Páscoa – diga SIM a Dieta!

Chegou o período mais doce do ano, a Páscoa. E neste momento o primeiro pensamento é “dar um tempo” no controle alimentar e depois que acabarem os ovos correr atrás do prejuízo. Será que é o melhor caminho a seguir?

Com certeza não é. Se pensarmos assim não será possível evoluir no acompanhamento nutricional. Ou seja, o ano inteiro tem comemorações que atrapalham o objetivo do controle do peso. Somente nos últimos meses passamos por Natal, festa de Ano Novo, férias e Carnaval. Em breve teremos a Páscoa, depois inverno e só preocuparemos em seguir dieta firme quando chegar o verão.

Decididamente este é um ciclo que deve ser cortado. Vamos aliar as datas comemorativas com a Reeducação Alimentar!

Ainda faltam alguns dias para a chegada da Páscoa, mas o pecado da gula já ronda muita gente.

A dica é aproveitar os dias antes do feriado para fechar a boca e tentar afinar um pouco mais!

O chocolate é considerado saudável e nutritivo, mas deve ser consumido com moderação! A recomendação de consumo médio é de 30 gramas por dia, cerca de 160 calorias.

Os tipos também influenciam no valor nutricional do doce. O chocolate meio-amargo  e o amargo são os mais saudáveis. Por possuírem alta concentração de cacau (acima de 70%), são ricos em flavonóides, nutrientes que têm ação antioxidante e ajudam a manter o coração e as células saudáveis.

A regra é: quanto mais escuro o chocolate, mais flavonóides ele tem, portanto mais saudável!

O chocolate branco é mais calórico e gorduroso, já que sua composição é feita a partir da manteiga de cacau. Além disso, não têm ação antioxidante como os outros tipos.

Para tentar driblar a vontade de devorar chocolate, o ideal é não ficar mais de três horas sem comer.

Além disso, a tradição de comer peixe nesta época pode fazer muito bem à saúde. Eles são fontes de vitaminas, proteínas e ácidos graxos Ômega 3 e Ômega 6.

Curta o feriado e a páscoa, mas não deixe a peteca cair!

Páscoa é dizer sim ao amor e a vida; é investir na fraternidade, é lutar por um mundo melhor, é vivenciar a solidariedade.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *