As competências necessárias para o emagrecimento

Efeito sanfona, boicote à dieta, assalto noturno à geladeira, preguiça de ir à academia.  Tudo isso pode ser culpa do inconsciente. “O corpo é o reflexo do que existe dentro da pessoa e essa imagem está atrelada às emoções. As pessoas são bombardeada diária com informações sobre  o que devem ou não comer para não engordar, mas o inconsciente grava emoções que levam a ingerir gordura, mesmo sem querer ou precisar.

Esse boicote acontece por conta de um efeito chamado sincronismo. Quando o inconsciente detecta que o corpo está diferente do registrado por ele, ou seja, com mais gordura, libera os impulsos que fazem abrir mão da dieta por qualquer motivo. Para se ter uma ideia, a velocidade de processamento do nosso racional é de 40 impulsos neurais por segundo. Já o nosso inconsciente processa 40 milhões de impulsos neurais por segundo. Ou seja, na hora que dá o play, a informação que chega primeiro é a de que o corpo precisa de gordura. Por isso que, por mais dietas que se faça, é sempre mais delicado  alcançar o objetivo final e acabar com o efeito sanfona.

O processo de reeducação alimentar vai além de uma boa orientação nutricional e atividades físicas, faz-se necessário desenvolver algumas competências que irão fortalecer as escolha por um estilo de vida mais saudável e equilibrado tais como:

• Força de Vontade
• Planejamento
• Disciplina
• Autocontrole
• Autoconfiança
• Autoestima elevada
• E outras que muda conforme a necessidade individual

O desenvolvimento de competências está relacionado a treinamento e inteligência emocional. Não é tão fácil quanto dizem seguir as regras da dieta, ter força de vontade pra treinar todos os dias e sem pular nenhum exercício, não quebrar na corrida… e por aí vai.

O grande problema é que a maioria das pessoas ainda pensa apenas na parte física e biológica do processo de emagrecimento e esquecem que existe toda uma parte interna e psíquica que interfere MUITO nos resultados.

Existem crenças em nossa cabeça que nos fazem agir como agimos. Por isso as pessoas falam tanto de hábitos alimentares, na verdade, eles contêm hábitos afetivo-emocionais por trás (inconsciente ou consciente), alguns exemplos são: você come chocolate porque isso te remete à sua infância na casa da vó, você come fritura porque sua mãe cozinhava para a família nos finais de semana, você não consegue abrir mão da carne vermelha porque te lembra de seu pai, você não tem autocontrole para recusar um sorvete após o almoço porque sempre ouviu que só um pouquinho pode e tantas regras mais que regem nossa vida sem que percebamos.

Por isso, se você está decidindo reeducar seu corpo para uma estética mais saudável, lembre-se de reeducar sua mente. Nosso corpo e comportamento são consequência do que pensamos e se você não ajustar a psiquê, o efeito sanfona vem com tudo e forma uma música bem triste na sua cabeça.

Eu sei que ninguém quer isso viver de vai e vem, mas a oportunidade de mudança está em suas mãos. Se previna da autossabotagem e procure um psicólogo que pode te auxiliar a desenvolver essas competências fundamentais para o seu processo de emagrecimento e muito, além disso, para uma vida mais harmônica e equilibrada.

Thais Martins Santos

Psicóloga Clinlife

CRP 04-24638

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *