Comer demais também pode ser culpa do seu cérebro

 

A desculpa científica para pegar mais uma fatia de bolo pode não depender apenas da sua força de vontade. Cientistas acreditam que a falta de um hormônio no cérebro pode levar as pessoas a comer demais sem estar com fome e apenas pela prazer.

O estudo foi realizado na faculdade de medicina norte-americana Rutgers Robert Wood Johnson, em New Jersey, e divulgado na publicação científica Cell Reports. Os pesquisadores descobriram que quando o hormônio GLP-1 (glucagon-like peptide-1) está reduzido no sistema nervoso central, o apetite aumenta mesmo que não haja a falta de nutrientes no corpo. O teste foi realizado com ratos que comeram além do normal e ainda preferiram comidas com muitas calorias.

O hormônio intestinal é secretado pelas células endócrinas L e também pelas células cerebrais e tem a função de regular os hábitos alimentares. Sua função é a de avisar o corpo que é a hora de deixar o garfo descansar.

Os pesquisadores manipularam a ativação do hormônio e o resultado foi de que os ratos começaram a comer menos. Eles acreditam que essa descoberta pode levar ao surgimento de uma nova linha de inibidores de apetite que podem agir com mais foco para as pessoas que apresentarem deficiência ou mau funcionamento das células que produzem o hormônio.

Fonte: UOL Científico

Assim, vale lembrar que o processo de emagrecimento envolve não só a disciplina com reeducação alimentar e exercícios físicos, como também o conhecimento do processo biológico de seu sistema. Quando existem taxas desreguladas, a dificuldade pode parecer maior. Procurar um profissional especializado é essencial nesta jornada.

Lembre-se: trate seu corpo com respeito e carinho! Conhecê-lo é o melhor caminho.

Mayara Baltar – Psicóloga CLINLIFE

CRP 01/16374

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *