Antioxidantes – Conheça os varredores de radicais livres

Os radicais livres são formados a partir do metabolismo das nossas células, mas em quantidades maiores podem tornar-se um problema causando uma série de doenças, como alguns tipos de câncer e o envelhecimento precoce. Em condições naturais e ideais de vida, o nosso sistema antioxidante natural do nosso próprio organismo (moléculas que combatem o excesso de radicais livres), pode eliminar os radicais livres com substâncias que conseguem “varrer” esses radicais. Fazendo parte do sistema antioxidante natural do nosso corpo, estão as enzimas. Existem também outros tipos de antioxidantes, como a Vitamina A, Vitamina C e Vitamina E.

Todavia, há condições em que ocorre um desequilíbrio, no qual a balança acaba pendendo para o lado dos radicais livres. As causas são desde uma dieta inadequada, que empobreça o sistema antioxidante, até um aumento na produção de radicais livres.

A má alimentação, o estresse, a poluição, o tabagismo, as radiações ionizantes (como raio-X), a pressão alta, o diabetes, as gorduras indesejáveis aumentadas no sangue, as infecções por vírus e bactérias, a má oxigenação do sangue, o avanço da idade e os radicais livres são fatores que causam lesões prejudiciais às células do corpo, colocando-as em risco, principalmente no sexo masculino, facilitando a trombose, a aterosclerose, e a contração prejudicial dos vasos sangüíneos, mesmo frente aos benéficos exercícios físicos.

Vários compostos possuem ação complementar para os antioxidantes naturais, sendo essenciais na proteção contra os radicais livres em excesso. O intestino saudável também é fundamental, pois permite a boa absorção de nutrientes, entre os quais estão os antioxidantes.

As principais substâncias antioxidantes dos alimentos são:

Vitamina A ou retinol (fígado, cenoura, mamão, laranja);

Vitamina C ou ácido ascórbico (mamão, brócolis, laranja, acerola, goiaba, limão);

Vitamina E ou tocoferol (azeite, cereais, verduras);

Magnésio (cereais integrais, castanhas), zinco , cobre e manganês (castanhas, legumes, grãos integrais), cromo (grãos integrais) e selênio (castanhas);

Betacaroteno ou pró-vitamina A (da cenoura);

Licopeno (do tomate, goiaba, mamão, pitanga e melancia);

Fenólicos (da uva roxa e chás de Camellia Sinensis ( chá verde);

Resveratrol (da uva roxa).

Os alimentos ricos em antioxidantes, encontram-se em especial nos vegetais, mais um motivo pelo qual as nutricionistas, fazem questão de destacar a importância das frutas, legumes e cereais na saúde e qualidade de vida. Estudos em todas as partes do mundo mostram os efeitos desses grupos de alimentos na diminuição do risco de incidência de certas patologias, principalmente aquelas relacionadas ao envelhecimento.

De modo geral, a proteção contra radicais livres se faz evitando o tabagismo, alimentos com aditivos, proteção ambiental (evitar poluição), a obesidade, as gorduras elevadas no sangue, o controle da pressão arterial e do diabetes, alimentação correta, suplementação dietética (somente com prescrição de nutricionista ou médico) e exercícios físicos regulares.

As pessoas devem estar cientes que tais alimentos não são milagrosos, mas devem sim fazer parte de uma dieta equilibrada e hábitos de vida saudáveis.


Fonte: www.anutricionista.com ( adaptado)

Related posts:

  1. Alimentação desequilibrada pode provocar envelhecimento precoce
  2. Intolerancia à lactose – conheça mais
  3. Cuidados para a saúde na terceira idade
  4. Alimentos que roubam calorias!!!
  5. Musculação – conheça os benefícios

Envie um comentário

Seu email não será divulgado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*


5 − = 3