Hábitos para resultados

Para ter um bom resultado é fundamental que a pessoa utilize todas as ‘ferramentas’ possíveis. Alguns hábitos podem facilitar muito nesse propósito.

O exercício físico feito de forma prazerosa é fundamental para termos mais resultados. Faça atividades que o seu corpo execute, mas a sua mente permita ele fazer com prazer. Ou seja, não adianta você fazer o exercício e a mente achar que ele é ruim. O estresse atribuído ao exercício será tão grande nessa situação, que o corpo não vai deixar você executa – lo de forma eficiente. Tente associar exercícios prazerosos em sua rotina de treinos.

Um bom planejamento ou periodicidade nos exercícios ajuda bastante também. Sempre receba orientações de um educador físico sobre qual freqüência nos exercícios é melhor para você, quais alterações de cargas devem ser feitas, qual o descanso é necessário entre os exercícios e fale para ele sobre suas necessidades e especificidades. Essas informações são cruciais e fazem toda a diferença em relação ao resultado que pensa em obter.

Atribua na sua rotina hábitos saudáveis para atividades de lazer. Passeie bastante, pratique esportes, dance, brinque, passeie com o seu animal de estimação, faça atividades para mexer o corpo enquanto se diverte. Os finais de semana e feriados vão agregar muito mais resultados se você gastar energia em suas atividades de lazer.

Outro item fundamental para bons resultados é sua orientação nutricional. A alimentação bem balanceada de acordo com o objetivo de cada um é essencial para termos um resultado mais rápido e duradouro. No nosso cotidiano estamos sempre sujeitos a sair um pouco da rotina que temos para adquirir resultados. Almoços em família, diversas festas, são algumas das várias tentações que temos para sair da dieta e perdermos o pique. É preciso manter o foco e resistirmos às perdições das escapulidas de feriados e finais de semana.  Converse com uma nutricionista e ela vai orientar sobre quais atitudes são possíveis para essas ocasiões. Sempre ha uma saída, não se desespere.

São diversas possibilidades que o nosso organismo pode ajudar ou prejudicar você em relação aos resultados que deseja. Faça um acompanhamento médico e tenha orientações sobre como esta o seu organismo. Um organismo mais saudável vai possibilitar resultados mais rápidos e com muito menos esforço.

Siga todas as dicas citadas e tenha resultados como nunca.

Richardson Siqueira

CREF 018387

Educador Físico Clinlife

O Pensamento Positivo

Já está mais que comprovado que um pensamento positivo tem muito mais força e efeito que um negativo.

No mundo em que vivemos, nos deparamos a todo momento com tragédias, acidentes, crimes.

Estes nos fazem sentir medo de viver, sair, trabalhar e consequentemente nosso pensamento positivo fica em segundo plano, ou seja; pensamos somente em acontecimentos ruins, pondo em prática o pensamento negativo.

O pensamento negativo além de nos causar um mal-estar, vai atrair insegurança, ansiedade, perda do convívio social, nos deixando viver em mundo restrito.

O pensamento positivo atrai energias boas, e a partir dele, conseguimos ter uma visão mais otimista da vida, conseguimos realizar nossas tarefas e objetivos com mais facilidade e nos tornamos mais gratos em relação à vida!

Vamos praticar esses pensamentos energizantes?

Segue uma dica de exercício:

Todos os dias da semana escreva numa agenda ou folha de papel o que de bom aconteceu no seu dia, e o porquê. Ex: Hoje meu marido me trouxe uma violeta. Porque ele lembrou que gosto de flores.

Ao final da semana, leia todos os pontos positivos de cada dia. Isso nos faz perceber que em um dia, por pior que seja; sempre há algo bom a ser vivido. E isto acontece porque praticamos o pensamento positivo diante das situações.

“Tudo o que a mente humana pode conceber, ela pode conquistar”

Paula Oliveira
CRP 04/34982
Psicóloga Clinlife

Alergia Alimentar

A alergia alimentar é uma reação indesejável que ocorre após a ingestão de determinados alimentos ou aditivos alimentares.

O termo hipersensibilidade alimentar (geralmente usado como sinônimo de alergia alimentar) pode ser definido como uma reação clínica adversa, reproduzível após a ingestão de alergenos (substâncias que desencadeiam a alergia) presentes nos alimentos, causados pela exposição a um estímulo em uma dose tolerada por pessoas normais.

Alergia alimentar é um problema sério, e as escolas devem estar preparadas para lidar com ela. Não é mais suficiente que apenas os pais estejam orientados e preparados para prevenção e tratamento de reações alérgicas. Familiares em geral, professores e o próprio paciente precisam estar esclarecidos sobre o problema e devem adotar atitudes e posturas de prevenção

Existem vários tipos de reações alérgicas alimentares e elas podem se manifestar em até duas horas após a ingestão do alimento. Essas reações podem surgir com o aparecimento de urticárias (placas vermelhas que causam coceiras), angioedema (inchaço dos lábios, dos olhos), agravamento do eczema (quadro de pele mais crônico, causando descamações sérias e lesões graves na pele), no pulmão (chiado no peito, dificuldade respiratória na laringe, aparelho digestório), diarreia, dores abdominais ou cólicas. Em casos mais graves, o paciente pode sofrer um choque anafilático e precisar de um socorro imediato. Os alimentos alérgicos mais comuns são: leite de vaca, ovo, trigo, frutos do mar, amendoim e soja.

O tratamento para esta situação é feito com a retirada do alimento causador da alergia e a escolha de um alimento substituto, nutricionalmente adequado, de acordo com a faixa etária de vida. É importante que o paciente entre em um processo de reeducação alimentar.

Como substituir os alimentos que causam alergia:

Leite de vaca: acima dos seis meses até um ano, utilizar o leite de soja. A partir de um ano, o leite pode ser dispensado, desde que se adote uma dieta balanceada, a base de cálcio

Clara de ovo: o ovo é dispensável se a criança tiver uma alimentação balanceada, à base de legumes, verduras e carne

Trigo: pode ser substituído por fubá e aveia

Frutos do mar: pode ser trocado por peixes. Porém, se o paciente tiver uma alimentação balanceada, a base de legumes, verduras e carne, os frutos do mar são dispensáveis

Soja: bebidas especiais com hidrolisados proteicos, com fórmulas que atendam as necessidades nutricionais do paciente, podem ser uma alternativa.

 

 

Junia Rodrigues

Nutricionista Clinlife

CRN 3683

 

Entusiasmo e otimismo para emagrecer!

Para se dar bem no processo de emagrecimento é necessário entusiasmo e otimismo. Se pararmos para pensar, um não vive sem o outro, pois que para nos entusiasmarmos por algo, se faz necessário ter uma atitude otimista, acreditar que vai dar certo.

O entusiasmo é a força de ação, que rompe a barreira do comodismo, da inércia. A força do começo, de impulso. Mas, só isso não basta para que este entusiasmo perdure no tempo. O entusiasmo é como o fogo, queima rápido, mas logo se apaga se não for mantido aceso. E aí está o ponto mais difícil. Como manter o fogo queimando? Como encontrar essa motivação. Daí sempre associarmos o fogo à paixão e não ao amor, pois só este perdura.

Muitas pessoas não conseguem dar continuidade porque não conseguem manter o otimismo e o entusiasmo por muito tempo. Não conseguem ultrapassar as barreiras que vão aparecendo no caminho. Todos sabem que é necessário ter muita “força de vontade” para se conseguir o que se quer e para emagrecer não é diferente. Mas eu lhes digo, mais difícil do que emagrecer é se manter magro, e é claro que todo mundo já percebeu isso.

Já pararam para pensar que fazer força é “forçar” uma situação e que isto significa tensão e que naturalmente, tendemos ao “relaxamento”, a procura de uma zona de conforto? E que só precisamos forçar uma situação quando não conseguimos de outro modo conseguir nosso objetivo? Assim, a força de vontade está a serviço do entusiasmo e das forças de começo, mas não de manutenção. A força de vontade funciona bem por algum tempo, mas não para todo o tempo, que é o que precisamos para nos mantermos “magros” para sempre.

Precisamos de vida para emagrecer é porque quando engordamos demais, deixamos a vida para lá, nos aproximamos mais do não viver. Nos escondemos de nós mesmos e do mundo, por debaixo de quilos e quilos de gordura. E deixamos que o comer passe a ser quase que o único elo com o prazer de viver. Seguindo este raciocínio, a pergunta que se faz é: Como que tal pessoa vai prescindir de comer se a comida é o que a mantém “viva”? A resposta é recuperando o prazer em viver.

Emagrecer não é só uma questão de fechar a boca, de reeducação alimentar ou de queimar calorias fazendo exercícios. Digo que esse é o emagrecimento que se dá de fora para dentro, muito necessário, mas não suficiente. Mais do que sabermos a razão do porque engordamos, e a resposta é muito simples: porque ingerimos mais calorias do que conseguimos queimar, se coloca um questionamento, a meu ver fundamental, que seria para que comemos tanto a ponto de ficarmos doentes.

Assim, precisamos de entusiasmos para começar a emagrecer, mas de muito amor por nós e pela vida, para nos mantermos magros!

Adrielle Ferreira

Psicóloga Clinlife

CRP: 04/38423.

Qual o seu Hobby?

Quando faço esta pergunta aos clientes, muitos me olham assustados, estupefatos como quem pensa “que importância isso tem?” e, posteriormente, quando percebem que falo sério, pensam “hobby????…..não…acho que não….dormir é um hobby?”

Primeiramente, Hobby é uma palavra inglesa frequentemente usada na língua portuguesa e significa passatempo, ou seja, uma atividade que é praticada por prazer nos tempos livres. Um hobby não é uma ocupação a tempo inteiro, e tem como objetivo o relaxamento do praticante.  Normalmente, a prática de um hobby não implica vantagem financeira para a pessoa em questão. Apesar disso, ele pode se transformar em uma tarefa que resulta em benefício financeiro para o praticante. Em segundo lugar, respondendo ao pensamento do cliente; dormir, não é um hobby.

Mas ainda fica a primeira pergunta no ar: Qual a importância de se ter um hobby? Justamente por ser uma atividade de lazer e passatempo, os hobbies têm o poder de nos relaxar, de nos fazer desviar nossas tensões dos nossos problemas do dia-a-dia, eles podem inclusive renovar nossas energias para podermos enfrentar nossas rotinas de trabalho, cuidar de filhos, do lar, etc.

Em um blog de um Psicólogo certa vez li que o fato de ele saber que poderia ter atividades paralelas á Psicologia também o dava a certeza que ele tinha escolhido a profissão certa, pois ter à disponibilidade funções além da profissão, faz com que não tenhamos o sentimento de que estamos abandonando algo que amamos.

Então, podemos trabalhar no que gostamos, ganhar dinheiro e ainda fazer algo para nossa diversão, é bom, o seu corpo e a sua mente agradecem. Além disso, é ótimo para o seu processo de emagrecimento !!!

Iana Pechir

Psicóloga Clinlife

CRP: 04/35355

Exercite seu cérebro a favor de sua dieta

Pesquisas recentes apontam vários mecanismos pelos quais o cérebro tenta sabotar os esforços para emagrecer. Por isso, a cada situação que o cérebro entende como uma ameaça ao estoque energético do organismo, a resposta é a mesma: uma ordem para guardar mais calorias. Instintivamente, o indivíduo vai procurar consumir as opções com maior teor calórico, ou seja, alimentos com mais gordura e açúcar, e haverá reações cerebrais para reduzir o ritmo metabólico.

“Até pequenos períodos sem comer podem levar a escolhas em que são privilegiados os alimentos calóricos em detrimento dos saudáveis, por isso, a melhor coisa a fazer é não pular refeições.”

As pessoas devem fazer um café da manhã saudável e equilibrado o mais cedo possível e depois diminuir a quantidade de calorias ingeridas ao longo do dia, foi constatado que pessoas habituadas a comer mais tarde perdem menos peso.

Ao longo da evolução, o cérebro também foi sendo condicionado a interpretar a comida como fonte de prazer. Isso quer dizer que o órgão estimula o consumo de alternativas associadas a alto conteúdo calórico e também a maior sensação de bem-estar.

Uma das armas que podem ser usadas é a memória, somente a lembrança de ter saboreado uma farta refeição pode ser suficiente para deixar as pessoas com menos fome, mesmo horas depois de tê-las ingerido.

Pequenas porções proporcionam satisfação similar à promovida pelas grandes, intensificando a mastigação e se tiver um aroma mais forte, melhor ainda. Segundo experiência divulgada na revista científica “Flavour”, quanto mais intenso o cheiro do alimento, menor o tamanho das mordidas. “E as pessoas comem menos se a mordida for pequena”.

O cérebro pode ser condicionado a fazer boas escolhas, você deve determinar isso a ele, essa deve ser uma prática rotineira, a criação de novos hábitos vem da persistência acumulada ao longo dos dias.

Fonte: adaptado: www.istoe.combr

Jaqueline dos Anjos de Abreu – CRN 4632

Emagrecer, pra quê?

 

                                         

Geralmente, quando se aproxima o verão, várias pessoas querem emagrecer para colocar aquele tão sonhado biquíni na praia, ou usar aquele short maravilhoso que comprou.

Mas, você realmente já parou para pensar nos benefícios que o emagrecimento traz?

Emagrecer traz inúmeros benefícios que vão muito além de ficar mais bonita e colocar aquele sonhado biquíni …

Uma perguntinha: Você consegue se lembrar do que comeu ontem no almoço? E naquela festa do seu sobrinho na semana passada? Não se lembra se foram dez ou quinze salgadinhos que você comeu?

Se a resposta é “não me lembro”, fique atento que estão aí dois motivos para fechar a boca. O primeiro é que, dez ou quinze salgadinhos, você anda comendo demais.

O segundo é que seu cérebro vai agradecer. Sabia que emagrecer ajuda também a melhorar sua memória?  Estudos realizados mostram que perder peso ajuda ( e muito) na memória.

A explicação é simples: estar acima do peso vem acompanhado de vários  outros fatores , como a pressão alta e o diabetes, por exemplo –que prejudicam o desempenho do cérebro.

Se você emagrece e se livra desses problemas, ele funciona melhor.

Sem contar que a hipertensão arterial  traz possibilidades e riscos de complicações como acidente vascular cerebral (derrame), doença arterial coronariana, insuficiência cardíaca, insuficiência renal crônica, doença vascular de extremidades , dentre outras.

O diabetes (doença que anda lado -a- lado com a obesidade) se não tratado devidamente, traz consequências como: problemas com a coagulação sanguínea e na cicatrização, problemas na visão, doenças cardiovasculares, dentre outros.

Em qual corpo você prefere viver? Em um corpo doente ou saudável? O  emagrecimento pode te tornar livre da hipertensão, do diabetes,e outras doenças relacionadas.

Sem contar na autoestima que será recobrada, nos benefícios de escolher suas roupas e se olhar no espelho sem traumas.

Os benefícios do emagrecimento são muito maiores que o sacrifício.

Coloque-os na frente de seu objetivo e vá adiante, você viverá melhor em todos os sentidos!

Cristiane Froes

Psicóloga Clinlife

CRP: 35.330

Fome á noite? Isto é um problema de saúde

A fome noturna foi descrita na década de 50 como uma síndrome, tendo como principal característica o excesso de fome noturna que se inicia normalmente no fim do dia; levando a um alto consumo de calorias neste período e acarretando uma dificuldade para dormir e um sono mais agitado.

Acredita-se que os fatores que desencadeiam a Síndrome da fome noturna estão relacionados com um desequilibrio de alguns fatores de regulação neuroendócrina relacionados ao ritmo circadiano.

O ritmo circadiano nada mais é  que o equilíbrio que ocorre no nosso organismo durante a noite e o dia, ou durante o sono e a vigília e todos os ajustes que se fazem necessários em nosso corpo para que isto ocorra.

E justamente aí está o problema: um descompasso entre a melatonina e a serotonina faz com que as pessoas com a Síndrome da fome noturna acabem tendo fome á noite, perda do apetite de dia e problemas com o sono.

A ausência de fome pela manhã e ao longo do dia normalmente ocasiona uma ausência de ingestão – períodos de jejum prolongado, superior a 3horas ou ausência de alguma refeição.

Por isso muitas pessoas quando iniciam uma reeducação alimentar com o desejo de emagrecer queixam-se da dificuldade de controlar a alimentação no período noturno.

Ao longo do dia, as atividades de rotina do trabalho e os compromissos as envolvem a atenção e não as fazem se interessar pelo ato de se alimentar.

Ai quando a noite se aproxima, os ânimos se acalmam e a imagem dos alimentos vem à mente e torna-se quase impossível evitá-los, devido ao fato de seus níveis hormonais estarem elevados.
Segue algumas dicas que podem minimizar este problema:

Evite saltar refeições – Algumas pessoas acham que omitindo refeições estarão emagrecendo mais rápido. É uma ideia falsa e as repercussões geralmente aparecem à noite. Fracione bem a alimentação durante o dia.

Hábitos regulares – Tenha horários para se alimentar, evite ficar mudando muito os horários de comer;

Mantenha alimentos leves em casa – Isso é primordial: se só estocar em casa alimentos pouco calóricos, ao sentir vontade de comer você só terá acesso a este tipo de alimento.

Faça alguma atividade física no final da tarde – Para alguns, a vontade de comer durante a noite é consequência da ansiedade e do estresse acumulado ao longo do dia. Realizar exercícios físicos no final da tarde é uma excelente maneira de controlar o estresse, além de proporcionar uma sensação de bem-estar que durará até a hora de dormir.

Não se esqueça das proteínas e fibras – Entre todos os nutrientes dos alimentos, as proteínas são as que proporcionam maior sensação de saciedade. Prefira alimentos com baixo índice glicêmico (produtos integrais) durante todo o dia e principalmente à noite. Ao trocar o jantar por um lanche, muitas vezes as pessoas esquecem-se das proteínas e comem praticamente só carboidrato. Cuidado!

Evite ficar beliscando – É preferível fazer uma refeição mais completa a comer pequenos lanchinhos a noite toda. Leve para a mesa somente a quantidade que for comer e guarde o restante.

Cuidado com excesso de cafezinhos – Evite qualquer fator que possa influenciar no sono noturno, como a ingestão de cafeína após as 18h, por exemplo, ou atividade física logo antes de deitar.

Regularidade com o sono – Tente ter regularidade de sono, evitando trabalho em turnos, e dormir pelo menos 6 horas por noite;

Ambiente tranquilo para se alimentar – Coma lentamente e sem fatores de distração, como a televisão, principalmente no período noturno;

Programe algo prazeroso para fazer – Grande parte do hábito de comer à noite pode estar relacionada apenas ao fato de estar ocioso. Tente programar o que irá fazer para se alimentar antes mesmo de chegar em casa.

E, para relaxar: que tal preparar uma xícara de um bom chá e degustá-la lentamente? Isso auxiliará na liberação dos hormônios que influenciam no sono.

 

Lembre-se: controlar a alimentação noturna é muito importante para o sucesso do seu objetivo.

 

 

Alcimara Macieira

CRN 4824

Nutricionista – Clinlife

Brincar é arte, emagrecer faz parte!

Vamos brincar !!!

Você lembra quando brincava? Jogava peteca e pulava corda só pelo simples prazer da brincadeira? Tem ideia de que praticava horas de brincadeiras sem nem parar para reclamar de dores ou incômodos, aliás, nem imaginava que era exercício físico!
Pois é, brincar é realmente muito bom, e na vida adulta além de fazer muito bem à saúde é rejuvenescedor. Certas brincadeiras do universo infantil  podem virar exercícios físicos que proporcionam um gasto calórico de até 400 calorias por hora, o que pode ajudar no emagrecimento, claro aliado a uma boa prescrição alimentar feita pelo seu nutricionista.
Aí vão algumas dicas de brincadeiras que podem ser úteis no seu processo de emagrecimento. Juntamos 6 brincadeiras que assim como os esportes, funcionam como exercícios físicos para que seu filho se divirta do jeito mais saudável junto com você.

São elas:

Pique-bandeira
O objetivo é capturar a bandeira do time adversário depois de atravessar o campo do inimigo sem ser pego. A atividade estimula a criatividade e o trabalho em equipe. O pique-bandeira gasta 190 calorias a cada 30 minutos.
Barra-manteiga
A brincadeira desenvolve noções de estratégia, melhora a capacidade cardiovascular e promove a explosão muscular, já que há corrida de curta distância. Cerca de 30 minutos representam um gasto calórico de 190 calorias.
Pega-pega
A tradicional brincadeira de correr atrás do inimigo para pegá-lo ajuda a desenvolver a velocidade, agilidade e equilíbrio. A atividade também gasta 190 calorias em 30 minutos.
Queimada
Conhecida entre as crianças principalmente nas aulas de Educação Física do colégio, o jogo ajuda a desenvolver a coordenação motora, força noção espaço-temporal e equilíbrio. O gasto calórico para 30 minutos é de 140 calorias.
Bambolê
Rodopiar o arco com o corpo gasta cerca de 110 calorias a cada 30 minutos. A atividade é benéfica porque ajuda a promover o equilíbrio, a concentração e a noção de espaço.
Amarelinha
Pular amarelinha ajuda a estimular o raciocínio lógico, além de promover o equilíbrio. 30 minutos da brincadeira gastam 105 calorias.

 

Jorge Maciel

Educador Físico Clinlife

CREF 016511

Quem mais além de mim faz dieta?

Estamos vivendo tempos em que todos afirmam que estão de dieta, porque precisam emagrecer. Este é um discurso típico principalmente das mulheres atuais que vivem em busca de um corpo pelo menos dois quilos mais leve, indiferente de quanto pesem.

 As mudanças na maneira de viver nos dias de hoje vem re-moldando drasticamente os hábitos das pessoas, inclusive os alimentares.

 Pensando neste contexto se faz eminente a pergunta: Mas será que só quem está acima do peso é que faz dieta? E que isso seria um castigo pelos hábitos não saudáveis, mas que são tão prazerosos? Será que temos de viver sobre punição para ser saudáveis? Ou melhor, onde punição e vida saudável viraram sinônimos?

 Refletindo sobre estes questionamentos a possibilidade de conceituar de forma clara e objetiva o significado da palavra dieta é base para qualquer reflexão.

 Afinal de contas as mudanças não foram só na alimentação, então será que dieta é apenas o que se come? E mais do que isso, dieta sempre é para redução de peso?

 Uma dieta é o conjunto das substâncias alimentares que constitui o comportamento nutricional dos seres vivos. O conceito provém do grego díaita, que significa “modo de vida”. A dieta é portanto um hábito e representa uma forma de viver.

 Por vezes, o termo é usado para fazer referência aos regimes alimentares especiais para perder peso ou para combater determinadas doenças, ainda que estes casos representem alterações da dieta e não propriamente a dieta em si.

 A alimentação humana não é determinada unicamente por questões biológicas, uma vez que também tem em conta os fatores sociais, econômicos e culturais.

 Muitas das vezes, a dieta é condicionada pela disponibilidade dos alimentos, que depende das condições climáticas e da localização geográfica de cada região.

 Também não nos esqueçamos dos fatores pessoais, que determinam uma dieta, como o gosto, a influência da publicidade de certos produtos alimentares, as preferências estéticas e outras questões.

 A facilidade de obter determinados alimentos, as condições climatéricas os hábitos sociais fazem com que cada país e região tenha a sua própria dieta.

 Argentina, por exemplo, apresenta um dos índices mais elevados do mundo no que diz respeito ao consumo de carne de bovino. Já, os Estados Unidos tendem mais a ingerir grandes quantidades de comida de “plástico” (do inglês junk food), isto é, alimentos com baixo valor nutritivo e altos níveis de gorduras ou açúcares, como é o caso dos hambúrgueres. Esta dieta tem causado uma epidemia de obesidade no seio da população norte-americana.

 Diante destas constatações fica pelo menos uma certeza: TODOS NÓS ESTAMOS EM UMA DIETA. O que difere de uma pessoa para a outra é o objetivo que vai atingir com a sua!

  Então será que precisamos continuar vendo o processo de educação alimentar como algo que diz de um erro e que esta seria a medida corretiva!

 Ter uma dieta saudável antes de qualquer coisa é ter uma vida saudável.

 Como você anda se relacionando com sua dieta? Será que ela precisa de ajustes??

Thais Martins

Psicóloga Clinlife

CRP 04/24638