A diferença entre refinados e integrais

Existem três tipos de carboidratos: complexos, refinados e simples. Os mais recomendados são os carboidratos complexos – também conhecidos como integrais. São ricos em amido, porém, possuem teor de gordura relativamente baixo e ao mesmo tempo contêm vitaminas, minerais e fibras. Fazem parte desse grupo batatas, batata-doce, milho, macarrão, arroz integral, feijão, ervilhas e lentilhas, por exemplo.

Os refinados têm sido cada vez mais vistos como vilões, pois, no  processo químico a que eles são submetidos, perdem fibras, vitaminas e minerais. De maneira geral, têm bastante caloria e são pobres em nutrientes essenciais. Pães brancos, arroz branco, biscoitos, tortas, bolos e a maioria das sobremesas assadas fazem parte dessa categoria.

Os açúcares constituem os carboidratos simples. Eles também são divididos por tipos. Sabe aquele açúcar mais escuro? É o mascavo. Quanto mais sua coloração puxar para o marrom, mais vitaminas e sais minerais ele tem.

Especialistas indicam que, em 100 gramas de açúcar mascavo, há 85 miligramas de cálcio, 29 miligramas de magnésio, 22 miligramas de fósforo e 346 miligramas de potássio. Na mesma quantidade, o refinado – que é o branco, ou seja, o tipo mais comum – traz, no máximo, 2 miligramas de cada um desses nutrientes.

Os alimentos refinados e integrais têm praticamente o mesmo valor calórico, mas há uma grande diferença nas propriedades nutricionais de cada um deles.

Propriedades dos diferentes tipos de açúcar que existem:

 Açúcar mascavo: não passa por refinamento. É extraído da cana-de-açúcar e mantém as mesmas vitaminas e sais minerais dessa planta.

 Açúcar demerara: fica no processo intermediário entre o mascavo e o refinado. Não passa por branqueamento. Por isso, mantém as vitaminas e sais minerais no mesmo nível que o mascavo.

 Açúcar refinado: é processado a partir do melado de cana ou do açúcar mascavo. O produto, que inicialmente é marrom, recebe adição de gás sulfídrico e outras substâncias químicas para ficar claro. Nesse processo, ele perde vitaminas e sais minerais.

 Açúcar orgânico: com valores nutricionais similares ao mascavo e ao demerara, tem a vantagem de ser livre de aditivo tóxico no processo do plantio da cana-de-açúcar.

O valor nutricional do integral é maior porque, durante o processo de refinamento dos alimentos, grande parte dos nutrientes é perdida – principalmente no caso do farelo e do gérmen (trigo), que são retirados nesse procedimento. Por isso, uma alimentação com integrais é muito mais saudável e nutritiva do que uma alimentação com refinados.

 Agora que você já sabe um pouco mais sobre os refinados e integrais pode fazer sua escolha e, quem sabe, ter hábitos de vida cada vez mais saudáveis no dia a dia.

Junia Fávia Rodrigues

Nutricionista Clinlife

CRN 3683

Related posts:

  1. O café da manhã pode fazer a diferença na sua qualidade de vida
  2. Emagrecimento: a distância entre a teoria e a prática
  3. Lanchinhos entre as refeições
  4. Razões para adotar uma alimentação integral
  5. FÍGADO, ÓRGÃO ESSENCIAL PARA O BOM FUNCIONAMENTO METABÓLICO

Envie um comentário

Seu email não será divulgado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*


8 + = 10