Associação da deficiência de vitamina D com doenças crônicas e obesidade

Atualmente vem se falando muito sobre a deficiência de vitamina D (colecalciferol) e sua associação com a saúde. As principais doenças crônicas relacionadas com sua deficiência são obesidade, diabetes melito tipo 2  e hipertensão arterial.

A deficiência dessa vitamina pode afetar a resposta insulínica ao estímulo da glicose, o que em longo prazo pode culminar em aparecimento de diabete melito do tipo 2 devido a hiperglicemias constantes.

Em indivíduos obesos são freqüentemente observadas níveis de vitamina D abaixo do ideal. Isso pode ser devido ao fato da menor exposição solar em obesos e principalmente ao depósito de vitamina D nos adipócitos (células que armazenam gordura) o que resulta no aumento da sensação de fome e na diminuição do gasto energético.

O aumento do nível sérico de vitamina D está diretamente ligado à redução dos níveis na pressão arterial. Estudos recentes têm mostrado que o risco de desenvolver doenças cardiovasculares é maior em indivíduos com deficiência de vitamina D.

A principal fonte de vitamina D é a cutânea (pele) quando exposta a luz solar, porém essa forma primária da vitamina D é inativa.

Após essa exposição a vitamina D é transportada para o fígado onde será metabolizada por uma enzima para se tornar ativa.

Lembrando que o tempo de exposição pode variar de acordo com a tonalidade da pele, já que as peles mais escuras são mais resistentes a filtração dos raios solares.

A fonte alternativa muito utilizada atualmente é a suplementação de vitamina D para aqueles indivíduos com pouca exposição solar, cujo exame de sangue tenha evidenciado deficiência da mesma.

Temos também as fontes alimentares que contribuem menos (em torno de 10%) no estoque de vitamina D no organismo. Dentre elas, podemos destacar o leite, ovos e peixes.

Portanto, garanta já seu estoque de vitamina D. Faça também um check-up de rotina e use suplementos apenas sob orientação médica.

Fernanda Rocha Andrade

Nutricionista Clinlife

CRN 11.100

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *