Dieta inibe o desenvolvimento e progressão do câncer

Estudo publicado na revista científica Cancer Research mostrou, com resultados pré-clínicos consistentes, a capacidade de uma dieta com baixo teor de carboidrato em evitar o ganho de peso, mas também inibir o desenvolvimento e progressão do câncer, em camundongos.

Os pesquisadores testaram a hipótese de que células cancerígenas dependem de mais glicose para o seu crescimento do que as células normais. Assim, o objetivo do estudo foi investigar os efeitos de uma dieta com baixo teor carboidratos e rica em proteínas sobre a taxa de crescimento de tumores.

Foram injetadas células de carcinoma colorretal nos camundongos e, em seguida, os animais foram divididos em diferentes grupos, recebendo dietas com níveis diferentes de carboidrato.

Os pesquisadores verificaram que a dieta do grupo dos animais que consumiram carboidrato complexo (com fibras), reduziu a incidência de tumores. Isso mostra que a dieta com baixo teor de carboidrato inibe tanto a proliferação do câncer quanto o processo de iniciação da carcinogênese.

De acordo com esse estudo a dieta com baixa ingestão de carboidratos simples (farinhas branca, açúcar, pão branco, massas e doces) e rica em proteínas retarda o crescimento e reduz a incidência de tumores. Há necessidade, portanto, de uma investigação mais aprofundada de sua aplicabilidade na clínica.

No entanto, é importante salientar que o alto consumo de carnes vermelhas (de vaca, porco e cordeiro), as carnes processadas (curada, defumada, salgada) e os embutidos (como o presunto e o salame) contêm nitratos e nitritos que se convertem no corpo em compostos N-nitrosos, que são fatores de risco para o desenvolvimento de câncer. A cocção da carne a temperaturas muito elevadas (como no churrasco, por exemplo) produz aminas heterocíclicas e hidrocarbonos aromáticos policíclicos – compostos mutagênicos e carcinogênicos. O consumo excessivo de carnes vermelhas aumenta em 24% o risco para o desenvolvimento de um câncer de cólon, já as carnes processadas contribuem em 16%. A recomendação para ingestão segura de carnes vermelhas é uma quantidade inferior à 500 g por semana (o equivalente a 3 bifes médios) e as carnes processadas devem ser evitadas. Mas não basta apenas reduzir os riscos, e sim, aumentar os fatores protetores, como aumento do consumo de frutas e vegetais.

FONTE: Ho VW, Leung K, Hsu A, Luk B, Lai J, Shen SY, et al. A low carbohydrate, high protein diet slows tumor growth and prevents cancer initiation. Cancer Res. 2011;71(13):4484-93.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *