PRESENTEANDO BONS HÁBITOS !!!

 

Quando pensamos em Natal, logo vem à cabeça palavras como confraternização, tempo de paz, de alegria, de presentear, de reunir família e amigos e celebrar com uma grande festa. Para os mais religiosos, o Natal também tem seu significado Bíblico, comemoramos o nascimento de Jesus e a renovação de nossas esperanças.

Ao confraternizar, queremos dividir nossas alegrias com as pessoas mais próximas a nós e o presentear, se torna uma forma simbólica de celebrar esse momento.

Sempre que presenteamos alguém, queremos ver aquela pessoa feliz, satisfeita com o que ganhou e, é claro, queremos que aquele presente agregue algum valor à vida dela e que lhe seja útil de alguma forma.

Satisfação – utilidade – agregação de valores – felicidade

Objetos concretos se traduzindo em sentimentos abstratos; esta é a definição de presentear para muitos de nós.

Mas podemos transmitir satisfação, valores, felicidade e sentimento de utilidade de inúmeras outras formas. Com um beijo, um abraço, uma palavra de carinho, um gesto de amor, uma presença e por que não dizer, bons exemplos!!!

Já que “palavras arrastam montanhas, mas os exemplos movem o mundo.” , que maneira melhor de presentear um amigo ou um familiar querido? Vamos ser o exemplo que pode move-los em direção aos bons hábitos. Pensando na reeducação alimentar, como uma aquisição, uma opção, de vida, por que não oferecer uma ceia mais saudável na noite de Natal? Vergonha, medo de ser ridicularizado, “não é porque eu estou de dieta que eu tenho que obrigar as pessoas a comerem o que eu como”?

Você as estará presenteando, colaborando para a implantação de uma nova forma de vida, estará agregando valores, satisfazendo-os com um cardápio mais saudável, porém igualmente saboroso. Porque comidas saudáveis não são sinônimos de alimentação sem graça e/ou pouco saborosa. É necessário que esta lhe traga também prazer, por isso quantidade e qualidade devem ser avaliadas na hora de preparar e servir a ceia de natal.

Então vamos presentear nossos entes queridos e contagiá-los com nossos exemplos.

Um Bom Natal a Todos!!!

Iana Pechir e Thais Martins

Psicólogas Clinlife

 

Comece um Ano Novo saudável

É possível conquistar hábitos saudáveis com pequenas medidas. Aos poucos, além de emagrecer, a saúde melhorará e esses benefícios durarão por muito mais tempo. É preciso, no entanto, saber que nada é tão simples como parece: desenvolver novos hábitos saudáveis demora e exige muita paciência e disciplina.

Assim como manter uma dieta, começar uma nova vida com hábitos saudáveis é difícil e, com o tempo, pode causar desânimo e desistências. Planejar-se e começar aos poucos são duas regras de ouro no início, já que mudar radicalmente a rotina provoca um grande impacto. Estabeleça uma meta e, para alcançá-la, adote um hábito novo a cada semana ou a cada mês, a frequência depende da sua vontade e do quanto os hábitos não saudáveis estão enraizados em sua vida.

Descubra de verdade quais são seus objetivos e procure não cometer loucuras para alcançá-los. A melhor maneira de transformar mudanças em hábitos que levará para a vida toda é torná-los parte de sua rotina aos poucos, de maneira saudável e sem correr riscos. Mais do que uma dieta ou atividade física momentânea, você conseguirá, aos poucos, mudar o seu estilo de vida. Os resultados podem demorar para aparecer, mas são muito mais benéficos e duradouros.

É importante que você saiba traçar metas que não gerem tanta ansiedade. O hormônio cortisol entra em ação quando estamos estressados, dificultando o emagrecimento. Como controla o apetite, instiga o corpo a estocar mais gordura. Portanto, metas razoáveis devem começar a fazer parte de sua vida desde agora.

A proposta é adquirir hábitos que trarão saúde, disposição e um peso saudável. Afinal, o que engorda não é o período entre natal e ano novo, e sim o que você come durante todo o ano.

Comece o ano de bem com a vida e com o seu peso. Aproveite o estímulo do ano novo que se inicia e cuide da sua alimentação e da sua saúde!

.

Junia Rodrigues

Nutricionista Clinlife

CRN 3683

Dicas e cuidados com a alimentação nas festas de Fim de Ano

Fim de ano é tempo de comemorações e se alimentar bem faz parte da festa. Para garantir um natal e um ano novo sem surpresas indesejadas é importante tomar algumas precauções antes de se “acabar” na mesa farta. Além da preocupação com os hipertensos e diabéticos, nesse período do ano os casos de intoxicação alimentar são muito comuns.

Algumas dicas simples podem evitar que você passe mal ou vá parar no hospital em um dia de celebração. Observar a qualidade da comida, a limpeza do local onde compra, a refrigeração, e optar por alimentos frescos e saudáveis sempre.

Para que os alimentos da ceia não estraguem, eles devem ser cozidos o mais próximo do momento de servir; deve-se cobrir as saladas folhosas para evitar contaminação; e as saladas com molho, como maionese e salpicão, devem ficar na geladeira até o momento de ir à mesa.

Com todos os cuidados devidamente tomados, surge a dúvida sobre o que preparar para os hipertensos e diabéticos. Para ninguém ficar de fora da festa é possível ter uma mesa recheada que agrade a toda família. O prato principal pode ser à base de carnes magras, peru, frango, bacalhau, desde que bem dessalgado.

Também podem abusar dos vegetais folhosos e dos legumes. O mais importante é tomar cuidado com os doces, é bom que esses sejam substituídos por frutas secas e in natura, principalmente castanhas e nozes que têm gordura saudável.

E para aqueles que estão de dieta seguem algumas dicas para não exagerar no consumo de calorias nas festas de fim de ano e entrar em 2014 carregando uns quilinhos a mais (e a consciência pesada também):

  • Amigo Chocolate ou amigo Guloseimas: caso você ganhe de presente uma cesta de chocolate, caixa de bombom ou outra guloseima rica em açúcar simples e gordura pense muitas vezes antes de devorá-la de uma vez só!  Divida o presente com o namorado, marido, mãe e irmãos e a sua parte consuma em pequenas porções. Assim você consegue controlar e reduzir a quantidade de “calorias extras” do presentinho.
  • Dia de compras e preparo das festas: não deixe de se alimentar de 03 em 03 horas, mesmo na correria das compras, leve na bolsa frutas ou barra de cereais. Esses são trunfos para um lanchinho mais leve fora de casa. Não se esqueça de uma boa hidratação. Durante o dia transpiramos e deixamos de repor os líquidos perdidos. Muito cuidados nos dias mais quentes! Lembre-se da garrafinha de água a todo tempo ao alcance das mãos.
  • Festas de confraternização do trabalho: Não vá para a confraternização com fome, antes tome um suco ou coma um sanduíche natural, assim reduz o apetite e a quantidade de salgadinhos, frituras, bolo, ou docinhos será reduzida. Prove apenas alguns petiscos e faça escolhas saudáveis: suco de fruta para substituir o refrigerante e a cervejinha; saladas antes da refeição principal; escolha na mesa de frios aqueles alimentos de baixo valor calórico ( frutas, queijo branco, ovo cozido, azeitona, palmito). E muita atenção com as quantidades!
  • Na Ceia de Natal: Primeiro planeje um cardápio mais leve! Depois faça as preparações com produtos light, com reduzida adição de gordura e açúcar. Escolha pratos mais leves como saladas, carnes assadas e sucos. Como entrada opte pelas saladas (verduras cruas e um prato bem colorido), assim aumenta a saciedade. Para sobremesas abuse das frutas, principalmente daquelas da estação: abacaxi, ameixa, manga, melancia, nectarina e pêssego. Cuidado também nas quantidades, reduza o volume do prato principal.
  • Na festa de Ano Novo: procure manter o ritmo que foi nas festas anteriores, faça sempre escolhas mais leves, bastante água e suco para hidratar as perdas hídricas do verão. Abuse das frutas! Evite também as bebidas alcoólicas ricas em “calorias vazias”. O ideal seria apenas uma taça de vinho para o brinde, nesta bebida se encontra os polifenóis com propriedades antioxidantes.

O importante é lembrar que essas celebrações são momentos de união e confraternização, não apenas reuniões focadas na mesa. Comer também é uma forma de comemorar, porém, cuidado e obstinação, pois sair do ano de 2013 de bem consigo mesmo e com a balança nos dá entusiasmo para 2014!

Juliana Castilho

Nutricionista Clinlife

CRN 4524

Autoestima, como anda a sua?

                

                                         

A autoestima surge da imagem positiva que temos de nós!

Mas, ao nos vermos, a imagem que temos é realmente positiva?

Hoje, ao acordar e se olhar no espelho o que você viu?

 Você se sentiu bem consigo mesmo, feliz com sua imagem ou ultimamente você anda evitando se olhar no espelho porque não está gostando muito do que vê?

 Você já parou pra pensar que por trás daquela imagem no espelho está você?

 Naquele espelho estão refletidos seus sonhos, erros, acertos, derrotas, lutas, batalhas, conquistas, vontades? Ou estão refletidos os sonhos que outros sonharam, ideais que não te pertencem (mas que um dia te fizeram acreditar que era o melhor para você), conquistas que não te trouxeram felicidade alguma, mas você conquistou porque alguém falou que era necessário…

Se você não se reconhece mais, está na hora de repensar valores, conceitos, sonhos…E verificar se realmente são seus ou se simplesmente foram colocados para você. Se verificarmos que muito do que está dentro de nós não nos pertence, é necessário o processo de recuperação da autoestima!

 E para recuperá-la é fundamental fazermos algumas mudanças. Mudanças gradativas, que nos farão sermos mestres de nossas vidas:

-Autoconhecimento: nos conhecermos verdadeiramente é fundamental para sabermos o que nos é importante, o que nos faz acordar todos os dias e querer viver.

-Motivação: o que realmente nos motiva? Essa pergunta deve ser feita sempre, só assim chegaremos à conclusão do que realmente é importante.

-Autoaceitação: eu realmente me aceito como sou? Ou será que só me importo em ser aceito?

A partir de nossas respostas chegaremos a real conclusão de quem verdadeiramente somos e o que podemos fazer para melhorarmos a cada dia.

 Nesse processo de conhecimento e reconhecimento, enxergaremos coisas que lutamos em esconder: falhas, tristezas, erros, tropeços, mas também reconheceremos acertos, vitórias, superação e capacidade de recomeçar sempre…

Quando nos reconhecemos verdadeiramente como ser humano, saberemos que erramos, que cometemos enganos, mas também reconheceremos nossa capacidade de recomeçar e buscar fazer sempre o melhor.

Para isso, o autoamor é extremamente importante.

“Amai o próximo como a ti mesmo”! Quer sabedoria melhor que essa? Amar a nós primeiramente para depois amarmos os outros. Egoísmo? Claro que não!

Somente quem se ama é capaz de amar o outro, somente quem gosta de si consegue gostar do outro.

Mantermos a autoestima verdadeiramente em alta depende exclusivamente de nós. Basta trabalharmos sempre as três palavrinhas mágicas: autoconhecimento, aceitação e amor próprio!

Aí sim, ao olharmos o espelho veremos nossa imagem real: um ser magnífico, repleto de qualidades e defeitos, por isso mesmo classificado como HUMANO!

Cristiane Froes

CRP: 35.330

Psicóloga Clinlife.

 

Calorias: as ceias de natal e ano novo têm?

 

Chegaram às festas de fim de ano, e com elas os pensamentos de se comer excessivamente. Quem é que não espera por esse momento o ano todo… panetones, chester, peru, leitoa, carneiro, tender, bebidas, castanhas, nozes e diversas sobremesas numa mesa bem farta.

Mas é nessa época que toda a conquista e toda mudança realizada durante o ano vão embora, pois o descontrole pode fazer com que muita gente recupere o peso que demorou meses para conseguir perder, devido há não se controlarem.

Ai, depois que passa as festas começa tudo novamente. Será que esse é o caminho correto? Será que nosso organismo precisa disso? Será que não vale à pena pensar um pouco mais antes de exagerar? Será que contabilizar as calorias não ajuda?

Os ingredientes principais das ceias de Natal e Ano-Novo podem ser bem calóricos, pois são compostos por alimentos ricos em carboidratos e gordura. Então, vamos nos atentar para o valor energético e para o tamanho das porções das comidas mais tradicionais no final do ano para não se assustar com a balança depois.

 ·         Carnes

Nas mesas de final de ano as carnes não podem faltar! Veja quantas calorias têm nas mais tradicionais:

Chester - 125 cal em 75 g (4 fatias finas)
Lombo - de 151 cal a 171 cal a cada 100 g (4 fatias finas ou 2 grossas)
Pernil - de 144 cal a 180 cal a cada 100 g (4 fatias finas ou 2 grossas)
Peru - 93 cal em 100 g (3 fatias e meia)
Tender - de 130 cal a 196 cal a cada100 g (4 fatias finas ou 2 grossas)

 ·         Bebidas Alcoólicas

Champanhe – 1 taça (125 ml) contém 85 cal

Cerveja – 1 lata (300ml) contém 125 cal

Vinho – 1 taça (100 ml) contém 75 cal

 ·         Arroz com passas

Misturar o tradicional arroz branco com essa frutinha seca é muito comum na culinária natalina. 01 colher de sopa oferece 45 cal.

·         Lentilha

Faz parte de algumas superstições comer o grão para dar sorte ao ano que se inicia. E ele tem propriedades nutricionais bastante valiosas: é rico em ferro, o que garante energia ao nosso corpo, ajuda no bom funcionamento do intestino e ainda previne o organismo de algumas infecções. Em 01 concha média (120 g) de lentilha há entre 150 cal e 160 cal.

·         Farofa

Acompanhamento ideal, as farofas oferecem aproximadamente 150 cal em cada colher de sopa. Fique de olho!

·         Rabanada

O doce é típico desta época. Há quem fique esperando o ano todo só para saborear essa delícia. Mas cuidado! A guloseima, que é feita passando pão adormecido em uma mistura de leite com leite condensado, frito e depois polvilhando canela e açúcar, tem, em média, 155 cal cada uma! Fique de olho se vale a pena comer…

·         Panetone

O tradicional com frutas cristalizadas tem em média 280 cal em 1 fatia de 80 g. Mas como as opções de sabores são bem variadas, veja quantas calorias tem o seu favorito para controlar melhor a balança.

Observando e contabilizando essas calorias, com certeza você conseguirá se atentar se vale ou não a pena recuperar o peso durante a época de festas. Vamos fazer boas escolhas pois devemos valorizar nosso esforço!!!

 

Alcimara Macieira

Nutricionista Clinlife

CRN 4284

Comida de praia

O verão se aproxima e a praia acaba sendo o destino preferencial dos brasileiros e, principalmente, dos mineiros. Para você que já planeja o seu final de ano próximo ao mar e a espera de muito sol é hora de pensar também na qualidade da sua alimentação para evitar maiores complicações.

No verão, a proliferação de bactérias é muito maior e os alimentos ficam com um prazo de validade mais curto. Se for preparar algum lanche para levar, é preciso redobrar os cuidados ao manusear e armazenar para que não haja intoxicação, principalmente, se houver maionese, creme de leite, ovo ou carne nos ingredientes.

As comidas vendidas na praia é outro grave problema. Churrasquinhos, queijo coalho, amendoins, castanhas, milho com manteiga e camarão são focos para as bactérias. Observe bem a higiene do ambiente e do vendedor e evite comer o que está exposto ao sol. Vendedores ambulantes costumam transportar o mesmo alimento por longos períodos e isso facilita a multiplicação de bactérias que, na maioria das vezes, não é perceptível na aparência ou no cheiro do alimento, mas pode ser prejudicial à saúde.

A hidratação deve ser constante e a sede é um dos primeiros sintomas de desidratação. Portanto, antes do organismo pedir, beba a boa e velha água. Vale também repor os minerais perdidos no calor com uma água de coco geladinha. Já os picolés, são preferíveis com sabor de frutas e industrializados de marcas conhecidas a fim de assegurar a qualidade da produção.

O álcool é outro ponto grave. No calor, a retenção de líquidos aumenta e as bebidas alcoólicas desidratam o organismo, sendo mais um bom motivo para se hidratarem dobro. E cuidado com as bebidas preparadas com frutas ácidas (limão, laranja e abacaxi) que podem manchar a pele quando exposta ao sol.

Para que nada prejudique os seus dias de descanso, leve de casa frutas e líquidos bem refrigerados e prefira alimentos leves e de fácil digestão. Redobre a atenção com as crianças e idosos e lembre-se que todo cuidado é pouco.

.

Bom descanso!

.

Christiane Rocha Veloso

Nutricionista da Clinlife

CRN/MG 8158

Educando Maravilhas

Vivemos em uma sociedade que nos exige certos comportamentos e atitudes enquanto pessoas – um padrão.

 Hoje em dia, a pressão em cima de uma mulher é enorme, ela tem que ser 100% BOA em todas as áreas de sua vida para ser reconhecida como uma mulher bem sucedida.

 Tendo que ser quase super-heroína para “agradar a todos” ao seu redor.

 Os papeis de mãe e esposa sempre foram os alicerces da família, sendo que a expectativa depositada nas mulheres desde o berço é de serem grandes cuidadoras: primeiro do marido, depois dos filhos, depois dos idosos…

A educação que as meninas recebem desde cedo norteia para esse caminho: bonecas para brincar de mamãe, casinhas para brincar de dona-de-casa, Barbie´s e Polly´s para brincar de ser uma mulher linda e perfeita, e assim por diante.

 Mas além dessas atribuições pode-se observar que as mulheres foram lutando e conquistando também espaços importantes no mundo do trabalho, dos esportes, da política, sendo que hoje podemos dizer que não há uma só função nesse mundo que não possa ser brilhantemente desempenhada por uma mulher.

 Mesmo sendo fruto de tanta luta e esforço há de se mencionar que a conquista destes espaços onerou e muito a vida das mulheres que acumularam funções e triplicaram, quadriplicaram expectativas.

Hoje SÓ se espera das mulheres que elas além de ótimas mães e esposas exemplares nos afazeres domésticos, ainda sejam muito bem sucedidas no trabalho, ganhem bastante dinheiro, tenham um bom currículo e se mantenham atualizadas, estejam sempre lindas, com corpos em forma, tenham disposição para uma vida social, estejam sempre prontas para apimentar a vida sexual, e etc.

 A mulher precisa ser dotada de muita inteligência também para saber lidar com situações estressantes do dia-a-dia e acima de tudo, tem que estar de bom humor sempre. Senão, será taxada de Mulher-Chata! 

 O mais grave disso tudo é que este padrão de exigências tão altas é cultivado e propagado pelas próprias mulheres.

 É só dar uma olhada nas capas de revistas femininas, que trazem a propaganda de verdadeiras cartilhas para conquistar a perfeição: “Dez maneiras de crescer no trabalho”, “Emagreça 13 quilos em 07 dias”, “Manual de dicas infalíveis para educar os filhos”, “Enlouqueça seu companheiro na cama”… Todos esses títulos remetem a uma só idéia: Tudo o que acontece com as pessoas que convivem com você é responsabilidade sua.

Com essa cobrança exacerbada é corriqueiro encontrar nos consultórios mulheres exaustas e altamente culpadas por não estarem conseguindo desempenhar com maestria seus mil e quinhentos papéis.

 Nota-se que até se sentem culpadas por não estarem plenamente felizes ou não se resignarem com “tudo de bom” que possuem. Nestas condições pode-se entender por que as mulheres sofrem mais depressão e doenças psicossomáticas.

 As mulheres sabem cuidar, mas a maioria não sabe ser cuidada! Aprendem a se doar, a se preocupar com os outros, mas dificilmente conseguem olhar para dentro de si e perceberem uma simples verdade: são humanas! Precisam de afeto, de cuidado, do olhar amoroso do outro.

 Grande parte das mulheres não deixa transparecer essas necessidades; vestem a roupa de Mulher-Maravilha e saem para o mundo. Todos ao seu redor compram essa idéia e a tratam como tal. E aí se instaura o ciclo: os outros precisam, ela cuida, reforça a idéia de forte, os outros precisam mais, ela cuida mais e assim por diante.
É necessário relaxar as pressões auto-impostas pela nossa mente e por um instante, celebrar nossas imperfeições!Celebrar o ponto em que chegamos enquanto pessoas. Celebrar nosso grau de bondade, de caráter, de lucidez, celebrar a vida em si, celebrar o amor que temos em nossa vida!

Aprender a delimitar espaços, aceitar seus paradoxos, dosar expectativas, são conquistas indispensáveis para uma vida gratificante.

Sem dúvida, mulheres mais conscientes de seus limites são o primeiro passo para libertar tantas outras gerações de mulheres que podem e devem continuar a brilhar, mas de uma forma mais leve e humanizada. E assim realmente serem maravilhosas.

 Thais Martins

CRP04-24638

Psicóloga Clinlife

Reduzindo medidas e aumentando saúde

Você sabia que o excesso de peso esta associado com várias doenças? Hipertensão, dislipidemias (alteração do colesterol) e diabetes são as doenças mais comuns. O primeiro passo para mudar esse quadro é buscar algumas mudanças de hábitos. A reeducação alimentar e a prática regular de exercício físico são fundamentais para se mudar essa situação. Existem vários tipos de atividades que você pode fazer.

A musculação, por exemplo, é uma ótima opção para este objetivo. Além do gasto energético durante o treinamento, a musculação ajuda a aumentar a queima de gordura através das reações tardias que seu corpo produz após o treino. Um exemplo é o aumento da Taxa metabólica de repouso (TMR) e aumento da Taxa Metabólica Basal (TMB). A partir do aumento da TMR e TMB, quem pratica musculação queima mais calorias mesmo em repouso.

Outra opção é a dança. Uma atividade física muito boa e muito prazerosa para algumas pessoas. Esta atividade conjulgada com uma alimentação balanceada fica excelente, pois diminui o peso de gorduras em seu corpo e pode reduzir o peso total também. E fique atento, não se preocupe apenas com o peso total, o foco também deve ser no peso gordo (gordura corporal). A perda de gordura diminui medidas corporais e eleva a auto-estima.

Exercícios aeróbicos como caminhada ou corridas ao ar livre, caminhadas e corridas na esteira, passeios de bike ou bike ergométrica, entre outras atividades aeróbicas não serve apenas para queima de gordura e condicionamento físico. Elas são boas para o sistema circulatório,  ajudam a reduzir o colesterol ruim (LDL) e melhoram os níveis do colesterol bom (HDL) e entre outros benefícios.

Aulas coletivas é uma boa opção para as pessoas que precisam ser motivadas por pessoas ao seu redor. Nas aulas coletivas ‘uma pessoa vai levando a outra’, ou seja, uma pessoa motiva a outra. Além de que, as aulas geralmente são motivadas por ritmos diferentes de músicas.

Procure sempre orientações de um profissional qualificado para determinar a melhor intensidade, duração e modalidade dos exercícios que deverão ser mais indicados para você. E lembre-se, você deve gostar da atividade que faz. Uma atividade feita com prazer será muito mais benéfica para seu corpo e mente.

Richardson Siqueira

Educador Físico Clinlife

CREF 018387

ALIMENTOS QUE AJUDAM A EMAGRECER

Emagrecer: provavelmente você conhece alguém que fez essa promessa no começo do ano. Mas por que será a maioria não consegue cumprir? Talvez porque esteja buscando “pílulas mágicas”, esquecendo de que os melhores resultados podem até demorar mais tempo para aparecer, mas em compensação, duram mais e trazem a beleza verdadeira, a vitalidade e o equilíbrio de que nosso corpo precisa. Estamos falando do “poder” dos alimentos naturais.

Uma coisa é verdade: é cada vez maior o número de pessoas obesas e com sobrepeso, que têm ou provavelmente um dia vão ter problemas sérios de saúde se continuarem nesse ritmo. Só que infelizmente a maioria não consegue chegar ao peso saudável, talvez porque ainda esteja procurando a tal da “pílula do emagrecimento rápido”, que na verdade não existe.

É claro que existe um milhão de possibilidades quando o assunto é descobrir as causas da obesidade. Mas uma coisa é real: a alimentação da maioria das pessoas está muito comprometida, falta a “comida de verdade”, aquela mais próxima da natureza, que traz os nutrientes e os benefícios de que o corpo precisa para se manter saudável e com o peso em dia.

E pra te ajudar a não entrar nessa, lá vão nossas dicas de alimentos naturais que dão uma força na hora de emagrecer com saúde e manter o peso saudável:

1. Linhaça: uma das maiores fontes de ômega-3, que é um ácido graxo antinflamatório. Em outras palavras, ele age nas regiões do corpo onde a gordura se acumula (o que já é um sinal de inflamação) na tentativa de ajudar a diminuir esse acúmulo;

2. Cúrcuma (açafrão da terra) e gengibre: também ajudam a colocar um freio na inflamação (lembrando que a obesidade é uma inflamação);

3. Couve, rúcula, escarola e outras folhas verde-escuras: são ótimas fontes de magnésio (mineral que compõe a clorofila, substância que dá a cor verde aos vegetais). O magnésio tem papel importantíssimo na hora de colocar a glicose dentro das células para gerar energia (ajudando a prevenir o diabetes), além de ajudar a evitar o acúmulo de gordura no corpo;

4. Espinafre e brócolis: fornecem naturalmente boas doses de ácido lipóico, substância que ajuda a dar a sensação de saciedade por reduzir a ação da grelina (substância produzida naturalmente pelo nosso organismo para estimular a fome na hora certa, mas que geralmente está além da conta no organismo de quem está muito acima do peso);

5. Abacate:  já ouviu falar que a obesidade sempre vem acompanhada por um monte de outros problemas? Pois é, um deles é o estresse, causado pelo excesso de cortisol que nosso corpo produz nessa situação. E é aí onde entra o abacate. Ele contém beta-sitosterol, substância que ajuda a diminuir o excesso de cortisol e o desejo por doces. Mas cuidado com a quantidade: 2 a 3 colheres (sopa) por dia de abacate geralmente são suficientes;

6. Feijões, ervilha, soja, milho, grão de bico e outros grãos integrais: além de terem baixa carga glicêmica (fundamental para quem quer saúde e um peso saudável), fornecem boa parte das vitaminas e minerais que participam de praticamente todas as funções do organismo, inclusive da queima do excesso de gorduras.
Curiosidade: quando os grãos são refinados industrialmente, eles perdem não apenas as fibras e o gérmen, mas também a maioria das vitaminas e minerais, como o magnésio, por exemplo (mineral fundamental para frear o ganho excessivo de peso): 80% dele vai embora no refinamento. Motivos de sobra para preferir os grãos integrais, certo?

7. Castanha do brasil e amêndoa: ótimas fontes de magnésio (que, como vimos antes, é essencial para quem quer perder o excesso de gorduras). De quebra, a castanha do pará ainda traz outra preciosidade: o selênio, mineral antioxidante importante para o bom funcionamento da tireóide (glândula que controla o metabolismo e que ajuda a trazer o corpo para o peso ideal);

8. Arroz integral: contém triptofano, aminoácido que ajuda na produção da serotonina, o neurotransmissor que favorece a sensação de bem-estar e de quebra ainda reduz a compulsão por carboidratos.

Bom, já deu pra ver que incluir esses alimentos naturais no seu dia-a-dia vai ser satisfação garantida. Mas queremos te lembrar também que para atingir um peso saudável é fundamental fazer outras mudanças como praticar atividade física regularmente e manter uma boa alimentação. Para isso, procure orientação de um educador físico e de um nutricionista funcional.

LEMBRE-SE: um alimento pode ser um remédio para uma pessoa e um veneno para outra. Respeite a individualidade bioquímica!

 Gabriela França

CRN: 8054

Nutricionista Clinlife

Hábitos saudáveis formados na infância vão determinar a saúde do indivíduo na terceira idade

Ter hábitos saudáveis desde a infância pode influenciar na saúde e qualidade de vida na idade adulta e na terceira idade.

Os hábitos de alimentação saudável, de prática de exercícios físicos são costumes que sofrem influência da educação da família. Famílias em que os filhos crescem observando os pais praticando exercícios físicos e uma alimentação saudável e sem exageros, costumam aprender esse comportamento desde a infância e a adotá-los como rotineiros na fase adulta e na terceira idade.

A coordenadora nacional da Saúde do Idoso, do Ministério da saúde, Luíza Machado, diz que começamos a envelhecer desde que estamos no útero materno e que, por isso, os hábitos saudáveis desde a infância, vão determinar a saúde que teremos quando alcançarmos à terceira idade.

A influência dos pais não devem ser apenas no exemplo dado no dia-a-dia, os pais também devem estimular os filhos a adotarem hábitos saudáveis. Conversar e explicar desde cedo à importância de se ter hábitos saudáveis, evitando a recompensa através de alimentos quando os filhos tiverem bons comportamentos ou bons resultados na escola para que os mesmos não associem a comida (principalmente alimentos doces e gordurosos em excesso) ao prazer e a vitória.

Para se ter uma boa qualidade de vida é necessária uma série de atitudes na rotina diária. Não fumar, evitar o consumo de bebidas alcoólicas em excesso ou mesmo não beber, ter uma boa alimentação e praticar exercícios físicos. Com uma alimentação balanceada com frutas, leguminosas, verduras, leite, proteínas e vitaminas, evitam-se doenças e se ganha em qualidade de vida. Com uma rotina de vida com qualidade se tem saúde para toda a vida, inclusive na terceira idade. Para complementar a saúde e o bem-estar é necessária à prática de exercícios físicos que vão contribuir com o aumento da força e da massa muscular, oferecendo durante toda a vida o vigor físico, a força muscular para locomoção e atividades de vida diária e o bom funcionamento dos órgãos internos (que também são formados por musculaturas que são, da mesma forma, trabalhadas durante o exercício físico). Evita-se com o fortalecimento do organismo o envelhecimento precoce do mesmo e o aparecimento de doenças.

Querer qualidade de vida por toda a vida não é apenas uma questão de querer, é sim uma questão de querer se educar para uma vida mais saudável, aprendizado que acompanhará o indivíduo até a terceira idade e que, com toda certeza influenciará as próximas gerações. Em uma sociedade em que se relaciona a comida a tantos momentos de prazer, há que se encontrar prazeres em outras coisas, já que a vida é tão farta dessas oportunidades.

Para um viver saudável, faça escolhas saudáveis e eduque seu organismo para viver mais e com mais prazer e saúde.

Flávia Ferreira Simão

Educadora Física

CREF 015957-G/MG