MALHAR O CÉREBRO FAZ BEM

Que o ser humano está vivendo cada vez mais é fato inquestionável. E a previsão é que a cada década esta estimativa aumente. Falar em viver 100, 105 e 110 anos já não causa espanto, e muitos, além de desejarem essa marca, já trabalham a favor dela, cuidando da alimentação, praticando atividades físicas e atentos a cada novidade que possa colaborar para que este processo seja vivido com o máximo de qualidade de vida. No entanto, ressaltamos que é preciso haver um equilíbrio entre os cuidados com o corpo e a mente, lembrando que esta vem despontando como promissora de uma melhor qualidade de vida, afinal, é necessário ter “mens sana in corpore sano” – mente sã, corpo são.

Nosso cérebro é dinâmico, podendo se reorganizar de maneira flexível de acordo com necessidades e alterações sofridas. Um cérebro ocioso deixa de utilizar suas capacidades intelectuais, não por deterioramento, mas por enferrujamento, o que é possível reverter através de exercícios mentais, ou seja, da estimulação cognitiva. Através de tais exercícios ocorre uma melhora da função cognitiva geral levando à vivacidade mental, tornando mais lenta a degeneração de neurônios.

A melhor forma de tornar a mente mais esperta é exercitando seus neurônios, veja como isso acontece:

1-     Cada nova descoberta é transformada pelo cérebro em descarga elétrica e transmitida neurônio a neurônio até ser armazenada.

2-     Exercícios como os passatempos incentivam o cérebro a fazer nossas ligações as chamadas “sinapses” entre as células nervosas.

3-     Como os caminhos de informação ativos, é mais fácil e rápido fazer associações e cruzar os dados armazenados na mente.

4-     Esse tipo de exercício estimula a criatividade, favorece a memória, retarda os efeitos do envelhecimento e contribui para a inteligência

Então lembre-se, que assim como  o corpo necessita de exercícios, a memória necessita de estímulos diários para manter-se lúcida e ágil. Entre eles, está a leitura de jornais ou revistas, contando o que leu a outras pessoas, interpretando o texto, utilizando a atenção, etc.

Agora é só começar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *