Produtos Industrializados Enriquecidos – é melhor consumir?

 Atualmente a preocupação da indústria alimentícia é tentar aumentar o valor nutricional dos alimentos unindo a praticidade com a alimentação rica em nutrientes, visto que a população está mais preocupada com a prevenção de doenças, mas não tem tempo de preparar ou se dedicar a ter uma alimentação mais natural, com frutas e alimentos frescos. Os alimentos enriquecidos visam suprir essas necessidades nutricionais que não são alcançadas com uma alimentação incorreta.

No entanto, o que vemos por aí agora são salgadinhos, biscoitos, cereais matinais, iogurtes, leite, gelatinas, farinhas e até balas e água em versões fortificadas. Mas, afinal, esses produtos industrializados carregam mesmo quantidades suficientes de nutrientes para fazer bem à saúde? Aliás, podem ser consumidos à vontade? Substituiriam os alimentos naturais?

Então, na hora da compra é ideal avaliar as informações do rótulo do alimento, determinado produto fornece doses de vitaminas e sais minerais, por outro lado, muitas vezes, ele apresenta altos índices de gorduras, açúcares e sódio, que podem levar a problemas como obesidade e diabetes e, no caso do sódio, há uma sobrecarga dos rins. E ainda checar se o alimento possui uma quantidade pequena ou se é isento de gordura trans, pois, quanto mais gorduras, açúcares e corantes, mais comprometida fica a qualidade nutricional do alimento.

O importante é que o alimento preserve o que usou de matéria-prima. Por exemplo, se o alimento é de queijo, deve conter queijo, e não somente um aromatizante.

A alimentação saudável e rica em nutrientes é sem dúvida a que contem alimentos naturais e não a baseada em alimentos industrializados. O enriquecido terá sempre conservantes e outras substâncias artificiais, que viram toxinas dentro do organismo e podem atrapalhar outras vias metabólicas. Além disso, o excesso de um determinado nutriente pode desregular o funcionamento do organismo.

Portanto, o consumo de alimentos industrializados mesmo que seja enriquecido deve ser de forma balanceada. Pois, mesmo se for nutriente, em excesso pode ser excretado ou, pode se depositar nas articulações, por exemplo. O excesso de cálcio é tão perigoso quanto sua falta.

Alguns rótulos enfatizam o acréscimo de nutrientes como, prebióticos, probiótico, cálcio, vitamina D, Vitamina A, Vitamina B, Vitamina C, Vitamina E, Fibras, Colágeno, Zinco, Ferro, Selênio. O consumidor às vezes compra o alimento mesmo sem saber as funções de cada nutriente no organismo. Segue algumas funções importantes sobre cada nutriente:

Probióticos

São microorganismos que, quando ingeridos, exercem efeitos benéficos para a saúde. Esses organismos são adicionados aos alimentos, como os leites fermentados, por exemplo.

As mais conhecidas bactérias que exercem essa função são as Bifidobacterium e Lactobacillus, em especial Lactobacillus acidophillus. Elas agem produzindo compostos como as citoquinas e o ácido butírico que são antimicrobianos e antibacterianos, ou seja, favorecem a presença de bactérias benéficas ao organismo e diminuem a concentração de bactérias e microorganismos indesejáveis. Outra maneira de proteger a mucosa intestinal é metabolizar as fibras presentes e transformá-las em ácidos.

Dessa forma, no meio ácido há uma diminuição na concentração de bactérias patogênicas e putrefativas, que provocam doenças e gases. Outras funções:

Os probióticos aumentam de maneira significativa o valor nutritivo e terapêutico dos alimentos porque há um aumento dos níveis de vitaminas do complexo B e aminoácidos. Absorção acrescida de cálcio e ferro; fortalecimento do sistema imunológico, através de uma maior produção de células protetoras e, particular importância para os indivíduos com intolerância à lactose, devido ao aumento de uma enzima que facilita a digestão da lactose.

A manutenção do equilíbrio da flora intestinal é muito importante para o nosso organismo. Dessa maneira, a alimentação assume papel influente através da ingestão de alimentos que proporcionem o desenvolvimento no intestino de bactérias saudáveis.

Cálcio

Responsável pela formação dos dentes e dos ossos. O cálcio é determinante na contração muscular e na transmissão dos impulsos nervosos.

O cálcio ativa várias enzimas, sendo essencial para a coagulação do sangue assim como no transporte dos líquidos através das membranas celulares.

Uma boa disponibilidade de vitamina D facilita a captação de cálcio, enquanto o consumo excessivo de carne, sal, café e álcool inibe a sua absorção.

Vitamina D

Regula outras vitaminas e minerais em nosso organismo, agindo como um hormônio, aumentando as concentrações de cálcio e fosfato promovendo a mineralização óssea, além de induzir a síntese de proteína fixadora de cálcio.

Vitamina A

Combate radicais livres, atua na formação dos ossos, pele; funções da retina. É necessária para o crescimento e o desenvolvimento de crianças, e para as mulheres grávidas, para permitir o crescimento do feto, Participa da defesa do organismo, pois ajuda a manter úmida e saudável as mucosas.

A deficiência prejudica o crescimento e o desenvolvimento da criança. A vitamina A é encontrada quase que exclusivamente em produtos animais, como leite humano, carnes, fígado, óleos de peixe, gema, leite integral entre outros.

A provitamina A é encontrada em vegetais folhosos verde-escuros (como espinafre, e folhas novas de vários vegetais); vegetais amarelos (como abóbora e cenoura) e frutas não cítricas amarelas e laranjas (como mangas, pêssego e mamão), além de óleos e frutas oleaginosas (buriti, pupunha, dendê, pequi).

Vitamina B

As vitaminas do complexo B ajudam a manter a saúde dos nervos, pele, olhos, cabelos, fígado e boca, assim como a tonicidade muscular do aparelho gastrintestinal. As vitaminas do complexo B são coenzimas envolvidas na produção de energia e podem ser úteis nos casos de depressão e ansiedade.

Vitamina C

Tem função antioxidante potente, a qual age diminuindo o estresse oxidativo. Sem a vitamina C o colágeno sintetizado é muito instável para desempenhar sua função.

Vitamina E

É responsável pelo fortalecimento do sistema muscular e reprodutor.

Fibras

Promovem um bom funcionamento intestinal, na redução dos níveis de colesterol e glicose no sangue, além de facilitarem a digestão e promovem sensação de saciedade.

Atuam ainda prevenindo o câncer de intestino, em função do menor contato das substâncias cancerígenas com a mucosa intestinal.

Uma alimentação equilibrada ainda é mais eficiente para absorção do nutriente, ele é mais biodisponível para nosso organismo. Para alcançar a quantidade diária de cálcio é necessário consumir quatro xícaras grandes de brócolis ou três copos de leite mais uma porção de queijo, pode ainda incrementar a alimentação com sementes de girassol, de gergelim, fazer um mix de farinha para ser adicionada na comida.

Se há tem deficiência de cálcio na alimentação prefira os produtos enriquecidos com o mineral. Aquele que apenas contém esse nutriente, não produzirá resultados no equilíbrio da dieta.

Então os alimentos enriquecidos são os que contêm a maior quantidade de determinado nutriente. Para alimentos sólidos, o acréscimo é de 30% das necessidades diárias daquele nutriente, em cada 100g. Para produtos líquidos, esse valor é de 15% para cada 100 ml. Caso o produto não atinja esse índice, mas forneça metade dele, então o rótulo só poderá informar que ele é fonte de determinado nutriente ou somente que o contém em sua composição.

Os alimentos enriquecidos não têm a força necessária para garantir a dose diária de cálcio ou vitamina D, por exemplo, se não forem acompanhados de fatores como bom ambiente intestinal e realização de exercícios físicos com regularidade.

Além de funcionar bem, o intestino deve conter bactérias – inerentes a ele – em boas quantidades, o que garante esses níveis é o consumo regular de frutas e verduras. Afinal, não basta ingeri-los, é preciso garantir que sejam absorvidos corretamente pelo organismo.

Essa tendência de alimentos enriquecidos leva a pessoa a não comer corretamente, e acreditar que irá suprir suas necessidades nutricionais apenas com a alimentação industrializada, o que não é verdade.

 

Mariana Andrade

Nutricionista CLINLIFE

CRN 9/5237

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *