A Droga chamada GORDURA!

A comida gordurosa, que está muito próxima de nós, está sendo acusada de causar dependência!

Uma pesquisa da revista Nature Neuroscience realizada em ratos sugeriu que o consumo de alimentos ricos em gordura causaria uma dependência semelhante à observada em viciados em cocaína ou heroína.

O estudo, feito pelo Scripps Research Institute, no Estado americano da Flórida, afirma que, assim como o vício em drogas, a compulsão por comidas gordurosas, como doces e frituras é extremamente difícil de ser combatida porque seria o mesmo mecanismo cerebral do vício humano em drogas.

Esta pesquisa dividiu os ratos em três grupos, de acordo com o tipo de dieta oferecida: o primeiro recebia uma dieta balanceada, o segundo uma alimentação saudável, mas tinha acesso durante uma hora por dia a alimentos com alto valor calórico, e o terceiro grupo comia apenas alimentos calóricos. Os animais do terceiro grupo comeram compulsivamente e após 40 dias estavam mais gordos e tiveram os centros cerebrais de prazer acionados da mesma maneira que ratos drogados com cocaína e heroína.

A experiência ofereceu alimentos que provocam obesidade se consumidos em excesso, como bacon, salsichas e cheesecakes e os animais começaram a engordar imediatamente.

Da mesma forma como ocorre no cérebro dos dependentes químicos, os ratos superalimentados apresentaram uma redução acentuada nos níveis de substâncias responsáveis pelas sensações de prazer, conhecidas como receptores de dopamina. O mecanismo pelo qual isto ocorre é simples: drogas como a cocaína ou alimentos gordurosos estimulam a liberação de dopamina, mas com ela em excesso, o organismo se defende, reduzindo o número de receptores. Após a redução dos receptores, o organismo fica menos sensível, ou seja, necessita de quantidades de gordura cada vez maiores para que o cérebro se sinta saciado, assim como, se a redução nos receptores continuar, o vício se instala.

O primeiro sinal de vício é quando se perde completamente o controle sobre seu hábito alimentar!

E, além disso, já se sabe que, a exposição materna durante a gestação a uma dieta com elevado teor de gorduras, independente da obesidade materna, aumenta o risco de desenvolver distúrbios comportamentais no feto, tais como a ansiedade. A ansiedade seria causada por alterações nos mecanismos da serotonina, um neurotransmissor (envolvida na comunicação entre as células do cérebro) que parece ter algumas funções, como controle da liberação de alguns hormônios e a regulação do sono, do apetite e ansiedade.

Mas, estamos falando das gorduras ruins. Existem as gorduras boas, como o azeite extravirgem, castanhas e demais oleaginosas, óleo de coco e abacate e são excelentes para a saúde e devem ser consumidos!

Mude a maneira como pensa sobre a comida, pois a oferta desta está totalmente relacionada com a sua saúde!

Texto adaptado da Revista Saúde

1 comentário


  1. Muito interessante essa pesquisa e ela faz totalmente sentido. É incrível como a gente sente vontade de comer cachorro quente, x salada, essas coisas. Parece até que a gente sente necessidade disso. Então, existe um motivo e acho que é bem pertinente este estudo, principalmente nos dias atuais, em que a obesidade é um mal que está sendo ampliado a cada dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *