Será que preciso ser tão perfeito?

Perdoe suas próprias limitações. Ninguém é perfeito, e todos temos forças e fraquezas. Isso não quer dizer que você não deve tentar se superar; você pode sempre melhorar ou aprender algo novo, mas há momentos em que você vai ter que se contentar com o que você já sabe e o que pode fazer com isto. Não perca muito tempo se preocupando com o que você não pode (ainda) fazer.

Pense no que é realmente importante no momento.  Será que o seu objetivo  é ser perfeito e ter um resultado perfeito, ou será terminar algo?

O perfeccionismo normalmente é visto como o oposto de um resultado no tempo certo devido à incerteza que vem com ele, que leva a atrasos.

Defina o seu objetivo. Saber o  alcançar não só orienta  a  direção certa, mas ajuda também a identificar quando alcançou sua meta.

Comece. Mesmo se não tiver certeza que vai dar certo, tente. Você pode se sair melhor do que esperava, ou a tarefa pode ser mais fácil do que imaginou. Mesmo se a sua primeira tentativa não lhe levar a lugar algum, talvez você saiba onde ou a quem perguntar. Ou então, você pode descobrir por conta própria. Na maioria das vezes, você vai descobrir que as barreiras que imaginou só parecem maiores do que realmente são.

Planeje-se para um  determinado limite de tempo.

Ao trabalhar em um projeto mais longo ou detalhado, um prazo, preferencialmente auto-imposto, pode fazer com que você inicie e continue a trabalhar sem se preocupar demais com os detalhes. Divida uma tarefa grande em partes menores ou em objetivos intermediários.

Ensaiar não é algo exclusivo dos artistas.

Crie oportunidaes para que você  possa  aprender levando em conta que os  erros  podem até acontcer. . Ensaie. Pratique. Experimente.  Durante estes processos, mande seu crítico interior sair para passear, deixando-o livre para aprender e experimentar sem a preocupação de que você pode errar.

Admita que, para muitas atividades, especialmente as que exigem um elemento criativo, não existe uma maneira certa, uma resposta certa. Se você for avaliado, será em um nível subjetivo. Você não vai conseguir agradar todos que lerem seu texto ou verem sua pintura, por exemplo.

Reconheça a beleza e os benefícios das coisas imperfeitas. Harmonias dissonantes em uma música podem criar um clima de tensão ou drama. Folhas deixadas no chão separam as raízes das plantas e se decompõem para nutrir o solo.

Reflita sobre seus insucessos  . Falhar é relativo. Talvez você tenha achado que os biscoitos ficaram meio passados, mas todos comeram. Como a pessoa que os fez, você sabe mais sobre o que aconteceu do que todos os outros. Quem se beneficia do seu trabalho se importa mais com o resultado e pode nem perceber o processo que levou a tal. Pense no que você aprendeu com suas falhas e como isto pode lhe ajudar a fazer melhor da próxima vez.

Reflita sobre o seu sucesso. Pense em algo que você tenha feito que foi bem sucedido. Pode não ter sido perfeito, mas ainda alcançou um objetivo. Provavelmente, você experimentou alguma incerteza no processo. Suas preocupações podem lhe manter longe de problemas, mas não deixe que isto lhe impeça de agir. Ao invés de fazer as coisas com perfeição, faça as coisas de forma bem sucedida.

Thais Martins Santos

Psicologa da Clinlife  

CRP 04 24 638

3 Comentários


  1. Eu preciso sempre me lembrar da frase acima, acredito que tenho esse problema. Gostei demais de sua postagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *