A reeducação alimentar e a Família

Os fatores que favorecem o quadro de obesidade são sedentarismo, hábitos familiares inadequados e alimentação insatisfatória. Entram na lista também dietas com excesso de carboidratos, e o fato de comer rápido demais.
Já está comprovado que a perda de peso deve ser a conseqüência de um processo que engloba mudanças internas e externas. Isso quer dizer que só o fato de restringir a alimentação pode em um primeiro momento levar a perda de peso, porém o sucesso da reeducação alimentar está na manutenção da vida saudável.

Assim sendo é necessário conciliar a alimentação, a atividade física e apoio emocional, individual e familiar.

A reeducação alimentar e a realização de exercícios físicos são essenciais em qualquer tratamento de obesidade. Porém, muitas vezes ambas as práticas são hábitos que pertencem não somente ao indivíduo, mas a toda a sua família. Isto porque, quando um ou mais membros procura ajuda médica para perder peso, é necessário adotar hábitos de vida saudáveis para todos os familiares, ou seja, a famosa “comidinha da mamãe” deve passar por alterações.

Nem sempre é fácil resistir às tentações que você tentou riscar do cardápio para emagrecer, como aquela deliciosa sobremesa que a família inteira saboreia todos os dias. Para adotar a reeducação alimentar, você precisa do apoio de todos, seja na hora das compras deixando algumas guloseimas de lado, afinal é muito difícil resistir a um armário cheio de guloseimas, por mais força de vontade que se tenha, e isso não é sinal de fraqueza, ou mesmo na preparação das receitas. É importante mencionar que a pessoa ansiosa belisca qualquer tipo de alimento a qualquer hora, principalmente se tiver guloseimas fáceis em casa.

Thais Martins Santos

Psicóloga

CRP 04/24638

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *