Você conhece a cranberry?

Essa frutinha vermelha, parecida com uma pequena cereja e pouco comum no Brasil, é alvo de diversas pesquisas sobre a prevenção de infecções urinárias. Os benefícios da fruta estariam em uma substância que impediria a adesão de bactérias na parede da bexiga – principalmente no que se refere à Escherichia coli, uma das principais causadoras das cistites.

 Cranberry é uma planta nativa da América do Norte que apresenta em sua composição antocianidinas, flavonóides, proantocianidinas, taninos condensados e ácidos fenólicos. Estes componentes podem impedir a adesão de certas bactérias, incluindo Escherichia coli, associada às infecções do trato urinário e bactérias associadas à úlcera estomacal, como H. pylori. Pesquisas recentes também demonstram que o Cranberry contém quantidades significativas de antioxidantes e outros fitonutrientes com o potencial de impedir danos oxidativos, causados por espécies reativas de oxigênio, protegendo o organismo contra doenças cardiovasculares e câncer.

Em forma de suco ou tablete, a cranberry pode ser uma alternativa natural ao tratamento de mulheres com infecções reincidentes. Uma em cada quatro mulheres tem infecção urinária, sendo que muitas chegam a ter o problema três vezes por ano. Nesses casos a fruta poderia ser um coadjuvante do tratamento com antibióticos. Porém, é necessário realizar uma avaliação prévia da paciente. É preciso, primeiramente, afastar a hipótese de problemas como cálculo ou outras doenças mais graves.

Nos Estados Unidos, a cranberry fresca pode ser encontrada de setembro a dezembro, mas no Brasil, a fruta não é muito comum. Geralmente, ela é consumida em forma de suco ou molhos. Assim como as outras “frutas vermelhas” (morango, cereja, framboesa e mirtilo), a cranberry contém vitaminas A, C e D, além de flavonóides, fitoquímicos relacionados ao controle do colesterol.

Está comprovado cientificamente que as frutas vermelhas não perdem suas propriedades se forem congeladas. Mas o mesmo não acontece com as geléias e os sucos. No preparo das geléias, o aquecimento provoca perda de vitaminas. Já em forma de sucos, as fibras se perdem.

Ação antioxidante

            O Cranberry pode servir como uma boa fonte suplementar de antioxidantes, pois contém quantidade elevada de ácidos fenólicos quando comparados a algumas frutas. De acordo com um estudo da Universidade de Scranton, na Pensilvânia, estes antioxidantes podem ter um papel importante na prevenção de doenças do coração e em determinados tipo de câncer.

 

Anti-envelhecimento

            Estudos preliminares sugerem que dietas contêm frutas e vegetais com altos valores de ORAC (Oxigen Radical Absorbance Capacity) podem fornecer poteção contra a perda da coordenação e da memória associadas com o avanço da idade. O Cramberry marca a elevação na escala de antioxidante em 1750 unidades de ORAC.

            Utilizando um modelo animal, um estudo tem demonstrado a habilidade do cramberry em proteger as células do cérebro dos danos causados por radicais livres e das perdas subseqüentes das funções cognitivas. Ratos nutridos com dietas suplementadas com Cramberry são passados por uma série de testes para avaliar sua função neural comparada a um grupo de controle. Os resultados preliminares indicam que é convincente a evidência de que o Cramberry pode ajudar a proteger o cérebro dos danos neurológicos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *