Páscoa e emagrecimento: será possível?!

Esta pergunta nos coloca diante de muitos conflitos, não é mesmo? Pois bem, recheada de chocolates, a Páscoa regada de compulsão e pelo tentador clima pascoal pode comprometer bastante o empenho de muitos que estão em busca de um planejamento alimentar saudável. Pensando nisto, esta postagem é para auxiliá-lo a perceber-se melhor neste dia para que você permaneça fiel aquilo que é mais importante para você!

“A maior fraqueza de uma pessoa é trocar aquilo que ela mais deseja na vida por aquilo que mais deseja no momento”.

A esta altura do campeonato você já deve ter recebido milhares de dicas como, por exemplo, dar preferência ao chocolate amargo ou meio-amargo, por possuir maior quantidade de cacau; optar por uma porção pequena do ovo de chocolate; tomar cuidado com as versões diet, pois são isentas de açúcar, mas tem mais gorduras para dar consistênciaEnfim, soluções existem! Porém você precisa fazer a diferença no momento que lhe vier aquele tentador pensamento de que o mundo vai acabar em chocolates! Salve-se quem puder.

O chocolate é rico em flavonóides (antioxidantes) e triptofano, o aminoácido precursor da serotonina. Desse modo, são descritas sensações de prazer com seu consumo que podem ser atribuídas à presença de metilxantinas, que provocam a sensação de bem-estar. Outra ação relacionada ao bem-estar é o aumento da produção de feniletilamina, uma substância do grupo das endorfinas. Logo, buscamos este tipo de alimento porque ele nos dá a sensação de prazer e bem-estar temporários. Para não cair na armadilha de procurar estas sensações pela tentadora via do chocolate, é preciso estar atento à suas emoções quando estiver diante deste alimento. Como diz a canção:

“Conhecer as manhas e as manhãs,

o sabor das massas e das maçãs…”

Nesta Páscoa, quando for comer sua porção de chocolate saboreie a fatia que lhe cabe, sinta bem o sabor do chocolate. Se atenha a saborear com prazer sem que precise buscar em grandes quantidades esta sensação. Pois, o que lhe dará prazer é dar sentido ao sabor e não a quantidade. Da mesma forma, vale a dica para o tradicional prato de páscoa: a Bacalhoada!

Atento a você, às suas percepções e emoções você pode aproveitar este momento para descobrir que a vida pode ser muito prazerosa sem que para isto você tenha que colocar em risco seu planejamento alimentar. Você também pode aproveitar o feriado para fazer aquela caminhada ao ar livre… Sabia que após 20 ou 30 minutos de caminhada, o cérebro começa a liberar endorfina, neuro-transmissor com potente ação analgésica e capaz de estimular também a sensação de bem-estar!?

Fique bem e tenha uma páscoa cheia de paz! Que o sentido da páscoa vá além dos chocolates… Que seja a passagem para uma vida saudável com muito prazer!

Éricka Heringer Santos

Psicóloga Clínica

CRP 30205/04

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *