“Crescemos” em casa e não na academia

 

O crescimento muscular – ao contrário do que muita gente pensa – não ocorre durante os treinos e sim nos intervalos entre eles, no descanso. É por isso que não adianta malhar um grupo muscular todo dia. O corpo precisa de tempo para reconstruir os músculos.

 

O aumento observado durante os treinos não é resultado de ganho de massa muscular e sim de um aumento exacerbado do fluxo sanguíneo para uma determinada região do corpo, denominado hiperemia.

Na contração muscular as células musculares utilizam mais oxigênio e glicose enquanto trabalham. Enquanto durar a atividade muscular, mais oxigênio, glicose e outros nutrientes serão necessários. Para que eles sejam entregues corretamente, o corpo precisa de mais sangue chegando ao local, aí se instala a hiperemia.

Como regra geral, cada grupo muscular deve ser exercitado duas ou, no máximo, três vezes por semana. Se você ainda sente dores do treinamento anterior, não vale à pena forçar o músculo mais uma vez, pois o corpo ainda está reconstruindo-o.

Quando forçamos um músculo através de um exercício com peso, estamos na verdade, destruindo-os. Isso mesmo; estamos destruindo o músculo, mas de uma forma proposital e controlada. Depois, o corpo vai começar a reconstruí-lo, principalmente se tiver a matéria prima obtida na alimentação.

Isso acontece, sobretudo durante o sono.

No próximo treino, você vai destruir novamente o músculo. E o corpo vai reconstruí-lo. Só que agora, o organismo entende que aquele músculo precisa ser maior para suportar a carga à qual está sendo submetido. Então você aumenta a carga para poder conseguir destruí-lo novamente. E o corpo o reconstrói ainda mais forte e maior. Essa é a brincadeira.

Natália Francisca Louredo

Profissional de Educação Física

CREF 026778-G/MG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *