Entusiasmo e otimismo para emagrecer!

Para se dar bem no processo de emagrecimento é necessário entusiasmo e otimismo. Se pararmos para pensar, um não vive sem o outro, pois que para nos entusiasmarmos por algo, se faz necessário ter uma atitude otimista, acreditar que vai dar certo.

O entusiasmo é a força de ação, que rompe a barreira do comodismo, da inércia. A força do começo, de impulso. Mas, só isso não basta para que este entusiasmo perdure no tempo. O entusiasmo é como o fogo, queima rápido, mas logo se apaga se não for mantido aceso. E aí está o ponto mais difícil. Como manter o fogo queimando? Como encontrar essa motivação. Daí sempre associarmos o fogo à paixão e não ao amor, pois só este perdura.

Muitas pessoas não conseguem dar continuidade porque não conseguem manter o otimismo e o entusiasmo por muito tempo. Não conseguem ultrapassar as barreiras que vão aparecendo no caminho. Todos sabem que é necessário ter muita “força de vontade” para se conseguir o que se quer e para emagrecer não é diferente. Mas eu lhes digo, mais difícil do que emagrecer é se manter magro, e é claro que todo mundo já percebeu isso.

Já pararam para pensar que fazer força é “forçar” uma situação e que isto significa tensão e que naturalmente, tendemos ao “relaxamento”, a procura de uma zona de conforto? E que só precisamos forçar uma situação quando não conseguimos de outro modo conseguir nosso objetivo? Assim, a força de vontade está a serviço do entusiasmo e das forças de começo, mas não de manutenção. A força de vontade funciona bem por algum tempo, mas não para todo o tempo, que é o que precisamos para nos mantermos “magros” para sempre.

Precisamos de vida para emagrecer é porque quando engordamos demais, deixamos a vida para lá, nos aproximamos mais do não viver. Nos escondemos de nós mesmos e do mundo, por debaixo de quilos e quilos de gordura. E deixamos que o comer passe a ser quase que o único elo com o prazer de viver. Seguindo este raciocínio, a pergunta que se faz é: Como que tal pessoa vai prescindir de comer se a comida é o que a mantém “viva”? A resposta é recuperando o prazer em viver.

Emagrecer não é só uma questão de fechar a boca, de reeducação alimentar ou de queimar calorias fazendo exercícios. Digo que esse é o emagrecimento que se dá de fora para dentro, muito necessário, mas não suficiente. Mais do que sabermos a razão do porque engordamos, e a resposta é muito simples: porque ingerimos mais calorias do que conseguimos queimar, se coloca um questionamento, a meu ver fundamental, que seria para que comemos tanto a ponto de ficarmos doentes.

Assim, precisamos de entusiasmos para começar a emagrecer, mas de muito amor por nós e pela vida, para nos mantermos magros!

Adrielle Ferreira

Psicóloga Clinlife

CRP: 04/38423.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *