Dormir bem, emagrece?

Dormir bem, emagrece?

 Será que damos a devida atenção ao sono? Não estamos aumentando nossas horas de trabalho, estresse, momentos de tensão, e reduzindo nossas horas de sono, momentos de relaxamento e prazer? Até que ponto isso vale à pena?

Ao se pensar o emagrecimento fala-se muito em reeducação alimentar, atividade física… Mas será que o sono pode ter alguma influência para quem está na batalha a favor do emagrecimento?

Inúmeros estudos têm apontado para a importância de uma noite bem dormida e sua relação com o processo de emagrecimento. Na verdade esta necessidade fisiológica que aparentemente parece simples tem suma importância para regular alguns hormônios existentes no organismo e que são responsáveis por funções que interferem na saciedade, no nível de estresse, dentre outros.

Alguns deles são conhecidos como: a melatonina, o cortisol, a serotonina, grelina e leptina. Cada um deles desempenha uma função importante que acaba interferindo no processo de emagrecimento. A Melatonina, por exemplo, é um  hormônio que nos ajuda a adormecer e que está diretamente relacionado à qualidade do sono.  A falta dela no organismo faz diminuir a liberação de serotonina, um neurotransmissor ligado ao humor e ao prazer. Ao sentir falta dela, nosso cérebro pede alimentos com açúcar para repor as energias e compensar nossa necessidade de prazer. Daí, a importância de cuidar bem das noites de sono.

Ao dormir mal, os níveis de Cortisol, hormônio liberado pelo organismo em resposta a situações de ameaça e estresse e, a Grelina, hormônio sintetizado no estômago responsável por regular o gasto calórico, aumentam e com isto dificultam todo esforço para manter a alimentação balanceada. Além disso, se dormimos pouco, há uma queda na produção da Leptina, neuromodulador, responsável por controlar a saciedade, o que resulta em mais fome e menos saciedade. . . Péssimo resultado para quem deseja emagrecer, não é mesmo?!

Para evitar estes problemas, existem algumas dicas preciosas para cuidar de seu sono. Confira abaixo:

* A cama deve ser um espaço para relaxar e se desligar dos problemas cotidianos. Evite assistir televisão e mantenha um ambiente silencioso para dormir.

*   Pratique atividades físicas. Com a liberação de endorfina, o sono tende a vir mais rapidamente, além de ser profundo e menos segmentado. Os exercícios aeróbicos, como a corrida, trabalham com o sistema respiratório o que diminui o risco de apnéia e ronco durante o sono.

*     O cochilo durante o dia é saudável, desde que não ultrapasse os quarenta minutos. Serve para despejar a mente o que facilita o armazenamento de memória a curto prazo e aumenta a capacidade de aprendizagem.

*     Evite consumir muitos alimentos com cafeína, presente no café, folhas de chá, refrigerantes. Ela é estimulante e pode levar à irritabilidade e agitação durante a noite.

*     Evite dormir de bruços. A melhor posição é a lateral, com uma almofada entre as pernas. A coluna fica mais protegida e há menos riscos de ter uma parada respiratória durante o sono.

*      Desperte-se sempre no mesmo horário, inclusive nos fins de semana, para não alterar o relógio biológico e o ritmo do sono.

*      Busque a estabilidade emocional. Uma noite de bom sono contribuirá para a solução dos problemas no dia seguinte. Mas para isso, não se deve levá-los para a cama!

 

Ericka Heringer Santos

 Psicóloga Clinlife

CRP 30205/04

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *