A Páscoa esta chegando o que eu faço pra não sair da linha?

A Páscoa é uma das datas mais importantes entre as comemorações ocidentais. A figura do coelho está simbolicamente relacionada à esta data por representar a fertilidade, nascimento. Para os Cristãos essa data representa a esperança de novas vidas, a ressurreição.

Em várias antigas culturas, os ovos eram pintados com gravuras e entregues como presentes. No período medieval as realezas costumavam comemorar a páscoa presenteando com ovos de ouro cravejado de pedras preciosas. Somente 200 anos após essa pratica culinaristas franceses fabricaram os primeiros ovos de chocolate que passou a ser uma deliciosa e perigosa (pra quem está de dieta) opção de presente.

A partir do século XVIII, a igreja católica adotou o ovo como símbolo da páscoa, que reforça o ideal de renovação.

Para que uma data tão importante não passe em branco, e a esperança de uma nova vida seja renovada. Escolha alimentos que vão lhe fazer viver mais e melhor, com mais qualidade de vida.

- Se você não abre mão de uma colomba pascal , consuma uma fatia pequena no café da manhã no lugar do pão;

- Não esqueça o lanche da manhã. Prefira as frutas;

- Planeje seu almoço de Páscoa com antecedência. Coloque em seu cardápio muita salada, legumes, frutas, cereais integrais e carnes magras;

- Aproveite feriado e pratique atividades físicas. Afinal temos que gastar as calorias consumidas em excesso;

- Prefira os chocolates amargos ou meio-amargos com pelo menos 55% de cacau. Por mais que esses possam ter o mesmo valor calórico dos chocolates ao leite, os amargos e meio amargos são ricos em anti-oxidantes que ajudam na prevenção de doenças;

- Deixe o chocolate derreter na sua boca, assim você terá uma satisfação maior e diminuirá o consumo.

- Divida seu ovo de páscoa e chocolates com outras pessoas, para que não caia na tentação de consumi-lo todo.

- Os Ovos de Páscoa de chocolate ao leite e os meio-amargo e amargo tem em média 150 kcal em 25g (“1 bocada”). Então tome muito cuidado ele pode ser gostoso mais pode arruinar sua dieta.

Não acumule gordura, acumule saúde!

 

Nara Cristina Purificação

CRN- 6952

Nutricionista Clinlife

Os benefícios da prática de Ioga na depressão

 

A prática regular do Ioga traz calma e relaxamento e está entre um dos métodos alternativos mais eficientes contra a depressão e a ansiedade.  Essa foi à descoberta de um dos mais importantes centros de pesquisa do mundo: a Universidade de Boston, nos Estados Unidos.

Um estudo realizado nessa Universidade comparou dois grupos de pessoas depressivas. Um dos grupos, durante o estudo, praticava o Ioga por uma hora enquanto o outro grupo lia um livro. Depois das sessões, os dois grupos passavam pelo exame de ressonância magnética que verificava a quantidade de ácido gama-aminobutírico (GABA) no cérebro de cada indivíduo. Essa substancia, que é um neurotransmissor, diminui os estímulos nervosos e provoca um relaxamento cerebral reduzindo a ansiedade e a depressão.

De acordo com os resultados, nos pacientes que praticaram o Ioga ocorreu um aumento significativo dessa substancia no cérebro, mostrando que o exercício teve o mesmo papel das drogas utilizadas nos tratamentos contra depressão, mas com um adicional: o Ioga não provoca efeitos colaterais.

Um outro neurotransmissor também produzido durante a prática do Ioga,  mais conhecido pelos efeitos de prazer que ele provoca após a prática de exercícios físicos, é a serotonina.  A associação dos dois neurotransmissores no organismo do indivíduo com depressão pode melhorar o seu humor sendo considerada uma fórmula infalível contra a tristeza. Em casos em que a depressão está em um grau mais severo fica mais difícil o paciente notar sua melhora apenas com o exercício físico.

A arte milenar do Ioga proporciona ao organismo de quem tem depressão equilibrar as energias vitais perdidas durante o processo depressivo e despertar a consciência e o autoconhecimento do indivíduo além de proporcionar um relaxamento extra.

O Ioga, portanto pode e deve ser utilizado como complemento aos tratamentos convencionais pois proporciona ao paciente componentes importantes para se desenvolver uma mente saudável: exercício físico, meditação e relaxamento e dessa forma aumenta-se as chances de alcançar a cura.

Cuidado com o que você come: Agrotóxicos

Quase um terço dos vegetais mais consumidos pelos brasileiros apresentam resíduos de agrotóxicos em níveis inaceitáveis, de acordo com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O que vem do campo pode não ter apenas nutrientes, mas também resíduos dos produtos usados para proteger as plantações. Agrotóxico em excesso ninguém quer.

A maioria dos agricultores também não respeita o prazo de carência dos praguicidas, tempo em que o princípio ativo permanece agindo na planta. Com isso, a população acaba ingerindo um alimento que ainda está sob o efeito do produto. É um grande risco, visto que parte dos princípios ativos utilizados nas formulações dos praguicidas possuem propriedades genotóxicas, que podem causar alterações nas unidades que controlam a hereditariedade entre as gerações.

Como o efeito é cumulativo, a longo prazo surgem conseqüências relacionadas, principalmente, com problemas no sistema nervoso, doenças cancerígenas ou alterações fetais, já comprovados por estudos da área médica. Tais propriedades deveriam ser levadas em consideração pelo Ministério da Saúde na hora de aprovar o registro dos agrotóxicos e classificar seu grau de toxicidade.

Efeitos na saúde da ingestão dos agrotóxicos:

A ingestão de comida com excesso de agrotóxicos de forma prolongada pode causar câncer, e como já dito acima, problemas neurológicos e malformação fetal.

Pesquisas recentes mostram a relação da exposição a essas substâncias com doenças do sistema nervoso.

Em 2010, a Academia Americana de Pediatria fez uma pesquisa com 1.100 crianças e constatou que as 119 que apresentaram transtorno de déficit de atenção tinham resíduo de organofosforado (molécula usada em agrotóxicos) na urina acima da média de outras crianças.

É preciso salientar que sintomas inespecíficos (dor de cabeça, vertigens, falta de apetite, falta de forças, nervosismo, dificuldade para dormir) presentes em diversas patologias, freqüentemente são as únicas manifestações da intoxicação por agrotóxicos, razão pela qual raramente se estabelece esta suspeita diagnóstica. A presença desses sintomas em pessoas com história de exposição a agrotóxicos deve conduzir à investigação diagnóstica de intoxicação.

Em 2010, foi usado 1 milhão de toneladas de agrotóxicos em lavouras do país. Ou seja, 5 kg por brasileiro.

Veja baixo a quantidade em porcentagem que cada alimento contém de contaminação, de acordo com ANVISA.

Lista da ANVISA dos alimentos com maior nível de contaminação

1        Pimentão        91,8%

2        Morango         63,4%

3        Pepino            57,4%

4        Alface             54,2%

5        Cenoura          49,6%

6        Abacaxi           32,8%

7        Beterraba        32,6%

8        Couve            31,9%

9        Mamão           30,4%

10       Tomate          16,3%

11       Laranja          12,2%

12       Maçã              8,9%

13       Arroz            7,4%

14       Feijão           6,5%

15       Repolho        6,3%

16       Manga          4%

17       Cebola         3,1%

18       Batata           0%

Déborah Pessoa de Mendonça

CRN: 6854

Nutricionista Clinlife

Você consegue ter autocontrole?

Desenvolver o autocontrole vai muito além de um sacrifício físico, também é um desafio no controle dos nossos pensamentos.  Para algumas pessoas, é muito difícil recusar aquele prato favorito, escolher as opções mais calóricas com calma e manter uma alimentação saudável. Para conseguir tudo isso, ter autocontrole é essencial, para não se deixar levar e acabar sabotando seu próprio emagrecimento.

Analise bem e responda quantas vezes você já começou uma dieta? E quantas foram as ocasiões em que esse pequeno deslize se tornou um desânimo tão grande que acabou desistindo? É pra evitar que isso aconteça que você precisa ter um grande equilíbrio na hora de manter sua perda de peso.

Quanto mais foco tiver, mas fácil será planejar para chegar ao seu objetivo. Pensamentos do tipo“só mais um pouquinho”, “só hoje”, “depois eu faço”, “é só dessa vez”, entre outros, só adiam a meta a ser alcançada em beneficio de um prazer imediato. Não deixe isto acontecer, o que pode ser mais importante do que sentir-se bem consigo mesmo? Mantenha-se sempre focado na sua meta.

 O autocontrole é fator fundamental para sua reeducação alimentar dar certo. É importante abrir mão de alguns hábitos e dar inicio a outros totalmente novos. Isto exige autocontrole em não repetir as mesmas atitudes que estava acostumado, o mesmo tipo de alimentação, a mesma rotina de vida. Se programe para dar inicio a uma vida diferente e coloque em pratica os seus objetivos.

Valorize suas conquistas e lembre-se do seu esforço e de tudo o que você fez durante a semana na academia ou praticando alguma outra atividade física. Tenha em mente que estar com fome é diferente de estar com vontade de algum alimento.

Cuidado com as exceções, pois elas podem com um descuido virar um hábito diário, quanto mais você se acostumar a ser disciplinado com sua alimentação, melhores serão seus resultados. Não perca seu foco,tente!  E, caso escorregue em alguma coisa, nada de desistir. Comece de novo quantas vezes forem necessárias. Existem diversas estratégias que podem lhe ajudar a manter-se sempre persistente e vencer os objetivos de um processo de emagrecimento.

Petrina Gomes de Lima – CRP 04/28095

Psicóloga Clinlife

A importância da Vitamina D

 

A vitamina D é um nutriente essencial solúvel em gordura que entra naturalmente no corpo, principalmente por meio da pele, onde a radiação ultravioleta B da luz solar estimula a produção da pré-vitamina D, que, por sua vez, é convertida nos rins para a forma biologicamente ativa, o hormônio vitamina D.

 A vitamina D é essencial para o equilíbrio de diferentes órgãos e funções do organismo. Responsável por regular a absorção de cálcio e fósforo, ela mantêm o cérebro funcionando perfeitamente, além de fortificar ossos, dentes e músculos – inclusive o coração. 

Importante na prevenção da osteoporose, a vitamina D também pode estar relacionada à expectativa de vida. Estudo publicado na revista científica Archives of Internal Medicine, com mais de 13 mil pessoas, mostrou que níveis de vitamina D abaixo do ideal aumentam o risco de morte por diferentes causas em até 26%.

 Além de enfraquecer os ossos, a carência de vitamina D pode provocar alterações cerebrais. Pesquisas recentes apontam que a deficiência de vitamina D também está relacionada a altos níveis de marcadores inflamatórios, aumento da pressão arterial, mais fraturas, obesidade e diabetes. Em crianças, ainda há risco de raquitismo.
Recentemente, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou dados sobre a alimentação do brasileiro, apontando que os níveis de vitamina D estão abaixo do recomendando para 99,2% das mulheres entre 19 e 59 anos e 99,6% dos homens da mesma idade.

O sol tem importância vital para a absorção de vitamina D, mas não é preciso exagerar. Dez minutos diários de sol, antes das 10h, mas não é preciso ir à praia todos os dias.

 Simples atividades, como a prática de exercícios ao ar livre ou a caminhada até o ponto de ônibus já são suficientes.

Poucos alimentos contêm naturalmente níveis significativos de vitamina D; principalmente os peixes de água gelada gordurosos, como salmão, sardinha, anchovas e atum, bem como o óleo de fígado de bacalhau.

 Alguns alimentos são enriquecidos com a vitamina, especialmente o leite, as fórmulas infantis e, mais recentemente, algumas marcas de suco de laranja, iogurte, queijo e cereais matinais.

 

  Junia Rodrigues

Nutricionista Clinlife

CRN 3683

 

O pensamento ajudando no emagrecimento!

O emagrecimento hoje virou um assunto muito discutido em revistas, sites, internet, jornais; se falam muito de quantidades de calorias, de carboidratos, gorduras, fibras. Sendo assim há também muitos exemplos de dietas, como: de pontos, de calorias, de substituir refeições, de óleos, proteínas e várias outras; há também várias dicas dadas o tempo todo para as pessoas que buscam emagrecer.

De tudo isso muito se fala, mas um aspecto que acredito tem extrema importância quase não se é mencionado: o fato de “pensar magro”, ou seja, treinar nosso cérebro para pensar como uma pessoa magra e não como uma pessoa gorda.

É muito comum ter dificuldade de emagrecer ou manter o peso. É importante não se ter o pensamento de que se é fraco ou pensar que há algo errado no seu organismo que não a deixa emagrecer, ou ainda culpar a dieta, dizendo que não funciona.

Há pensamentos gordos muito comuns, que são bastantes sabotadores, pois quer o tempo todo fazer com que se queira sair da dieta, abrir exceções. Exemplos: “Se eu comer esse chocolate só esta vez não tem problema”, “Não consigo resistir a esta comida”, “Estou triste, tenho que comer”, “Nunca irei emagrecer”, “Só hoje vou comer isto”.

É preciso criar, desenvolver estratégias para driblar e convencer os pensamentos de não agirem sobre você mesmo, ou seja, pensar magro. O nosso objetivo é chegar ao ponto de agir de maneira diferente quando olhar um alimento que não deveria comer. Ao contrário de pensar “Eu gostaria de poder comer isto” e ficar triste, inverter, “Estou muito feliz de não comer isto”. Mudando assim seu pensamento! De “Já saí da dieta, vou comer tudo que quero e amanha recomeço” para “Comi além do planejado mas voltarei de imediato para a dieta, pois ainda posso manter o foco do meu objetivo”.

A Psicoterapia pode ajudar a pensar diferente sobre a comida e resolver problemas. Tais problemas podem ter ligação com o “emagrecer”, se você já saiu da por essas razões procure um Psicólogo: Não se sentiu satisfeito mesmo tendo acabado de comer, sentiu-se chateado e pensou que comer o faria sentir melhor, é muito educado para recusar a sobremesa; etc.

Alie novos pensamentos a qualidade e eficácia de sua dieta! Você é capaz e conseguirá!

 

 Adrielle Ferreira

Psicóloga Clinlife

CRP: 04/38423.

O Primeiro Passo

 

Se você está lendo este artigo, certamente já deu o primeiro passo para uma mudança em sua vida. Você já tomou consciência de que precisa de ajuda, tomou a decisão de procurá-la e está se informando sobre as melhores maneiras de continuar o seu processo. Então, parabéns, você está quase lá!!

Mas, se não tivesse dado o primeiro passo, o “LÁ” estaria longe de chegar ou pareceria uma missão impossível. É assim que pensa quem não tem consciência que a mudança é um processo, que existe uma estrada a ser percorrida, e que, toda estrada tem seus perigos, seus obstáculos, seus desvios, seus limites de velocidade, seus pedágios, é cansativa e, se o destino for longo, muitas vezes nos arrependemos de ter entrado nela e queremos voltar.

Se você está lendo este artigo até agora é porque quer continuar nessa estrada ou está buscando algum motivo para não desistir, então, parabéns!

Quando queremos mudar algum aspecto de nossa vida, na verdade estamos lutando contra um hábito que está estabelecido há anos, quase que arraigado em nosso corpo, quase que parte da constituição do nosso ser. E lutar contra esse hábito é difícil, requer persistência, paciência, aceitação de nossos limites, e, principalmente, requer um motivo importante o suficiente para não fazê-lo desistir.

Quais os seus motivos para querer mudar? O que tal mudança trará de benefícios na sua vida? Tais benefícios são suficientes para você enfrentar, lutar, passar por todo o processo que a mudança requer? Se sim, então, dê o próximo passo, porque o primeiro, você já deu lendo esse artigo até o fim, então, parabéns !!!

 

Iana Pechir

Psicóloga Clinlife

CRP: 04/35355

 

Benefícios dos antioxidantes!

Quando se fala em antioxidantes, a primeira coisa que nos vem à mente é que são poderosos contra o envelhecimento e combate aos radicais livres. Muito recomendados em tratamentos estéticos, estes nutrientes têm diversos outros benefícios!

Mas como agem os antioxidantes e quais as suas demais aplicações na saúde humana?

Durante o processo de envelhecimento os radicais livres são formados naturalmente pelo próprio metabolismo humano, sendo que no processo de envelhecimento extrínseco eles são produzidos por fatores exógenos como exposição à radiação ultravioleta, tabagismo, consumo de álcool, poluição, dentre outros.

A nutrição tem papel fundamental para a manutenção da função antioxidante, pois a produção das enzimas antioxidantes requer a presença de níveis adequados de minerais como zinco, cobre e selênio.

O interesse crescente no emprego de nutrientes antioxidantes visando, por exemplo, à melhoria geral da saúde e o retardo no processo de envelhecimento tem atraído a atenção da população em geral, que deseja saber quais são os benefícios da ingestão de suple­mentos antioxidantes. Vários estudos na literatura descrevem o uso de suplementos antioxidantes no tratamento de diversas patologias.

Os antioxidantes atuam em diferentes níveis na proteção dos organismos:

O primeiro mecanismo de defesa contra os radicais livres é impedir a sua formação, além de interceptar os radicais livres gerados pelo metabolismo celular ou por fontes exógenas, evitando a formação de lesões e perda da integridade celular.

Os antioxidantes obtidos da dieta, tais como as vitaminas C, E e A, os flavonóides e carotenóides são extremamente importantes na intercepção dos radicais livres.

Outro mecanismo de proteção é o reparo das lesões causadas pelos radicais. Esse processo está relacionado com a remoção de danos da molécula de DNA e a reconstituição das membranas celulares danificadas.

De acordo com a American Dietetic Association (Associação Dietética Americana), a melhor estratégia nutricional para pro­mover a saúde e reduzir o risco de doenças crônicas é a obtenção de nutrientes de uma grande variedade de alimentos. Os suplementos vitamínicos e de minerais são indicados desde que prescritos por nutricionistas ou médicos.

Juliana Castilho Alves

Nutricionista Clinlife

CRN 4524

Use a criatividade e ajude seu filho a emagrecer!

Use a criatividade e ajude seu filho a emagrecer!

 

Com a moda dos fast foods e aparelhos tecnológicos cada vez mais avançados, as crianças estão cada vez mais ingerindo quantidades enormes de calorias e gastando muito pouca energia. O resultado desta junção são crianças cada vez mais gordinhas e sedentárias. Se antes criança gordinha era sinônimo de criança saudável, o sonho de todos os pais e avós, hoje a obesidade infantil é um problema sério de saúde.

Brincadeiras de amarelinha, peteca, rouba-bandeira ficaram no passado e foram substituídas por vídeo-games, computadores, iphones, dentre outros. Se perguntarmos a uma criança como se brinca de pega-pega, pique-esconde provavelmente ela nem saiba mais. Mas com certeza sabe jogar aquele jogo super emocionante que acabou de ser lançado! Só tem uma questão: esse jogo super moderno, avançado, se joga sentado, paradinho em frente ao computador por horas e horas!

Várias são as causas da obesidade infantil, tais como sedentarismo, doenças genéticas, distúrbios hormonais, padrões comportamentais, dentre outros. Porém o fato da criança estar consumindo cada vez mais comidas gordurosas, juntamente com o sedentarismo são fatores que ajudam (e muito) a alavancar o peso.

Crianças obesas ou com sobrepeso geralmente são envergonhadas do seu corpo, o que pode gerar inúmeros problemas na adolescência e fase adulta.

É imprescindível a ajuda dos pais ou responsáveis no tratamento da obesidade infantil. Porém a maior reclamação dos pais é a dificuldade que encontram na hora de tentar inserir no cardápio infantil alimentos saudáveis, que eles preparam com todo carinho e os pequenos viram a cara. Frutas e legumes então? É sempre uma luta fazer com que as crianças aceitem. Mas quem disse que a hora da alimentação também não pode ser um momento de diversão para a criança? Isso mesmo, uma boa maneira de estimular a criança a comer frutas e verduras, é fazendo disso uma diversão. Usar a imaginação pode ajudar muito quando a criança é resistente a aceitar novos sabores. Um belo prato de frutas, verduras e legumes pode não ser atrativo para a criança, mas quando com o prato vem uma oportunidade de brincar, de se divertir, torna-se extremamente atrativo! Para isso, solte a imaginação e faça verdadeiras obras de arte com legumes e frutas!Eis abaixo alguns modelos que podem ajudar os pais nessa tarefa:

 

Além da alimentação saudável, o gasto de energia infantil também ajudam a criança a perder peso. Estimular a criança a brincar, ao invés de só ficar em frente à TV ou ao computador ajudam muito nessa tarefa. Algumas dicas de brincadeiras para ajudar seu filho a emagrecer:

  • Amarelinha

Indicado para crianças que estejam na faixa etária dos sete aos dez anos. Para praticar essa atividade física é necessário riscar o chão com giz e enumerar cada casa. A brincadeira coopera para estimular a noção numérica e o equilíbrio.

  • Brincadeira com bola

Indicado para crianças de dois aos doze anos. Existem várias brincadeiras com bolas (ex: queimada, bolinha de gude e outras), porém a mais indicada é o futebol.

  • Parques infantis

Parques são indicados para crianças a partir dos dois anos. E as opções nesses parques são: escorregador, gangorra, balanço, gira-gira e caixa de areia e outras. Nesses brinquedos as crianças vão se divertir e praticar atividades físicas.

  • Bicicleta

A partir dos três anos, a criança já pode começar a andar de bicicleta com rodinhas. Pedalar é uma ótima atividade física, e, ainda, ajuda a desenvolver resistência e força.

  • Natação

É uma atividade física aquática que ajuda a estimular na criança, velocidade, equilíbrio, força e resistência. Ajuda também, na coordenação motora. E é indicado para crianças a partir dos seis meses.

Com essas práticas, além dos pais estarem ajudando seus filhos a ter uma vida saudável, estão também tendo a oportunidade de interagirem-se com a criança, fazendo com que cada momento vivido seja repleto de boas lembranças!!!! Use a imaginação e ajude a tornar todos os momentos com seu filho inesquecíveis e memoráveis!

Cristiane Froes

Psicóloga Clinlife

CRP: 35.330

Emagrecimento: os alimentos ajudam ou atrapalham no processo?

Na busca pelo peso ideal existem alimentos que podem auxiliar no processo de emagrecimento de maneira saudável e não invasiva, as funções desses alimentos são variadas, indo de um aumento do metabolismo a uma diminuição na absorção de gorduras e açúcares entre outros benefícios.

A seguir apresento uma lista com os principais alimentos que servem de aliados para quem busca o corpo ideal.

CEREAIS INTEGRAIS: dão uma sensação de saciedade, evitando assim exageros à mesa. Auxiliam também na regulação do intestino, prevenindo prisões de ventre e diminuem as taxas de colesterol no organismo.

AVEIA: Prolonga a sensação de saciedade, regula as funções intestinais e diminui a taxa de absorção de gordura pelo organismo.

ARROZ INTEGRAL: auxilia na redução da taxa de absorção de gorduras pelo organismo.

SEMENTE DE CHIA: as sementes retardam a fome pelo fato de incharem ao entrarem em contato com a água no estômago, protegendo também o sistema digestivo.

CENOURA: auxilia no aumento da taxa metabólica, eliminação de líquidos e resíduos pelo organismo e possui função antioxidante.

ALFACE: auxilia na diminuição de líquidos do organismo.

COUVE: Auxilia na limpeza do intestino e protege o sistema hepático dos efeitos perniciosos do álcool.

CHÁ VERDE: auxilia na aceleração do metabolismo.

CAMOMILA: chá auxilia no controle da ansiedade e do estresse, os grandes responsáveis pelos excessos na dieta, em geral pelos doces.

MELANCIA: possui efeito diurético, auxiliando na eliminação de líquidos.

KIWI: auxilia na redução do inchaço causado pela retenção de líquidos do organismo, provenientes em geral do consumo exagerado de sódio.

ABACAXI: auxilia na eliminação de líquidos, digestão das proteínas, controla os níveis de colesterol e auxilia na reconstrução dos tecidos.

Vale ressaltar a necessidade de uma rotina de exercícios físicos combinada com uma dieta equilibrada, trarão resultados efetivos. E o mais importante é destacar que alimentar-se bem não significa comer muito e muito menos comer pouco ou sentir fome.  Uma alimentação variada é sempre a solução mais indicada quando se pretende viver bem.

Alcimara Macieira

Nutrcionista Clinlife

CRN 4284