Sua fome é real ou emocional?

Nem sempre é fácil diferenciar entre uma fome emocional ou uma fome fisiológica. Será que você consegue reconhecer quando seu apetite se trata de uma fome emocional?

 A alimentação é uma função básica para manter o corpo com energia o suficiente para realizar todas as atividades do seu dia-a-dia. Porém o alimento nem sempre tem um fim somente alimentar, muitas vezes é utilizado como uma forma de suprir alguma necessidade emocional urgente, sendo um recurso imediato para a pessoa lidar com algum vazio insuportável provocado por uma tristeza, saudade, ansiedade, medo e angústia são alguns exemplos.

 O bem-estar que se sente logo após o ímpeto de ter devorado uma caixa de bombons inteira dura pouco tempo, e como neste caso se tratando de uma fome emocional, não existe sinais claros de saciedade e a fome volta com tudo outra vez.

 Mas como saber diferenciar entre a fome fisiológica e a fome emocional? A fome fisiológica é a que o corpo precisa para funcionar: ela aumenta aos poucos; aparece com mais de 3 horas após uma refeição; melhora temporariamente ao beber água; traz satisfação depois que se come.

 Já a fome emocional é quando as emoções controlam a vontade comer: aparece de repente; é seletiva “vontade de comer uma barra de chocolate”; ocorre a qualquer hora; persiste mesmo quando se come bastante; traz culpa depois do ato de comer.

 Portanto fique atento(a) e identifique qual é o tipo de fome que pode estar sentindo e  não deixe que os desejos momentâneos de uma fome emocional atrapalhem seu objetivo de seguir corretamente sua dieta.

 Petrina Gomes de Lima

Psicóloga Clinlife

CRP 04/28095

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *