Quando comer torna-se um vício

Comer pode tornar-se um vício quando a vontade de ingerir alimentos é maior do que nós e de forma impulsiva não a conseguimos frear.

Vício de comer

Vício de comer é um termo contemporâneo usado para descrever uma desordem patológica: o desejo compulsivo e excessivo de consumir alimentos. Esta condição não só é manifestada pela ingestão anormal de alimentos, mas também pelo desejo de consumir alimentos que são, em si mesmos, prejudiciais para o indivíduo.

Embora a sociedade e a profissão médica tenham facilmente compreendido o alcoolismo e vício de drogas, só nos últimos anos que existe uma igualdade na aceitação do fato de que as pessoas podem ser viciadas em comida da mesma forma.

Quando qualquer substância é ingerida em excesso independente do seu potencial de dano à saúde, essa substância é encarada como um vício. Os indivíduos que usam essas substâncias ao extremo são viciados; estas pessoas tornam-se fisiologicamente e mentalmente dependentes dessas substâncias, neste caso os alimentos.

Basta fazer-se algumas perguntas importantes para determinar a sua dependência:

  • Você come quando não está com fome ou quando você se sente fraco ou deprimido?
  • Você come em segredo ou come na frente de outras pessoas de maneira diferente do que quando está sozinho?
  • Você consume grandes quantidades de alimento para depois causar vômito ou tomar laxantes para se livrar do excesso?
  • Existem alimentos que são prejudiciais para você, mas você os come mesmo assim? Você se sente culpado depois de comer?

Se você respondeu sim a estas perguntas, você provavelmente está viciado em comida!

Causas e Manifestações

Vício de comer, como acontece com qualquer outro vício, é uma perda de controle. O indivíduo compreende que a sua maneira de comer é prejudicial, mas continua com o comportamento destrutivo. O fenômeno do vício alimentar é algo fisiológico e psicológico.

Tratamento

O vício de comer é uma condição séria com muitas consequências negativas à saúde. Obesidade, distúrbios psicológicos, diabetes e anomalias gástricas são apenas alguns exemplos.

O primeiro passo para a recuperação é, naturalmente, reconhecer e aceitar o problema. Clinicamente, os indivíduos devem identificar quais alimentos – chamados de gatilhos – causam os sintomas de desejos.

Se questione:

“Qual é o alimento que me deixa (ou quais são) mais vulnerável? Em quais momentos e/ou situações me sinto a ponto de comer descontroladamente? Por que o alimento exercer tamanha força sobre mim a ponto de não conseguir resisti-lo?”

Combater o vício alimentar, exige disciplina para modificar os padrões alimentares e o estilo de vida. Um programa manejável de exercício deve ser adotado, assim como mudanças alimentares que podem ser mantidas.

Tentativas ambiciosas para mudar os padrões alimentares bruscamente ou para perder peso rapidamente raramente têm sucesso a longo prazo.

A dependência fisiológica e psicológica de alimentos pode ser vencida quando o indivíduo reconhece que não pode combater esse vício sozinho. E para ajudá-lo, existem médicos e psicólogos especializados no assunto.

 

Texto adaptado

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *