Descobrindo–se em beleza nas escolhas

Em meio a tantos desafios que a vida moderna nos apresenta, o que leva as pessoas a viverem reféns de seus problemas?

O que faz as pessoas dizerem “sim” quando o que passa pelas suas cabeças é um sonoro “não”?

O que impede as pessoas de terem uma comunicação efetiva entre si?

Por que as pessoas invadem tanto os espaços umas das outras gerando confrontos?

Uma das respostas a isso tudo está no medo da perda, que pode ser o medo de perder o amor do outro, o emprego, a aprovação social, medo de exclusão ou de ser humilhado. Isso paralisa, desmotiva e traz sofrimento.

A pessoa vive nesse mecanismo de falsa defesa e se esquece que o grau de risco da perda é diretamente proporcional ao grau de sua autoestima e de sua auto-valorização. Com a autoestima elevada e autoconfiança, nada disso faz sentido, percebemos que o medo é irracional e pode ser transposto.

Viver é não se contentar em ser apenas um passivo espectador diante dos acontecimentos e mero ouvinte diante dos debates. Muito menos se contentar simplesmente em só ler histórias de vida de outras pessoas. Aceitar passivamente se satisfazer com as conquistas dos outros, com a alegria da vida de um personagem.

 Viver é atuar, através de ações concretas, de posicionamentos firmes, de movimentos de busca. Viver é criticar, elogiar! Discordar, concordar! Rir, chorar! Falar não, sim! Aceitar, recusar! Viver é colaborar com episódios de vida real, é participar ativamente. É ajudar a escrever a história do mundo com capítulos de ação, de emoções tristes e alegres da própria vida.

Mas a escrita pode ser mais efetiva se  realizada de maneira  assertiva.

Mas então o que é assertividade?

A palavra assertividade vem de “ASSEROViver” que significa afirmar. Mas preste atenção: afirmar não é acertar! Portanto, não se trata de acertar, mas de saber se firmar e afirmar. algumas vezes é errar, se sentir frustrado e decepcionado com o desfecho. Mas, outras tantas é apesar de todas as adversidades que surgem; ter o prazer de acertar, de realizar sonhos, de alcançar metas e objetivos propostos.

A assertividade é a arte de defender o seu espaço vital sem recuar, desistindo de si mesmo, e sem agredir, desistindo do outro. Assertividade é ser transparente e firme sem ser agressivo ou autoritário. É se posicionar com clareza e de maneira respeitosa com as pessoas que convive.

Ser assertivo é confrontar no sentido de “se colocar de frente” às pessoas e situações desafiadoras para eliminar os problemas e ir em direção à solução.

Perceber que o seu espaço vital é o espaço mínimo necessário para que você se sinta feliz. Então, espaço vital aqui significa qualquer um dos nossos espaços: físico, mental ou emocional.

A característica da pessoa assertiva é que ela sabe se sentir OK quando diz SIM e quando diz NÃO. Você é assertivo se diz “não” quando quer dizer “não” e diz “sim” quando quer dizer “sim” para qualquer situação ou pessoa. Assertividade é afirmar quem você é de maneira clara, afirmar sua autoestima, ter a conversa necessária no lugar certo, é fazer a coisa que você julga importante, mesmo que isso às vezes desagrade algumas pessoas.

A base do comportamento assertivo está na sua autoestima e no seu autoconhecimento. Com estes ingredientes percebemos quando estamos ou não sendo honestos conosco e com os outros, e fazemos o que tem que ser feito.

Isso depende de querermos ser mais verdadeiros e presentes com nossos desejos, sentimentos e pensamentos, usando de nossa coragem e determinação para buscarmos nosso próprio espaço, sermos nós mesmos.

Assim, poderemos assumir uma atitude firme para defender nossos direitos, colocar limites e manifestar nossa vontade de maneira respeitosa e flexível, pois uma pessoa assertiva sabe que nada é definitivo e sabe que não precisa acertar sempre, nem dar satisfação a todos, por tudo.

Uma decisão não implica necessariamente o definitivo, nem está permanentemente certa, tudo pode ser mudado quando se busca melhorar.

 Será que  a assertividade está fazendo falta em sua vida HOJE?

 Como disse Martin Luther King:

 “O que mais preocupa não é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem-caráter, nem dos sem-ética.

O que mais preocupa é o silêncio dos bons!”.

 Ser assertivo é ser pacífico sem ser passivo.

 Lute pelo seu direito de ser você mesmo. Esta capacidade está dentro de você. Permita-se estar aberto! Se conhecer de maneira plena!

Não existe maior  beleza  que essa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *