Como temos cuidado do nosso amor?

Foto: Pixabay / Creative Commons

 

Você acredita em si?

Você se enxerga como alguém merecedor de alegrias?

Como você definiria o amor por si mesmo?

Podemos perceber que esses e tantos outros questionamentos que ouvimos por aí, e/ou até fazemos a nós mesmos, remetem ao Amor. Mas, às vezes, não conseguimos identificar claramente, confundimos com autoestima, egoísmo, porém estamos falando de amor-próprio. E basicamente ele é definido como a capacidade que uma pessoa tem de sentir amor por si mesma. Assim como, quando amamos alguém, buscamos de vários modos cuidar dessa pessoa, querer o seu bem, fazer coisas para agradá-la, no amor próprio sentimos a mesma coisa, mas por nós mesmos.

Ter apreço por si mesmo vêm de ações que nos auxiliam a desenvolver física, psicológica e espiritualmente. Permitir-nos perceber nossas forças e fraquezas, aprender a lidar com elas, entender que nossos defeitos não nos diminuem, que temos falhas e que buscamos ser melhor a cada dia.

Cultivar o amor-próprio é entender que somos a pessoa mais importante para si, que devemos arcar com as consequências de nossas ações. Ter autonomia sobre a nossa felicidade, pois ela está em nossas mãos, é nosso bem mais precioso. Abrir mão daquilo que não nos faz bem, que não nos auxilia no crescimento. Praticar amor-próprio vem do autoconhecimento, lidar com nossas emoções nos momentos bons e difíceis respeitando a si e seus limites.

Desenvolver esse amor é uma prática diária, há momentos que nos arrependemos de certas atitudes e até mesmo nos revoltamos com nós mesmos, mas não quer dizer que não nos amamos. É essa capacidade de reconhecer que somos falhos, que nos possibilita a gerir melhor os momentos em que não estamos bem, lidando melhor com as adversidades e com os diversos sentimentos e emoções que vivemos todos os dias.

Amar-se é cuidar do nosso corpo, da saúde, entendendo que não é somente para sentir-se melhor, mas sentir-se bem consigo. É cuidar da mente, estar atento ao desenvolvimento pessoal, o crescimento, busca constante de aprendizado, viver plenamente.

O amor próprio nos ajuda a fazer boas escolhas, a dar valor aos nossos sentimentos, a não nos diminuir diante do outro, a saber ouvir quem nos critica de modo a buscar nosso crescimento. Além de ser o passo principal para que possamos amar as outras pessoas. Se você se ama, terá a capacidade de dar amor.

Amar-se é admirar-se! Implica em respeitar o que sente, gostar do que vê, apreciar fortalezas, respeitar fraquezas e saber lidar com elas.

Cuide do seu amor.

 

Fernanda Dias
Psicóloga Clinlife
CRP 04/27335

Related posts:

  1. A tecnologia e as atividades físicas em nosso cotidiano
  2. O inverno e nosso estado emocional!
  3. Autoestima, como anda a sua?
  4. OBESIDADE INFANTIL MERECE CUIDADO!
  5. Como treinar no frio

Envie um comentário

Seu email não será divulgado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*


9 × = 45