Minerais na Insônia

A insônia é um sintoma que pode ser definido como dificuldade em iniciar e/ou manter o sono, presença de sono não reparador, ou seja, insuficiente para manter uma boa qualidade de alerta e bem-estar físico e mental durante o dia, com o comprometimento conseqüente do desempenho nas atividades diurnas (Sociedade Brasileira de Sono, 2003).

Dentre as suas principais causas são citados os transtornos respiratórios, psiquiátricos, fatores ambientais, substâncias químicas e etc, mas a carência de diversos nutrientes também pode levar a um quadro de insônia.

Os primeiros sintomas da falta de minerais podem aparecer na forma de fadiga crônica, predisposição para dores de cabeça, perturbações digestivas, irritabilidade, desenvolvimento constante de viroses e infecções, depressão, ansiedade, síndrome do pânico e por fim a insônia.

Segue abaixo ação dos minerais que influenciam a insônia:

– CÁLCIO: Possui efeito calmante no sistema nervoso central.

– MAGNÉSIO: Atua juntamente com o cálcio. É considerado um sedativo natural. Induz o sono e diminui o nervosismo.

– COBRE: Auxilia na manutenção dos níveis adequados de noradrenalina, neurotransmissor importante no processo do sono.

– FERRO: É essencial para a produção de dopamina, hormônio responsável pelo sentimento de bem-estar e pela manutenção do “sono de vigília” – fase do sono em que se observam movimentos oculares aleatórios e estamos totalmente relaxados.

A boa notícia é que alguns alimentos, se incluídos no cardápio regularmente, ajudam a evitar desequilíbrios destes minerais prevenindo a insônia. São eles:

– Brócolis, queijo tofu, salmão e gergelim; abacate, leguminosas (feijões e lentilha) e cereais integrais; beterraba e mariscos; arroz integral, chocolate amargo.

Fique atento também a forma de preparo da sua salada: os alimentos cozidos no vapor preservam melhor as vitaminas que ajudam na boa utilização destes minerais pelo organismo. Atenção para o consumo de alimentos fortificados e enriquecidos com nutrientes como vitamina B12 e ácido fólico como carne e fígado, verduras escuras, cereais, feijões e batatas.

A reposição de nutrientes, em forma de suplementos, pode ser indicada quando já há uma carência alimentar. Para prevenção, um cardápio equilibrado é a melhor opção.

Fonte: Déborah Pessoa

              Nutricionista Clinlife

              CRN 6854

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *