Beleza se discute!

Atualmente vivemos em um mundo que dita os padrões de beleza. O que é bonito hoje é ter um corpo magro ou definido por exercícios físicos, zero gordura e aparência jovem. Ter olhar marcante, pele bem tratada, sem rugas e ter um cabelo sedoso, macio e liso. Este é o padrão da beleza, tanto para homens como para mulheres. Visto que a busca pela beleza eterna também é alvo do sexo masculino.

Mas e quem não possui essas características? Não pode ser considerado belo apenas por ser diferente? Por não se enquadrar no modelo de beleza? Afinal, existe um enquadramento da beleza?

Segundo o dicionário Aurélio, beleza representa a qualidade de ser belo; pessoa bela; coisa bela ou muito agradável. Ainda segundo o Aurélio, ser belo é tudo aquilo que é agradável aos sentidos; sublime; elevado; generoso e aprazível. Logo deduzimos que aquele que tem beleza possui um conjunto de características admiráveis, sejam elas físicas, emocionais ou comportamentais.

O conceito de beleza é relativo justamente pela diversidade de comportamentos e características das pessoas, assim, é ilógico aceitarmos um modelo único de beleza.  A idéia de modelo ou padrão de beleza é excludente! Prioriza alguns e exclui a grande maioria.

É preciso ampliar o conceito e o uso do termo “beleza”, para que sejamos justos com toda a diversidade que encontramos em nossa sociedade. Há beleza em todas as etnias, em todos os tipos de corpo, de cabelo e de pele. São as diferenças externas. Existe ainda, o conceito de beleza interior, quando a beleza vai além da boa aparência. Nesse ponto de vista, belo é aquele que sabe potencializar o que tem de melhor em sua personalidade: saber sorrir, apresentar bom humor, ter gentileza e gratidão, ser humilde e paciente, entre outras qualidades.

Qualidades… É isso! Beleza tem a ver com as nossas qualidades, sejam elas internas ou externas. Encantamos quando somos sinceros e coerentes com as nossas próprias características. Existem pessoas lindas por fora, mas na primeira oportunidade de convívio, nos decepcionam por não apresentarem nenhum conteúdo que nos encha os olhos, que nos encante.

            O que é beleza então? É tudo aquilo que encanta! Devemos respeitar as diferenças e as particularidades de cada um. Assim, teremos a flexibilidade da beleza e a existência de vários modelos convivendo em harmonia!

 

Fernanda Baldi

CRP 04/31896

Psicóloga Clinlife

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *