Tomando decisões!

 

Com certeza, um dos melhores remédios para a cura de algumas doenças é tomar uma boa dose de decisão. Isso mesmo, DECISÃO.

A indecisão gera ansiedades, acumula doenças, medos, frustrações…

Muitas vezes, por medo de errar, preferimos não arriscar. Aí ficamos parados, frustrados.

Ao invés de tentar preferimos ficar “em cima do muro”, sem saber se descemos ou não. São vários os medos: de errar, de magoar o outro, de magoar a si, de fracassar, enfim…

O medo acaba paralisando e ficamos na nossa “zona de conforto”, como uma criança assustada, sem saber o que fazer. Isso está relacionado à insegurança, perfeccionismo, pessoas que exigem muito de si.

Decisões precisam ser tomadas o tempo inteiro e muitas vezes nem nos damos conta: decidir se levantaremos da cama ou não, decidir se comemos mais uma torrada no café da manhã, qual roupa usaremos, qual filme assistiremos…

Tomar decisões não precisa ser algo desconfortável ou penoso, ao contrário. Precisamos decidir sabendo que naquele momento aquela era a decisão que achávamos correta. Se depois descobrirmos que não foi tão assertiva, precisamos nos perdoar e termos consciência que não existe escolha perfeita, existe simplesmente o ato de decidir julgando ser aquela a correta no momento.

Ao optarmos por uma escolha, temos de renunciar às outras, mas devemos sempre ter nosso foco para o que ganhamos, não para o que perdemos na renúncia.

Amadurecer é isso…não é tomar decisões corretas sempre. Amadurecer é saber lidar com as decisões tomadas!

 

Cristiane Froes

Psicóloga Clinlife

CRP:35.330

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *