugar, o prazer na atividade escolhida. Quando aquilo se torna um hábito e mesmo uma necessidade, a perda de peso, os benefícios ao coração, o bem-estar e todas as outras conseqüências dessa prática acabam aparecendo naturalmente.

Por isso, a recomendação é pensar primeiramente no prazer que a atividade pode proporcionar, além de todos os benefícios que ela traz para o corpo e para a saúde. Só assim o aluno alcançará os resultados e manterá a qualidade de vida.

Opções de atividades físicas

– Caminhada: este é o exercício ideal para quem gosta de se exercitar ao ar livre. Além disso, traz inúmeros benefícios para o corpo, como o fortalecimento dos músculos do coração e melhora do condicionamento físico geral.

– Pilates: se você não quer fazer a opção por uma atividade sem ser aeróbica, o pilates pode ser uma boa opção. O método trabalha com a resistência muscular e pode ser feita por pessoas de qualquer idade. Tem como benefício a melhora da postura, a melhora da consciência  corporal,o fortalecimento da musculatura e trabalha também a respiração nos exercícios.

– Zumba:  se você gosta de uma modalidade mais agitada, pode escolher também a zumba, que é uma aula de dança com músicas latinas e variadas.

– Hidroginástica: se você tem algum problema na articulação pode escolher também a hidroginástica. Além de ser uma atividade aeróbica, é uma modalidade de baixo impacto. O melhor é que você nem sente que está se exercitando, já que a água absorve todo o peso do seu corpo.

- Musculação: é uma atividade que pode ser feita em qualquer idade e pode ser montado um treino de acordo com a individualidade da pessoa e de acordo com suas limitações. Os benefícios são ótimos para quem quer melhorar o condicionamento físico, aumentar a força e a massa muscular magra, diminuir o percentual de gordura, melhorar a flexibilidade, entre outros benefícios.

Temos diversas opções de modalidades .Vá à academia, faça aulas experimentais e veja qual modalidade se encaixa melhor com seu perfil.

O importante é não ficar parado. Vamos lá!! 

   

 

Metabolismo e Emagrecimento

O corpo humano funciona como uma máquina, fazendo a digestão dos alimentos, bem como a absorção dos nutrientes, fornecendo assim
energia para todas as células. Esse processo é descrito como metabolismo, e está diretamente relacionado à manutenção do peso.

Metabole, do Grego, significa “mudança”. A palavra metabolismo representa o conjunto de reações bioquímicas que ocorrem no nosso corpo, constantemente, nos mantendo vivos.

O metabolismo é composto por dois processos: o ANABOLISMO, caracterizado por uma série de reações químicas que sintetizam moléculas a partir de “partes” menores, geralmente envolvendo um gasto de energia. O processo anabólico é sinalizado através de alguns hormônios, como a insulina, o hormônio do crescimento (GH), e a testosterona.
o CATABOLISMO por sua vez, é o processo pelo qual o corpo degrada nutrientes fornecendo energia para as células. Principais hormônios catabólicos: cortisol, adrenalina e glucagon.

A taxa metabólica basal (TMB) – ou, metabolismo basal – refere-se à quantidade mínima de energia (calorias) que o corpo necessita para manter suas funções em repouso.

Além da genética, outros fatores também determinam a velocidade do metabolismo, como idade, composição corporal, a prática de atividade física, alimentação (dieta), e problemas de saúde.

Daí a importância de fazer um check-up com acompanhamento médico, observar os hábitos de vida, e fazer as mudanças necessárias para alcançar e manter o peso ideal. O metabolismo é estimulado através da realização de atividade física, reeducação alimentar e qualidade do sono. Quanto mais ativo e com hábitos de vida saudáveis, maior tende a ser o metabolismo.

A importância de adotar hábitos mais saudáveis

Mudar os nossos hábitos alimentares pode ser a princípio difícil como toda mudança é. Sair da nossa zona de conforto realmente parece ser sacrificante.

Mas lembre-se que o que parece desconfortável a princípio depois se torna um hábito e finalmente você poderá aproveitar dos bons resultados, seja com o fato de estar com o corpo mais esbelto ou usar a roupa que tanto gostava. E o mais importante, irá desfrutar da sua saúde por mais tempo e da melhor forma possível, tendo mais disposição e vigor.

O primeiro passo para adotar novos hábitos é ter disciplina, assim você terá mais compromisso com sigo mesmo e irá perceber que o cuidado com a alimentação te ajudará inclusive no seu rendimento profissional e ou nos estudos, pois uma alimentação adequada, equilibrada, ajuda na saúde do nosso cérebro, memória. Por isso é contraditório, quando dizemos que temos uma rotina de trabalho exaustiva, muitas responsabilidades, e por isso deixamos a alimentação de lado, afinal é a nossa alimentação que irá nos fortalecer e nos dá um melhor rendimento em tudo.

Com uma alimentação saudável você será exemplo em casa, principalmente para os filhos, organizará sua rotina para fazer mais refeições com a família reunida, sendo um motivo para estar mais perto de quem você ama.

Uma das principais causas de morte no país é por complicações do diabetes, ou seja, as síndromes metabólicas estão matando tanto ou mais que o câncer. Portanto, cuide de você, se valorize e tenha mais qualidade de vida!

Ludimila Oliveira

   Nutricionista Clinlife CRN 13325 

O sofrimento Psíquico e a Obesidade

A obesidade é considerada uma síndrome multifatorial, e de acordo com o INBIO (Instituto Brasileiro Interdisciplinar da Obesidade), nessa síndrome, a genética, o metabolismo e o ambiente interagem, assumindo diferentes quadros clínicos, nas diversas realidades sócio-econômicas.

A OMS (Organização Mundial de Saúde), afirma que a obesidade é o acúmulo excessivo de tecido adiposo (gordura) no organismo, atingindo hoje, cerca de um terço da população mundial. A OMS considera a obesidade um dos dez principais problemas de saúde publica do mundo, envolvendo fatores genéticos, metabólicos, comportamentais, emocionais, culturais e sociais. Como a saúde física e psicológica são afetadas e a expectativa de vida é reduzida em função do aumento do peso, é fundamental se debruçar para entender a questão .

Estudos que datam de  1985, apontam  que das pessoas que sofrem com algum tipo de obesidade, 2% derivam de causas endocrinológicas, outros 8% são diabéticos e não produzem insulina no organismo suficiente para metabolizar os alimentos. Existem também aproximadamente 10% de pessoas com tendência genética a obesidade, portanto herdam a gordura de seus antepassados e provavelmente mais uns 10% que são obesos na vida adulta por terem sido crianças gordas. E ainda pode-se contar 10% que desenvolvem a obesidade por aspectos culturais sejam esses aspectos hábitos familiares, sociais ou étnicos.

Assim, os dados acima descrevem as causas de 40% das pessoas com problemas de obesidade, restam 60% das pessoas obesas que certamente desenvolveram esse problema devido a causas emocionais. Alguns médicos afirmam que as pessoas engordam apenas por comerem em excesso ou porque descontam suas ansiedades, carências e depressões na comida, mas nem sempre consegue-se explicar porque que esses problemas levam as pessoas a comerem demais.

A obesidade pode ser considerada uma doença que pode revelar desordens físicas e psíquicas que se manifestam através do corpo. Assim, a obesidade nos deixa conhecê-la como uma manifestação de doença e sintoma.

Kahtalian (1992), declarou que na década de 30 a obesidade era incluída somente dentro dos distúrbios das glândulas endócrinas, e foi a partir das décadas de 40 e 50, que a aproximação com a questão psicológica começou a receber maior ênfase, e mais recentemente é que os fatores emocionais começaram a ter importância para os profissionais que lidam com o excesso de peso.

O fatores psicológicos mencionados nas pesquisas apontam para a influência da cultura, ambiente, história familiar, estrutura de personalidade e o inconsciente das pessoas com excesso de peso. No entanto, o exato mecanismo pelo qual alguns destes fatores contribuem para o excesso de peso, ainda não foi claramente explicado.

Estudos expressam que as pessoas com excesso de peso podem experimentar dificuldades emocionais que não são mensuradas por testes psicológicos. Tais dificuldades podem se relacionar com questões específicas  como frustrações pelo excesso de peso ou solidão, devido ao abandono de amigos por não entenderem o seu problema, e que estas dificuldades podem acarretar alguns distúrbios emocionais.

Pensando sobre a questão do indivíduo obeso estar em contínuo sofrimento psíquico ao ter que enfrentar problemas como a frustração, o abandono, a solidão e a incompreensão, chega-se ao questionamento do porque o indivíduo continua com o comportamento de consumo exagerado de alimentos se é exatamente esse o motivo que desencadeia o seu sofrimento.

Tentando responder a questão acima é possível considerar o que Dalgalarrondo (2008), explica sobre a obesidade ser uma condição complexa no ser humano, e que na pessoa obesa existe uma disfunção dos mecanismos de saciedade e que o obeso não come de forma precipitada ou voraz, mas que ele come de forma continua enquanto houver comida disponível não sendo capaz de parar de comer.

Para Berg (2008), do ponto de vista psicológico, a obesidade é uma expressão física de um desajustamento emocional. Pessoas obesas podem utilizar a alimentação compulsiva como meio para lidar com seus problemas internos. Um perfil psicológico comum presente em muitos casos de obesidade inclui características como: auto-estima baixa, carência afetiva, insegurança, autopiedade, ausência de autocontrole, vergonha, não aceitação do problema, temor de não ser aceito ou amado, culpa, desamparo, intolerância, passividade e submissão, o que a pessoa pensa sobre si mesma e como internaliza a opinião alheia, entre outros.

Para Dalgalarrondo (2008), o obeso é descrito classicamente, do ponto de vista emocional como uma pessoa imatura e muito sensível a frustração, ou seja um indivíduo que recorre à comida como forma de compensação do afeto que carece e que sente que nunca recebe o afeto da maneira que merece.

Outro aspecto que o autor defende é que o obeso é alguém que tem sua sexualidade fortemente reprimida, ou que utiliza obesidade como defesa de seus impulsos sexuais, ou ainda um indivíduo que utiliza a obesidade como defesa contra a frustração e contra a exposição aos relacionamentos sociais. De um modo geral, os obesos têm a auto-estima muito baixa e sentem que as outras pessoas o desprezam.

Um ponto relevante para esta pesquisa é o fato de que os obesos têm dificuldade em gerenciar a fome e a distingui-la de sensações desagradáveis como desconforto, ansiedade. De um modo geral classifica qualquer mal-estar falsamente como fome, talvez por fazer a ligação da comida com o objeto que nutri e logo conforta as sensações desagradáveis, ao mesmo tempo que remete inconscientemente ao amparo materno.

Assim sendo o excesso de peso pode revelar um demasiado cheio que o sujeito vive como um vazio infinito.

Thais Martins Santos 
Psicóloga
CRP 04/24638