Envelhecimento Muscular

Quando se fala em envelhecimento e perda muscular, devemos primeiro compreender o que significa envelhecimento, assim como conceito de perda muscular.

O envelhecimento é um processo natural que ocorre em ambos os reinos: animal e vegetal. Já a perda muscular, em anatomia patológica, é definida como sarcopenia. Todas as patologias humanas levam inexoravelmente à sarcopenia.

No mundo contemporâneo, a principal causa de perda muscular é o desuso. Esse desuso acompanha a existência de nós humanos em uma época em que a vida tornou-se sedentária e carente de movimentação física.  Assim compreende-se categoricamente porque na maioria dos idosos observa-se uma atrofia (sinônimo de perda muscular) tão importante. Os idosos, hoje, tendem a ser obesos e extremamente inativos, ou seja, apresentam atrofia por desuso.

Um sexagenário, por exemplo, pode perder até 80% do seu peso muscular. Essa sarcopenia, aliada à obesidade, constitui dois dos principais fatores que condicionam a alta incidência de doenças no mundo.  Se esse mesmo sexagenário mantivesse uma atividade física e praticasse algum esporte, reduziria essa sarcopenia para apenas 10% de perda do seu peso muscular enquanto adulto jovem.

É de importância vital conscientizar os políticos da saúde em todo o mundo da importância do trabalho, do esporte, da atividade física – principalmente no idoso – para uma vida plena e saudável. Ressaltamos que a chamada aposentadoria, é na verdade uma hipocrisia para a ciência. Ideia essa que deveria ser ensinada já nas escolas, por todos aqueles professores que consideram a vida bela e sagrada.

____________________________________________________________________________________________

*Beny Schmidt é chefe do Laboratório de Patologia Neuromuscular e professor adjunto da disciplina de Patologia Cirúrgica da Unifesp. Ele e sua equipe são responsáveis pelo maior acervo mundial de doenças musculares, com mais de dez mil biópsias realizadas.  No laboratório de 20 m², Schmidt ajudou a localizar, dentro da célula muscular, a proteína indispensável para o bom funcionamento do músculo esquelético – a distrofina. Entender o comportamento dos músculos, bem como sua degeneração, não apenas abriu caminhos para tratamentos de doenças graves, como também favoreceu a criação de estratégias para melhorar o desempenho de atletas olímpicos e paraolímpicos, criando uma nova profissão no mercado de trabalho: Fisiologista do Esporte.

1 comentário


  1. Quando li o texto, fiquei me perguntando qual o conceito utilizado pelo autor ao escrever “hipocrisia para a ciência” que seria a aposentadoria. Antigamente, a aposentadoria era considerada um período de descanso, onde os idosos ficavam em casa cuidando dos netos. Hoje em dia, isto mudou bastante, até pelas notícias e campanhas para que o idoso não fique em casa, mas sim que continue trabalhando e tendo uma vida “normal”. Se o conceito utilizado foi o primeiro, concordo. Se foi o segundo, não entendi a colocação, porque acredito que se movimentar, seja da maneira que for, é a campanha de todos nos dias de hoje.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *