Atingi minha meta e agora?

Para muitos, o processo de emagrecimento não é uma tarefa fácil. Porém, não é novidade que nosso organismo e psiquismo sentem um preparo maior e mais vontade de cumprir uma tarefa quando é colocado como novidade, buscando mais ânimo e motivação para alcançar a meta determinada. Para emagrecer é preciso determinação, força de vontade, foco, dinamismo e pensamento magro. Trabalhar o pensamento em relação à vontade de comer é tão importante quanto fazer uma dieta e isso nem sempre é colocado em jogo. Do que adianta ter toda uma estrutura alimentar saudável e excelentes exercícios se continuamos a pensar naquele sanduiche gorduroso ou naquele sorvete novo do shopping ou no chocolate pós-almoço??

Somos um ciclo composto por mente e corpo. E esse ciclo precisa estar em perfeita ordem, mantendo seu equilíbrio funcional para que possamos criar dessa rotina um hábito prazeroso e não um martírio.

Muito bem! Meta alcançada, peso ideal atingido, dever cumprido! E agora? Já podemos pensar novamente naquelas guloseimas que atrapalham nosso sono de tanta água na boca que sentimos, certo? ERRADO! O maior desafio começa agora e é nele que precisamos focar novamente.

Alguns estudos relacionados ao tema mostram que nossas células de gordura são formadas ainda na infância. Quando há uma alimentação de forma incorreta e um ganho de peso, estas células de gordura incham, chegando a ficar seis vezes o tamanho original. Assim, essas células de gorduras “cheias”, quando multiplicadas, aumentam os depósitos de gordura corporal. Estas células nos acompanham por toda a vida e, por isso, é preciso ficar atento, pois elas ficam esperando uma oportunidade ou um descuido para voltarem inchar e se multiplicar. Por mais que haja o emagrecimento desejado, as células de gordura adquiridas quando se ganha peso não desaparecem, apenas encolhem.

Ter consciência de que este processo é contínuo é de extrema importância. Assim, vão algumas dicas para o pós-emagrecimento que podem ajudar essa manutenção:

1)    Coma de tudo, porém sem excessos: gerenciar os grupos alimentares e de forma razoável trará prazer sem culpa para seu paladar;

2)    Hidratação: água é sempre o melhor acompanhante quando se fala em vida saudável. Beba, no mínimo, 2 litros de água por dia;

3)    Reeducação Alimentar: provavelmente, seu organismo já se acostumou a comer bem. Tente manter o ritmo, dividindo os horários das refeições fazendo seu organismo sentir menos fome e necessidade de comer o tempo todo;

4)    Atividade Física: manter o corpo em atividade é essencial para o gasto de energia e daquela gordurinha que ficou guardada indesejadamente. Procure atividades que deem prazer, assim fica mais fácil e gostoso realizar um esporte ou colocar o corpo em movimento;

5)    Controle o Pensamento: por fim, entenda que toda sua “máquina humana” é você quem controla. É preciso estar no comando dos seus pensamentos e vontades. Invista em atividades de autoconhecimento, fornecendo seu próprio bem-estar pessoal e descobrindo suas próprias ferramentas de ajuda.

Lembre-se: Você é seu maior amigo ou seu maior inimigo em qualquer batalha. Acredite no seu potencial de melhora e entenda que estar bem é estar feliz da forma que lhe cabe.

 

Mayara Baltar

Psicóloga Clínica e Neuropsicóloga

CRP 01/16374

(Clinlife – Brasília)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *