Memória associada ao estresse e ansiedade

Esquecer nomes, lugar onde guardou algum pertence, se perder nas palavras na hora de se comunicar, são alguns dos comentários comuns no dia-a-dia de qualquer pessoa que se queixa de memória.

O estresse e a ansiedade são fatores preponderantes que alteram o armazenamento e resgate de informação em qualquer idade. Esquecer torna-se um problema principalmente quando altera a rotina.

A solução não pode ser outra a não ser levar a vida de uma maneira mais saudável, com atividade física, controle dos fatores de risco (pressão arterial, colesterol, tabagismo, uso do álcool), alimentação saudável e equilíbrio emocional.

“Além disso, é necessário exercitar o intelectual, com mais leitura, jogos, palavras-cruzadas. Tem que treinar a memória.” explica o médico neurologista Otto Jesus Fustes, do Instituto de Neurologia Pilar.

Mas atenção! A dificuldade com a memória pode estar também associada à falta de atenção. Muitas vezes a sobrecarga do mundo moderno, a correria, a disputa acirrada podem levar o individuo a ter dificuldade de focalizar a atenção naquilo que é necessário no momento.

Outro ponto também a destacar são os problemas hormonais e os quadros depressivos, tais aspectos podem também prejudicar a memória.

Os problemas ainda podem ser patológicos. O mais conhecido é o mal de Alzheimer, quando a pessoa não consegue guardar fatos recentes. Doenças vasculares também aparecem na lista de patologias que podem ocasionar a falta de memória. Nesses dois casos, a maioria das pessoas possui mais de 60 anos.

Entretanto, entre os mais novos, o problema maior é o estresse e a ansiedade. “O jovem é bombardeado com muitas informações e atividades hoje em dia. E, assim, uma hora o nosso ‘HD’ não tem mais espaço”, compara a neuropsicóloga Ticyana Moralez da Silva. Tanto para jovens quanto para os mais velhos, a orientação pode ser resumida em uma única palavra: equilíbrio.

Portanto, se você perceber alguma alteração no armazenamento e resgate de informações, é interessante passar por exames clínicos e também por testes psicológicos.

Vale salientar que quando os lapsos de memória são causados por estresse, os testes não apresentaram nenhuma alteração. Neste caso é indicada a reformulação de sua vida, com menos nervosismo e mais hábitos saudáveis.

Texto adaptado da fonte: Jornal O Estado do Paraná

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *